Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 02 > Programa de incentivo a startups dobra número de vagas em 2016

Economia e Emprego

Programa de incentivo a startups dobra número de vagas em 2016

Inovação

Primeira rodada de seleção do Inovativa Brasil vai até 14 de março com 300 vagas para empreendedores de tecnologia; no segundo semestre serão mais 300
publicado: 18/02/2016 09h24 última modificação: 18/02/2016 09h24
Foto: Marcos Santos/USP Serão 300 vagas em disputa pelos empreendedores na primeira rodada de seleção

Serão 300 vagas em disputa pelos empreendedores na primeira rodada de seleção

As inscrições do Programa Inovativa Brasil começaram nesta quarta-feira (17) com a missão de promover a aceleração de startups – empresas empreendedoras em tecnologia. A iniciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), criada em 2013, dobrou de tamanho neste ano. Serão 300 vagas em disputa pelos empreendedores na primeira rodada de seleção, que termina em 14 de março. Outras 300 oportunidades serão abertas no segundo semestre.

O ministro Armando Monteiro disse que a conexão dessas empresas em gestação com grandes companhias do mercado é um dos focos do programa. “Eu considero que o grande desafio hoje é tornar as startups empresas bem sucedidas e para que isso aconteça é preciso conectá-las com o mercado. O Inovativa nada mais é do que uma plataforma que está sendo oferecida a esses empreendedores para que eles se conectem e acelerem seu processo de desenvolvimento e de consolidação das iniciativas”, disse.

O programa auxilia e orienta empreendedores iniciantes com uma boa tecnologia mas com pouco conhecimento de negócio. Para isso, oferece capacitação em estratégia de negócios, mentoria de executivos de alto escalão e faz a conexão entre os empreendedores e investidores. O Inovativa conta atualmente com mais de 11.000 empreendedores em sua plataforma na internet (www.inovativabrasil.com.br) e 400 mentores voluntários no Brasil e no exterior.

A estrutura do programa foi montada com auxílio de especialistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), um dos maiores centro globais de referência em inovação. “Esse programa vem fortalecendo uma base de empresas que podem crescer”, afirma o secretário de Inovação e Novos Negócios do MDIC, Marcos Vinícius de Souza.

O suporte do MIT foi o que ajudou o MDIC a dobrar o número de vagas do programa. Dos 300 selecionados, após uma bateria de treinamento e preparação, 125 continuaram no Inovativa até a fase de financiamento colocado por órgãos de fomento como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Outra inovação do programa neste ano foi uma parceria do MDIC com a Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas Inovadoras (Anpei) para acelerar a análise de patentes. O órgão vai disponibilizar 300 patentes no âmbito do programa Patente MPE para projetos pilotos.

Esses projetos serão analisados em até 12 meses, o que foi apresentado pelo presidente da Anpei, Luiz Otávio Pimentel, como um prazo rápido ande o estoque de 210 pedidos de registro aguardando avaliação, que costuma ser de “alguns anos”. “Temos um estímulo à inspeção de patentes para empresas inovadoras”, afirmou.

Sebrae

O Inovativa também firmou um termo de cooperação com o Sebrae. A ideia é de que a parceria ajude a ampliar e integrar as bases de mentores e avaliadores da instituição dentro do programa do MDIC.

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, avaliou a parceria como importante para estimular a inovação do pequeno empreendedor. “Hoje, a criatividade está no pequeno. O grande (empresário) não cria, ele compra pronto”, considerou.

Afif afirmou que o estímulo às startups é ainda mais relevante em meio ao momento de crise econômica pela qual o País passa. “A inovação, principalmente por meio desse campo tecnológico, significa renda e emprego, que é o fim maior de qualquer política pública”, disse.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MDIC, da Anpei e do Sebrae

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Linha de crédito beneficia agricultores familiares
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
Linha de crédito beneficia agricultores familiares

Últimas imagens

Inadimplência ainda é a segunda maior para o mês de julho desde 1991, aponta o Serasa
Inadimplência ainda é a segunda maior para o mês de julho desde 1991, aponta o Serasa
Foto: Agência Brasil/Divulgação
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministério do Planejamento
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Divulgação: Agência Brasil
Segundo indicador, consumidores têm boas expectativas para queda do desemprego e melhoria da renda
Segundo indicador, consumidores têm boas expectativas para queda do desemprego e melhoria da renda
Reprodução/Agência Brasil
Além de alimentos, outros grupos apresentaram desaceleração: Vestuário (-0,13%), Habitação (-0,02%) e Transportes (0,10%)
Além de alimentos, outros grupos apresentaram desaceleração: Vestuário (-0,13%), Habitação (-0,02%) e Transportes (0,10%)
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Governo digital