Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2014 > 04 > Salário médio alcança patamar de R$ 1.166,84

Economia e Emprego

Salário médio alcança patamar de R$ 1.166,84

Economia

No primeiro trimestre do ano, aumento foi de 2,36% com destaque para o Sul com 4,12%
por Portal Brasil publicado: 17/04/2014 20h25 última modificação: 30/07/2014 02h10

O salário médio do trabalhador brasileiro subiu 2,36% no primeiro trimestre de 2014, em relação ao mesmo período anterior. Passou de R$ 1.138,46, em 2013, para R$ 1.166,84. O salário das mulheres também subiu em relação ao dos homens, em torno de 2,72%. Os dados referem-se ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nessa quinta-feira (17) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

 De acordo com os dados, todas as grandes regiões obtiveram aumentos reais no período com destaque para as regiões Sul (4,12%), Centro-Oeste (3,42%) e Nordeste (2,63%). Essas regiões evidenciaram ganhos reais acima da média nacional (2,49%), enquanto as regiões Sudeste (2,03%) e Norte (0,94%) registraram aumentos reais abaixo da média.

 Os trabalhadores com nível de escolaridade de analfabeto ao médio completo tiveram crescimento real no salário médio, com variações entre 2,54% (médio completo) e 4,49% (5ª série incompleta). O salário das mulheres ficou mais alto que o dos homens nos níveis extremos de escolaridade, ou seja, entre os analfabetos (2,7%) e superior (2,41%).


Fonte:

Ministério do Trabalho e Emprego

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
BC está monitorando mercado internacional
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
BC está monitorando mercado internacional
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação

Governo digital