Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 01 > Exportação de veículos cresce 25% em 2015, diz Anfavea

Economia e Emprego

Exportação de veículos cresce 25% em 2015, diz Anfavea

Indústria Automobilística

Entidade das montadoras destaca acordos bilaterais firmados pelo Brasil com países da América Latina e projeta crescimento nas vendas externas em 2016
por Portal Brasil publicado: 07/01/2016 17h39 última modificação: 07/01/2016 18h02
Governo da Bahia/Creative Commons Venda ônibus atingiu 7,3 mil unidades, após crescimento de 10,9% sobre as 6,6 mil de 2014

Venda ônibus atingiu 7,3 mil unidades, após crescimento de 10,9% sobre as 6,6 mil de 2014

A venda no exterior de carros produzidos no Brasil cresceu 24,8% no ano passado, na comparação com 2014, conforme balanço divulgado, nesta quinta-feira (7), pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram comercializados 417 mil veículos entre janeiro e dezembro de 2015, ante 334,2 mil no mesmo período do ano anterior. A expectativa é que as exportações cresçam 8,1% em 2016. “Acreditamos que, em 2016, haverá um aumento das exportações, ocasionado pelo esforço das empresas em expandir negócios externos em um momento cambial oportuno”, disse o presidente da Anfavea, Luiz Moan.

De acordo com a entidade, somente em dezembro foram vendidos no exterior 46,2 mil veículos, o que representou um crescimento de 97,2% em relação ao total de 23,4 mil registrado no último mês de 2014.

O aumento expressivo nas exportações na reta final do ano coincide com a assinatura de acordos comerciais firmados pelo governo brasileiro com países da América Latina. Os mais expressivos acordos bilaterais foram acertados com o México, que prevê isenção de imposto de importação para os veículos brasileiros até 2019.

Em 2016, o acordo prevê uma cota livre de impostos de até US$ 1,56 bilhão em carros brasileiros no mercado mexicano. Já com a Colômbia, a isenção tributária começa neste ano para 12 mil unidades, com aumento de carros até 2018, quando serão liberados de impostos 50 mil veículos.

O Brasil renovou, ainda, o acordo de exportação para a Argentina e firmou um amplo acordo de livre comércio no setor com o Uruguai – o primeiro do gênero firmado no âmbito do Mercosul. Um novo tratado está sendo concluído com o Paraguai, tendo como contrapartida a compra pelo Brasil de autopeças fabricadas no parceiro do Mercosul.

As exportações de caminhões tiveram alta de 17,7%, com a comercialização de 20,9 mil unidades em 2015, ante 17,7 mil em 2014. Já a remessa externa de ônibus atingiu 7,3 mil unidades, após crescimento de 10,9% sobre as 6,6 mil de 2014.

Produção

A Anfavea estima um crescimento de 0,5% na produção de veículos para 2016, a partir do câmbio favorável para as exportações e desfavorável para as importações de veículos, que devem ser substituídos por modelos nacionais. Segundo a entidade, a previsão está alinhada com a perspectiva de “uma estabilidade do contexto macroeconômico, maior número de dias úteis e expectativa de lançamentos” pelas montadoras.

Em 2015, as montadoras venderam 2,57 milhões de unidades, o que significou uma retração de 26,6% em relação as 3,5 milhões de 2014. Já a produção de veículos terminou 2015 com redução de 22,8%, na comparação das 2,43 milhões de unidades do ano passado com as 3,15 milhões do ano anterior 2014.

A produção de caminhões caiu 47,1%, com 74,1 mil unidades em 2015 e 140 mil em 2014. O segmento de ônibus também registrou queda de 38,9%, com 16,8 mil unidades licenciadas em 2015, contra 27,5 mil de 2014.

O presidente da Anfavea avaliou que a confiança do consumidor foi testada ao longo de 2015 e que, diante da instabilidade política, levou ao recuo nas vendas. “O cenário político de 2015 contribuiu para a redução da confiança dos consumidores e investidores. A consequência disso é o adiamento da compra, pois se criou uma expectativa por definições para dar maior previsibilidade e propiciar um melhor planejamento”, afirmou Moan.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Anfavea

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Linha de crédito beneficia agricultores familiares
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
Linha de crédito beneficia agricultores familiares

Últimas imagens

Sem planejamento, condições facilitadas de crédito podem ser a porta para a inadimplência. Entenda como sair do vermelho
Sem planejamento, condições facilitadas de crédito podem ser a porta para a inadimplência. Entenda como sair do vermelho
Projeção para o próximo ano é de que PIB cresça 1,23%
Projeção para o próximo ano é de que PIB cresça 1,23%
Marcos Santos/USP Imagens
PIB do Sudeste cresceu 1,3% no 2º trimestre; PIB do Norte, 1,2%
PIB do Sudeste cresceu 1,3% no 2º trimestre; PIB do Norte, 1,2%
Marcos Santos/ USP Imagens
Micro e pequenas empresas serão beneficiadas com a medida
Micro e pequenas empresas serão beneficiadas com a medida
Divulgação/MDIC

Governo digital