Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2015 > 10 > Rebanho bovino brasileiro cresce e chega a 212,3 milhões de cabeças de gado

Economia e Emprego

Rebanho bovino brasileiro cresce e chega a 212,3 milhões de cabeças de gado

Produção

IBGE aponta também alta nas produções de leite, suínos, aves e da piscicultura
publicado: 09/10/2015 09h02 última modificação: 09/10/2015 11h04
Divulgação/EBC Mato Grosso, Minas, Goiás, Mato Grosso do Sul e Pará respondem, juntos, por mais da metade do rebanho nacional (54,0%)

Mato Grosso, Minas, Goiás, Mato Grosso do Sul e Pará respondem, juntos, por mais da metade do rebanho nacional (54,0%)

O rebanho bovino brasileiro chegou a 212,3 milhões de cabeças em 2014, um acréscimo de 569 mil animais em relação a 2013. Com isso, o Brasil manteve-se como segundo colocado no ranking mundial, atrás apenas da Índia. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Houve também também alta nas produções de leite, suínos, aves e da piscicultura.

A região Centro-Oeste é a principal produtora, responsável por 33,5% do gado bovino nacional. Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Pará respondem, juntos, por mais da metade do efetivo nacional (54,0%). É o que mostra a pesquisa Produção da Pecuária Municipal (PPM) 2014.

Piscicultura

A pesquisa revela, ainda, que a produção de peixes no País no mesmo período cresceu 20,9% em relação ao ano anterior, alcançando 474,3 mil toneladas. A região Norte assumiu a liderança de participação entre as grandes regiões, com 139,1 mil toneladas. Esse crescimento foi impulsionado por Rondônia, que subiu para a primeira posição do ranking, com a despesca (recolhimento de peixes criados em cativeiro) de 75 mil toneladas de peixes.

Em 2014, os 27 estados e 2.871 municípios brasileiros tinham produção da aquicultura. O valor total da produção foi de 3,9 bilhões de reais, sendo a maior parte (70,2%) oriunda da criação de peixes, seguida pela criação de camarões (20,5%).

O município de Sorriso (MT) manteve-se como o principal produtor de peixes do Brasil, em 2014, registrando a despesca de 21 mil toneladas, quantidade 2,4% inferior à registrada em 2013. Jaguaribara (CE) permaneceu na segunda posição, com a despesca de 16,9 mil toneladas, quantidade 16,0% maior que a registrada em 2013.

A tilápia continuou sendo a espécie mais criada em 2014, com 198,5 mil toneladas, o equivalente a 41,9% do total da piscicultura. A espécie teve aumento de 17,3% em sua produção em relação a 2013. O tambaqui manteve a segunda posição no ranking das espécies de peixes, com a despesca de 139,2 mil toneladas, ou 29,3% do total nacional. A espécie teve aumento de 56,9% em sua produção, sobretudo pelo aumento de 90,3% na região Norte, principal produtora, que responde por 76,1% da produção.

A produção de camarão no Brasil é concentrada na região Nordeste (99,3%). Em 2014, a liderança continuou com o Ceará, com a produção de 35,4 mil toneladas de camarão, seguido pelo Rio Grande do Norte, com 18,3 mil toneladas. Juntos, os dois estados responderam por 82,6% da produção nacional. Aracati (CE) continuou como destaque em 2014, com produção de 8,8 mil toneladas de camarão.

Leite

Em 2014, a produção brasileira de leite foi de 35,2 bilhões de litros, um aumento de 2,7% sobre o ano anterior. Com isso, o Brasil ocupou a quinta posição no ranking mundial de produção de leite, atrás de União Europeia, Índia, Estados Unidos e China.

A região Sul passou a ocupar, em 2014, a primeira posição no ranking das grandes regiões, com 34,7% da produção nacional. Apesar disso, Minas Gerais seguiu como o principal estado produtor, com 9,3 bilhões de litros, o que corresponde a 77,0% de toda a produção da região Sudeste e 26,6% do total nacional.

Na segunda colocação aparece o Rio Grande do Sul (13,3% do total nacional e 4,7 bilhões de litros), seguido pelo Paraná (12,9% e 4,5 bilhões de litros). Já o Centro-Oeste participou com 14,5%, sendo Goiás o quarto maior produtor nacional. Em termos municipais, a primeira posição continuou com Castro (PR), com 239,0 milhões de litros.

O preço médio nacional do litro do leite foi de R$ 0,96, gerando um valor de produção de R$ 33,78 bilhões em 2014. O maior preço médio foi encontrado no Nordeste, R$ 1,11 por litro, e o menor no Norte, R$ 0,82 por litro.

Suínos

O efetivo de suínos foi de 37,9 milhões de cabeças em 2014, um aumento de 3,2% em relação a 2013. A produção de carne suína brasileira em 2014 foi a quarta maior do mundo, sendo as três primeiras posições ocupadas por China, União Europeia e Estados Unidos.

Quase metade do efetivo de suínos (49,3%) encontrava-se na região Sul, seguida pelas regiões Sudeste (18,5%), Nordeste (14,9%), Centro-Oeste (13,8%) e Norte (3,4%). Em relação a 2013, não houve grandes variações de participação das grandes regiões. Em termos municipais, Uberlândia (MG), Rio Verde (GO) e Toledo (PR) detinham dos maiores efetivos de suínos.

Aves

O efetivo de galináceos (galos, galinhas, frangos e pintos) foi de 1,3 bilhão de cabeças em 2014, aumento de 6,6% em relação a 2013. Grande parte do efetivo de galináceos encontrava-se na região Sul (46%), sendo 22,7% no Paraná. O Sudeste participou com 28,8% do efetivo nacional (15,9% em São Paulo e 9,4% em Minas Gerais). Do efetivo total de galináceos, 17% correspondeu a galinhas, totalizando 226,62 milhões de cabeças, aumento de 2,1% sobre o registrado em 2013. 

Fonte: Portal Brasil, com informações do IBGE

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Inmetro dá dicas para quem quer economizar energia
Com a crescente necessidade de economizar energia, o Inmetro dá dicas para quem quer poupar sem ter de abrir mão do conforto
Com a crescente necessidade de economizar energia, o Inmetro dá dicas para quem quer poupar sem ter de abrir mão do conforto
Inmetro dá dicas para quem quer economizar energia

Últimas imagens

Recursos são referentes ao ano de 2015 e podem ser retirados até 28 de dezembro
Recursos são referentes ao ano de 2015 e podem ser retirados até 28 de dezembro
Marcos Santos/USP Imagens
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Ministério da Fazenda
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Gustavo Raniere/Min. Fazenda
Arrecadação em alta é importante para manter o compromisso com as contas públicas
Arrecadação em alta é importante para manter o compromisso com as contas públicas
Arquivo EBC

Governo digital