Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2014 > 07 > Safra de grãos de 2014 será 2,3% maior que a do ano passado, prevê IBGE

Economia e Emprego

Safra de grãos de 2014 será 2,3% maior que a do ano passado, prevê IBGE

PRODUÇÃO AGRÍCOLA

Colheita deste ano deve atingir 192,5 milhões de toneladas e área colhida vai aumentar 6,6%, com 56,3 milhões de hectares
por Portal Brasil publicado: 09/07/2014 11h45 última modificação: 09/07/2014 16h31

A safra brasileira de grãos deste ano deve atingir 192,5 milhões de toneladas em 2014, de acordo com a sexta estimativa divulgada nesta quarta-feira (9), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A previsão é 0,1% maior do que a de maio.

De acordo com o novo cálculo, a produção de de cereais, leguminosas e oleaginosas vai superar em 2,3% a safra do ano passado, que foi de 188,2 milhões de toneladas. Essa é a sexta extimativa da safra brasileira divulgada pelo IBGE

Previsão de área colhida aumenta 6,6%

A estimativa da área a ser colhida em 2014 passou a ser de 56,3 milhões de hectares, o que representa um acréscimo de 6,6% frente à área colhida em 2013 (52,9 milhões de hectares) e acréscimo de 0,2% em relação à previsão do mês anterior (56,2 milhões de hectares).

O arroz, o milho e a soja, que são os três principais produtos deste grupo, somados, representaram 91,0% da estimativa da produção e responderam por 85,1% da área a ser colhida.

Em relação ao ano anterior, houve acréscimos na área de 0,3% para o arroz, 8,6% para a soja e estabilidade na área a ser colhida com o milho. No que se refere à produção, os acréscimos foram de 4,3% para o arroz e de 6,0% para a soja. Para o milho, houve diminuição de 5,3% quando comparado a 2013.

A publicação completa da pesquisa pode ser acessada aqui.

Para Conab, safra será de 193,87 milhões de toneladas

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também divulgou, nesta quarta-feira, sua nova estimativa para a safra brasileira de grãos. A previsão atualizada indica que a a safra 2013-14 será 193,87 milhões de toneladas, um índice 2,8% acima da safra anterior, que foi de 188,66 milhões. Em relação à última estimativa, divulgada em junho, o aumento foi de 0,15% ou 304,2 mil toneladas.

Veja matéria completa.

Diferenças nos números

As duas pesquisas oficiais sobre a safra se baseiam em dois levantamentos distintos, feitos pelos dois órgãos. O IBGE, ligado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, captura seus dados por meio do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA). Já a Conab, ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), obtém os dados por meio do Levantamento daSafra de Grãos.

Os números obtidos, embora com resultados muito próximos ou convergentes, refletem as diferenças das metodologias adotadas pelas duas instituições. As discrepâncias também têm a ver com critérios para a amostragem e com a época em que se faz o levantamento nos locais pesquisados.

O IBGE trabalha com anos civis (janeiro a dezembro), enquanto Mapa e Conab pesquisam o ano-safra, que vai de abril a março do ano seguinte, no Centro-Sul. O IBGE também inclui, nos levantamentos, culturas que não integram as pesquisas da Conab.

Fonte:
Portal Brasil com informações do IBGE e da Conab

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Pesquisa do BC aponta que 56% não colocam no papel as contas do mês
Por outro lado, segundo levantamento do Banco Central, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia
Por outro lado, segundo levantamento do Banco Central, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia
Pesquisa do BC aponta que 56% não colocam no papel as contas do mês

Últimas imagens

Resultado foi obtido com mercadorias apreendidas ao longo de 2017. Parte dos itens, no entanto, foi doado para organizações da sociedade civil ou incorporado a órgãos públicos
Resultado foi obtido com mercadorias apreendidas ao longo de 2017. Parte dos itens, no entanto, foi doado para organizações da sociedade civil ou incorporado a órgãos públicos
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Governo digital