Economia e Emprego

CENÁRIO ECONÖMICO

Setor de serviços cresce 4,2% em dezembro e acumula 6% de avanço em 2014, diz IBGE

Apesar da desaceleração da economia, setor continuou crescendo. Maior alta foi em serviços prestados às famílias, que acumulou 9,2%. Em dezembro, Bahia liderou avanço, com taxa de 17,4%
publicado: 20/02/2015 11h56, última modificação: 22/12/2017 15h42

O setor de serviços brasileiro teve crescimento nominal (descontada a inflação) de 4,2% em dezembro de 2014, em relação a igual mês do ano anterior e acima da taxa de novembro (3,7%). Com isso, o setor acumulou crescimento nominal de 6,0% em 2014, segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Os dados mostram que, apesar da desaceleração observada na economia, o setor continuou crescendo, mesmo com o acumulado do ano ficando no menor patamar da série da Pesquisa Mensal de Serviços, iniciada em janeiro de 2012. 

Entre os cinco grupos de atividade, apenas os Serviços de informação e comunicação tiveram queda (-1,2%). As demais taxas foram: Serviços prestados às famílias (8,9%), Serviços profissionais, administrativos e complementares (10,9%), Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (4,8%) e Outros serviços (3,2%). 

A maior taxa de crescimento acumulado no ano foi observada no segmento de Serviços prestados às famílias, 9,2%, contra 10,2% em 2013. Dentro deste segmento, os Serviços de alojamento e alimentação cresceram 9,5% (10,6% em 2013) e Outros serviços prestados às famílias, 7,1% (7,2% em 2013).

 No mês de dezembro, o segmento de Serviços prestados às famílias registrou no Brasil uma variação de 8,9% em dezembro sobre igual mês do ano anterior, superior às taxas de novembro (4,4%) e outubro (6,8%). Os Serviços de alojamento e alimentação cresceram 7,8% e Outros serviços prestados às famílias, 16,0%. 

O desempenho deste último segmento decorre principalmente das Atividades artísticas, criativas e de espetáculos, em especial, dos Serviços de promoção de eventos culturais, que apresentaram maior demanda com as festas de fim de ano. Os Serviços prestados às famílias contribuíram com 0,6 pontos percentuais (p.p.) ou 14,3% no índice geral. 

Resultados regionais 

Em dezembro, os maiores avanços ocorreram na Bahia (17,4%), Ceará (11,6%) e Espírito Santo (8,7%). Cinco unidades da federação tiveram taxas nominais negativas: Piauí (-2,6%), Roraima (-2,3%), Acre (-1,5%), Amazonas e Maranhão, (ambas com -1,1%). 

A publicação completa da pesquisa pode ser acessada em 

www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/servicos/pms.

 Fonte: Portal Brasil com informações do IBGE

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems