Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2014 > 12 > Mercado vê inflação estável neste ano e em 2015, informa Banco Central

Economia e Emprego

Mercado vê inflação estável neste ano e em 2015, informa Banco Central

BOLETIM FOCUS

Previsão para entrada de investimentos estrangeiros no setor produtivo do País também ficou em US$ 60 bilhões neste ano
por Portal Brasil publicado: 15/12/2014 12h12 última modificação: 15/12/2014 12h24

Os analistas e investidores do mercado financeiro, consultados semanalmente pelo Banco Central, mantiveram a previsão de que a inflação oficial, medida pelo índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA/IBGE) feche o ano de 2014 em 6,38%, abaixo do teto da meta, que é de 6,5% ao ano. Para 2015, as apostas também ficaram estáveis, em 6,5% ao ano. As informações constam do Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (15), pelo Banco Central.

A projeção para a entrada de Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil (IED) também  permaneceu inalterada, em US$ 60 bilhões. Para 2015, a estimativa do mercado para o aporte subiu para US$ 58,2 bilhões.

Os especialistas ouvidos pelo (BC) mantiveram a projeção da taxa básica de juros (Selic) do País em 12,50% em 2015. A taxa passou de 11,25% para 11,75% ao ano desde a última reunião do Comitê de Política Monetária do BC (Copom), realizada em 3 de dezembro. A próxima reunião do comitê está marcada para os dias 20 e 21 de janeiro. 

Já a perspectiva para o dólar subiu, tanto para este ano quanto para 2015, a R$ 2,60 e a R$ 2,72 respectivamente, contra R$ 2,55 e R$ 2,70.

PIB, produção industrial e balança comercial

As estimativas para o crescimento da economia brasileira para este ano é de alta de 0,16%, ante 0,18% estimados na semana anterior. Para 2015, os economistas esperam crescimento de 0,69% do Produto Interno Bruto (PIB), contra uma de alta de 0,73% na semana anterior. O PIB representa a soma de todos os bens e serviços produzidos em território brasileiro.

A projeção para o resultado da balança comercial (total de exportações menos as importações) em 2014 saiu de saldo zero na semana anterior para um déficit de US$ 1,6 bilhão. Para 2015, a previsão de superávit comercial foi reduzida de US$ 6,31 bilhões para US$ 5 bilhões. A estimativa para a produção industrial manteve a previsão de queda de 2,50% neste ano. Para 2015, a estimativa passou de uma alta de 1,23% para crescimento de 1,13%.

Fonte: Portal Brasil com informações do Banco Central

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil