Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 02 > Secretaria de Portos apresenta projetos a investidores italianos

Economia e Emprego

Secretaria de Portos apresenta projetos a investidores italianos

Investimentos

"Quem participar desta oportunidade terá retorno certo, com segurança jurídica e apoio governamental", disse Barbalho, destacando leilão portuário em março
por Portal Brasil publicado: 26/02/2016 11h42 última modificação: 26/02/2016 15h38
EBC O ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, segue apresentando oportunidades de investimentos no setor

O ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, segue apresentando oportunidades de investimentos no setor

O ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho, apresentou a carteira de investimentos em áreas portuárias no Brasil para os próximos anos a investidores italianos nesta quinta-feira (25). "Não há crise no setor portuário", assegura o ministro.

O encontro ocorreu na sede do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, em Brasília. A primeira reunião sobre memorando de entendimento Brasil-Itália, no setor de portos, teve apoio também da embaixada da Itália. "Quem participar desta oportunidade terá retorno certo, com segurança jurídica e apoio governamental", completou Barbalho.

Durante a apresentação, o ministro expôs os recentes resultados do setor, como o recorde de movimentação de cargas nos portos brasileiros em 2015, que superou a marca de 1 bilhão de toneladas. A mais recente versão do Plano Nacional de Logística Portuária (PNLP) antevê movimentação de 1,8 bilhão de toneladas, em 2042.

Uma das oportunidades apresentadas pelo chefe da pasta, o segundo leilão de áreas portuárias, em 31 de março, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, vai ofertar seis terrenos, todos no Pará. Barbalho destacou haver mais 20 áreas portuárias a serem oferecidas, além do terminal de passageiros de Salvador, todos com editais já liberados pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Barbalho mostrou aos italianos que o governo federal está construindo novas rotas para escoamento da produção agrícola da região Centro-Oeste pelos portos do Arco Norte, como Vila do Conde, em Barcarena (PA), onde está situada uma das áreas que irão a leilão em março. A nova rota é mais eficiente, economicamente, em relação aos portos de Santos e Paranaguá, segundo projeções da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja).

No setor portuário, dos cerca de R$ 47 bilhões previstos para os próximos anos em investimentos privados, aproximadamente R$ 7,4 bilhões já foram contratados. 

Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria de Portos

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Preço das frutas diminui nos Ceasas
Condições favoráveis à produção aumentou a oferta de frutas no mercado, e a tendência de queda nos preços deve continuar no próximo trimestre
Condições favoráveis à produção aumentou a oferta de frutas no mercado, e a tendência de queda nos preços deve continuar no próximo trimestre
Preço das frutas diminui nos Ceasas

Últimas imagens

Novas regras incluem ovinocaprinocultura entre beneficiários do Programa Inovagro
Novas regras incluem ovinocaprinocultura entre beneficiários do Programa Inovagro
Foto: Ronny Santos/Pref. de S. J. dos Campos
Proposta está atualmente em tramitação no Senado Federal
Proposta está atualmente em tramitação no Senado Federal
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Líder exportador de carne bovina, o Brasil segue rígidas normas internacionais de vigilância sanitária
Líder exportador de carne bovina, o Brasil segue rígidas normas internacionais de vigilância sanitária
Arquivo EBC
Pode fazer o saque quem teve contratos de trabalho encerrados sem justa causa até 31 de dezembro de 2015
Pode fazer o saque quem teve contratos de trabalho encerrados sem justa causa até 31 de dezembro de 2015
Arquivo/Agência Brasil
Aplicações de até R$ 1 mil representaram quase metade do que foi aplicado no mês
Aplicações de até R$ 1 mil representaram quase metade do que foi aplicado no mês
Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital