Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 02 > Fundos do BNDES oferecem R$ 300 milhões para inovação

Economia e Emprego

Fundos do BNDES oferecem R$ 300 milhões para inovação

Investimentos

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social lançou Criatec 3, com investimento previsto de R$ 200 milhões e sete polos
publicado: 18/02/2016 19h29 última modificação: 24/02/2016 13h04

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) definiu, nesta semana, os focos que serão prioritários na atuação do seu Fundo Tecnológico, BNDES Funtec, para este ano de 2016. 

Dois fundos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) somam R$ 300 milhões para inovação. A instituição lançou o Criatec 3, que contará com patrimônio de R$ 200 milhões e sete polos de atuação regional. Para o Fundo Tecnológico (BNDES Funtec) foi definido um orçamento de R$ 100 milhões em 2016.

A terceira versão do Criatec é voltada para investimentos em empresas inovadoras com atuação prioritária nos setores de nanotecnologia, tecnologia da informação, biotecnologia, agronegócios e novos materiais.

Poderão ser apoiadas empresas com receita operacional líquida anual de, no máximo, R$ 12 milhões. O valor máximo de investimento por empresa, em uma primeira capitalização, será de R$ 3 milhões. No mínimo 25% do portfólio do fundo deverão ser investidos em empresas com receita operacional líquida anual inferior a R$ 3 milhões.

Oito focos

A instituição definiu oito focos prioritários para a atuação do Fundo Tecnológico neste ano. Eles se inserem nos seguintes temas: urbanização, segurança alimentar, envelhecimento da população, escassez de recursos naturais e mudanças climáticas.

Composto de partes do lucro do banco, o BNDES Funtec apoia com recursos não reembolsáveis projetos estratégicos de inovação, executados por instituições de ciência e tecnologia (ICTs) em parceria com empresas. Calcado na pesquisa aplicada, o objetivo do fundo é levar o conhecimento gerado na academia ao setor produtivo e, consequentemente, ao mercado.

As ICTs poderão apresentar propostas em três datas limites ao longo do ano — a primeira se encerra em 29 de abril. Os focos temáticos são: energia fotovoltaica; veículos automotores de baixo impacto ambiental; pré-tratamento de biomassa para etanol 2G; tecnologias para o setor de petróleo e gás; semicondutores; minerais estratégicos; medicamentos com novos princípios ativos para doenças crônicas; e manufatura avançada e sistemas inteligentes.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MCTI

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundo oferta R$ 10 bi para empresas do Centro-Oeste
Financiamentos destinam-se a diversos setores da economia e contribuem para a geração de emprego e renda na região.
Financiamentos destinam-se a diversos setores da economia e contribuem para a geração de emprego e renda na região.
Fundo oferta R$ 10 bi para empresas do Centro-Oeste

Últimas imagens

Bandeira não é um custo extra, ela sinaliza o custo de geração da energia elétrica que será cobrada
Bandeira não é um custo extra, ela sinaliza o custo de geração da energia elétrica que será cobrada
Divulgação/EBC
O Pronaf fechou a safra de 2015/2016 com um montante de R$ 22,1 bilhões, atendendo a 1,7 milhão de agricultores
O Pronaf fechou a safra de 2015/2016 com um montante de R$ 22,1 bilhões, atendendo a 1,7 milhão de agricultores
Divulgação/MDAS
Repatriação de ativos soma quase US$ 50 bilhões, segundo Banco Central
Repatriação de ativos soma quase US$ 50 bilhões, segundo Banco Central
Marcos Santos/USP Imagens
Gastos e despesas com acidentes e doenças relacionadas ao trabalho atingem 4% do Produto Interno Bruto (PIB)
Gastos e despesas com acidentes e doenças relacionadas ao trabalho atingem 4% do Produto Interno Bruto (PIB)
Arquivo/Agência Brasil
Todos os animais deverão ser vacinados, exceto os dos rebanhos do Acre, Espírito Santo, Paraná e São Paulo
Todos os animais deverão ser vacinados, exceto os dos rebanhos do Acre, Espírito Santo, Paraná e São Paulo
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital