Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 01 > Memorial da Anistia Política do Brasil terá R$ 10 milhões

Economia e Emprego

Memorial da Anistia Política do Brasil terá R$ 10 milhões

História

Estrutura a ser reformada para comportar o Memorial fica em Belo Horizonte
por Portal Brasil publicado: 22/01/2016 17h04 última modificação: 25/01/2016 15h27
EBC O objetivo do novo espaço cultural é preservar a memória coletiva das lutas de resistência e também o histórico de violação de direitos humanos durante a ditadura militar

O objetivo do novo espaço cultural é preservar a memória coletiva das lutas de resistência e também o histórico de violação de direitos humanos durante a ditadura militar

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou apoio financeiro de R$ 10 milhões para a criação do Memorial da Anistia Política do Brasil, em Belo Horizonte. O montante será empregado na recuperação do Coleginho, estrutura do início do século 20 ligada à Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (FAFICH/UFMG) e, posteriormente, do Teatro da UFMG.

O novo espaço cultural vai preservar a memória coletiva das lutas de resistência e também o histórico de violação de direitos humanos durante o governo militar. A iniciativa é do Ministério da Justiça (MJ), resultante dos trabalhos da Comissão da Anistia. Os recursos do BNDES não são reembolsáveis, com base nos incentivos da Lei Rouanet, e correspondem a 25% do custo total do projeto, que está estimado em R$ 40 milhões, com conclusão prevista para 2018. 

O prédio tem valor simbólico: foi palco de resistência política e formação de intelectuais mineiros durante o período do regime militar. Com o reforço estrutural, além da adaptação da área de 1,12 mil metros quadrados para a sua utilização como equipamento cultural, o Coleginho contará com dois pavimentos: o térreo e o subsolo, nos quais haverá cabines de vídeo e de áudio.

O térreo será ocupado por exposição de longa duração. O acervo incluirá os requerimentos de reparação encaminhados à Comissão e os documentos de registros de perseguições políticas. A proposta é análoga às adotadas na Alemanha pós-nazista, na África do Sul pós-apartheid, na luta norte-americana contra o racismo e em países da América Latina, após regimes ditatoriais. Os dossiês da Comissão de Anistia foram declarados "Patrimônio Documental Regional" pelo Programa Memória do Mundo da Unesco. 

Fonte: Portal Brasil, com informações do BNDES

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Pesquisa do BC aponta que 56% não colocam no papel as contas do mês
Por outro lado, segundo levantamento do Banco Central, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia
Por outro lado, segundo levantamento do Banco Central, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia
Pesquisa do BC aponta que 56% não colocam no papel as contas do mês

Últimas imagens

Resultado foi obtido com mercadorias apreendidas ao longo de 2017. Parte dos itens, no entanto, foi doado para organizações da sociedade civil ou incorporado a órgãos públicos
Resultado foi obtido com mercadorias apreendidas ao longo de 2017. Parte dos itens, no entanto, foi doado para organizações da sociedade civil ou incorporado a órgãos públicos
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Rais
Pixabay

Governo digital