Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2015 > 10 > Governo realiza ações de combate à informalidade

Economia e Emprego

Governo realiza ações de combate à informalidade

Trabalho

O empregador que mantém um trabalhador na informalidade, além de multa, está sujeito a perder a condição de Simples Nacional e o acesso a financiamento com recursos do FAT e FGTS
publicado: 21/10/2015 20h22 última modificação: 22/10/2015 15h29
EBC O Plano pretende incentivar a formalização do trabalho assalariado de cerca de 16 milhões de trabalhadores informais

O Plano pretende incentivar a formalização do trabalho assalariado de cerca de 16 milhões de trabalhadores informais

Mais 311 municípios de 24 estados e do entorno do Distrito Federal foram informados sobre o Plano Nacional de Combate a Informalidade dos Trabalhadores Empregados (Plancite) e poderão receber a visita das equipes de fiscalização do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) para verificar a relação entre empregados e empregadores na iniciativa privada.

O Plano pretende incentivar a formalização do trabalho assalariado de cerca de 16 milhões de trabalhadores informais. Ao todo, os comunicados de divulgação e orientação enviados pela Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT/MTPS) já alcançaram 1.148 municípios.

O objetivo é promover a proteção social do trabalhador, com garantia dos benefícios trabalhistas e previdenciários, como FGTS, Seguro-Desemprego, Abono Salarial, salário maternidade, aposentadoria. O empregador que mantém um trabalhador na informalidade, além de multa, está sujeito a perder a condição de Simples Nacional e o acesso a financiamento com recursos do FAT e FGTS.

O que é

O Plancite propõe ações especiais que vão além das típicas fiscalizações nos locais de trabalho. O direcionamento das ações fiscais prioriza regiões e setores econômicos com maior índice de informalidade, por meio do mapeamento da informalidade do Brasil por atividade econômica, município, microrregião e unidade federativa, além da utilização da inteligência fiscal para localização de empresas que mantém empregados informais. Também visa o incentivo ao diálogo social.

Com a meta de formalização direta de 400 mil empregos em 2015, a Inspeção do trabalho gerará diretamente nas ações fiscais R$ 2,5 bilhões em contribuições. 

Fonte: MTE

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Petrobras vai propor abertura de capital da BR Distribuidora
Empresa vai levar proposta ao conselho de administração; anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Pedro Parente
Empresa vai levar proposta ao conselho de administração; anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Pedro Parente
Petrobras vai propor abertura de capital da BR Distribuidora

Últimas imagens

Taxa recuou 134,4 pontos no ano. Expectativa é de mais quedas nos próximos meses
Taxa recuou 134,4 pontos no ano. Expectativa é de mais quedas nos próximos meses
Marcos Santos/USP Imagens
Reversão de decisão do governo norte-americano deve levar cerca de um mês
Reversão de decisão do governo norte-americano deve levar cerca de um mês
Arquivo EBC
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, durante audiência pública sobre Previdência
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, durante audiência pública sobre Previdência
Clésio Rocha/Planejamento
Em maio, Minas Gerais foi o estado que mais emitiu carteiras de trabalho
Em maio, Minas Gerais foi o estado que mais emitiu carteiras de trabalho
Arquivo EBC
Idosos com carteira assinada chegaram a 7,66 milhões em 2015
Idosos com carteira assinada chegaram a 7,66 milhões em 2015
Marcello Casal Jr/Abr

Governo digital