Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2015 > 01 > Mercado ainda reflete preconceitos contra mulheres, pretos e pardos, revelam dados do IBGE

Economia e Emprego

Mercado ainda reflete preconceitos contra mulheres, pretos e pardos, revelam dados do IBGE

IMPORTÂNCIA DAS COTAS

Números mostram evolução, mas em 2014 mulheres recebiam cerca de 74,2% da renda dos homens. Pretos e pardos ganhavam 58,0% dos trabalhadores brancos
por Portal Brasil publicado: 29/01/2015 14h46 última modificação: 29/01/2015 15h02

O nível da ocupação, proporção entre a População Ocupada e a População em Idade Ativa (dez anos ou mais de idade), alcançou 53,3%. Frente a 2003 (50,0%) houve alta de 3,2 pontos percentuais, de acordo com dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgada nesta quinta-feira (29), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mulheres, negros, pretos e pardos têm avançado no mercado de trabalho, mas ainda se verifica, nos dados, os rastros dos preconceitos históricos da sociedade brasileira, o que reforça a importância das políticas adotadas pelo governo, como as cotas e outras ações de apoio a estes segmentos da população.

O nível de ocupação das mulheres (45,4%) continuou inferior ao dos homens (62,6%). Mesmo assim, em relação a 2003, seu aumento foi superior ao dos homens.

Em relação a 2003, aumentou o nível da ocupação dos jovens de 18 a 24 anos (de 53,8% para 57,2%) e da população de cor preta ou parda (de 48,5% para 53,0%).

Além da disparidade entre homens e mulheres, a pesquisa mostrou também defasagem entre brancos e pretos ou pardos. Em 2014, em média, as mulheres ganhavam em torno de 74,2% do rendimento recebido pelos homens - uma expansão de 0,6 ponto percentual frente a 2013 (73,6%). A menor proporção foi registrada em 2003, 70,8%.

O rendimento dos trabalhadores de cor preta ou parda, de 2003 para 2014, cresceu 56,3%, enquanto o rendimento dos trabalhadores de cor branca cresceu 30,4%. Mas a pesquisa registrou também, que os trabalhadores de cor preta ou parda ganhavam, em média, em 2014, 58,0% do rendimento recebido pelos trabalhadores de cor branca. Em 2013, esta razão era 57,4%. Destaca-se que, em 2003, não chegava à metade (48,4%).

A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) é realizada nas regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. A publicação completa está em 

www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/.

A publicação da Retrospectiva do Mercado de Trabalho 2003-2014 está em 

www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/estudos_retrospectiva.shtm 

Fonte: Portal Brasil com informações do IBGE

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Soja, milho e feijão são os destaques da super safra 2016/2017
Safra de grãos 2016/2017 deve bater recorde com produção de 238 milhões de toneladas
Safra de grãos 2016/2017 deve bater recorde com produção de 238 milhões de toneladas
Soja, milho e feijão são os destaques da super safra 2016/2017

Últimas imagens

Redução de custos para o setor produtivo puxou queda do indicador de inflação
Redução de custos para o setor produtivo puxou queda do indicador de inflação
Marcos Santos/USP Imagens
Setor de serviços é um importante termômetro para a economia brasileira
Setor de serviços é um importante termômetro para a economia brasileira
Arquivo EBC
Aeroporto Internacional de Brasília
Aeroporto Internacional de Brasília
José Cruz/ Agência Brasil
Ministros apresentaram as novas metas fiscais para 2017 e 2018
Ministros apresentaram as novas metas fiscais para 2017 e 2018
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Governo digital