Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2014 > 02 > 3º Encontro Nacional debate Participação Social

Infraestrutura

3º Encontro Nacional debate Participação Social

Evento

Primeiro dia do evento pautou importância do tema no atual contexto brasileiro
por Portal Brasil publicado: 26/02/2014 15h39 última modificação: 30/07/2014 02h05

“A aliança das agendas econômica e social é positiva e necessária para o desenvolvimento do País e só avança se levada conjuntamente por governo e sociedade”, defendeu o secretário de Governo do Distrito Federal, Gustavo Ponce de Leon.

A declaração foi feita durante a abertura do 3 Encontro Nacional de Conselhos de Desenvolvimento Econômico e Social, iniciado na terça-feira (25), em Brasília.

Sob o tema da “Importância da Participação Social e da construção de redes para o fortalecimento da democracia no Brasil”, o evento iniciou o debate, reunindo membros de vários dos 25 conselhos existentes atualmente -cerca de três vezes mais que no primeiro encontro, realizado em Salvador, em 2012. 

A ampliação ilustra o argumento de Ponce de Leon de que “esta forma de organizar diálogos, pensada a partir do CDES/Brasil, tem ganhado força no país e conta com a adesão cada vez maior de vários entes do governo brasileiro que também têm esta percepção”.

Na mesma direção, Leonardo Avritzer, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ressaltou que a experiência brasileira, baseada no formato de conselhos e de conferências.

“Antes as eleições eram legitimadoras das ações e decisões dos governantes e das políticas dos governos. Atualmente, presenciamos uma diminuição da temporalidade dessa legitimação e conselhos como o CDES reconhecem o papel das minorias neste processo”, afirmou o professor. 

Paulo Vannuchi, do Conselho da Cidade de São Paulo, também defendeu o caráter dos conselhos fundamentado na amplitude de opiniões opostas e no trabalho a partir de pontos divergentes entre governo e sociedade. Para o ex-ministro de Direitos Humanos, “a democracia consagra a legitimidade do dissenso”. 

O primeiro dia do evento contou com a presença do governador em exercício do DF, Tadeu Filippelli, e de conselheiros de todo o País. A programação segue até a tarde desta quarta-feira (26). Além do tema da participação social, o 3º encontro vai debater as boas práticas em metodologias de trabalho e a mobilidade urbana. 

Cesalc

Jacy Afonso, conselheiro do CDES/Brasil, participou do primeiro dia de debates, apresentando a experiência da Rede de Conselhos Econômicos e Sociais da América Latina e do Caribe (Cesalc), expressando uma de suas vocações: “Como latino-americanos compartilhamos o desafio de fortalecer cada vez mais nossas democracias”, disse.

O conselheiro lembrou que a Cesalc busca aprofundar a integração latino-americana, criando laços sólidos de cooperação não apenas entre os governos, mas também entre os atores dos mais diversos segmentos da sociedade.

Afonso argumentou ainda que é preciso pensar num desenvolvimento econômico integrado com a América Latina, mas que também deve haver outras iniciativas para que o intercâmbio entre os países da região não se restrinja à economia. 

Mobilidade Urbana

A mobilidade urbana como compromisso comum entre todos os conselhos da rede é o grande desafio colocado aos conselhos neste encontro, na visão do secretário de Governo do DF.

Ponce de Leon ponderou que a pauta se impôs como prioridade aos governos em todas as esferas após ser o catalisador das manifestações ocorridas no País, em junho de 2013.

Por isso, sustenta que a mobilidade urbana deve ser priorizada na agenda daqueles vislumbram o diálogo como uma perspectiva de governo.

Fonte:
Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil