Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 02 > Dilma defende equilibrio fiscal para criar ambiente favorável a investimentos

Economia e Emprego

Dilma defende equilibrio fiscal para criar ambiente favorável a investimentos

Reforma

Em visita ao Chile, presidenta garante que reforma da Previdência não vai tirar direitos dos brasileiros
por Portal Brasil publicado: 27/02/2016 16h01 última modificação: 27/02/2016 16h18

A presidenta Dilma Rousseff defendeu neste sábado (27), em Santiago, no Chile, que é necessário criar um ambiente favorável que atraia investidores no Brasil. Uma das ações necessárias para isso é estabilizar a situação fiscal do País, o que passa necessariamente por uma reforma previdenciária. Dilma explicou que isso não é sinônimo de tirar direitos dos trabalhadores.

“O Brasil tem sólidas estruturas. Precisa agora de uma âncora no fiscal, precisa de uma reforma previdenciária, não para tirar direitos do trabalhador, mas para garantir esses direitos no futuro”.

A presidenta também defendeu que esta é uma reforma que não deve mudar regras da aposentadoria no curto prazo. “Podemos fazer uma reforma com tranquilidade em que você absorva todas as expectativas de direito. Mas que reconheça uma realidade, que é o fato, muito bom, que a população do Brasil está envelhecendo porque nossa expectativa de vida aumentou. E aqueles que trabalham vão ter que, progressivamente, sustentar uma parte maior da população que é a que não trabalha: os que aposentam e as crianças e os jovens”.

A presidenta destacou ainda que é necessário que se aumentem as receitas. “Nós não passamos por essa ponte sem receitas. E daí a importância da CPMF. Tudo isso só [se] faz por um motivo: queremos voltar a crescer”, afirmou a presidenta. Para isso é importante que haja também investimentos, apontou, tanto do setor privado quanto do público. Ainda em 2016, o governo vai realizar leilões de aeroportos, portos, rodovias e ferrovias.

Dilma defendeu que haja um clima de união que favoreça o Brasil a recuperar o grau de investimento. “O Brasil precisa se unir. Os empresários, os que geram emprego e renda, percebem a força do Brasil”.

Fonte: Blog do Planalto

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Linha de crédito beneficia agricultores familiares
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
Linha de crédito beneficia agricultores familiares

Últimas imagens

Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministério do Planejamento
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Divulgação: Agência Brasil
Segundo indicador, consumidores têm boas expectativas para queda do desemprego e melhoria da renda
Segundo indicador, consumidores têm boas expectativas para queda do desemprego e melhoria da renda
Reprodução/Agência Brasil
Além de alimentos, outros grupos apresentaram desaceleração: Vestuário (-0,13%), Habitação (-0,02%) e Transportes (0,10%)
Além de alimentos, outros grupos apresentaram desaceleração: Vestuário (-0,13%), Habitação (-0,02%) e Transportes (0,10%)
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Não tem direito ao 13º aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV)
Não tem direito ao 13º aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV)
Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Governo digital