Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 02 > Superávit comercial foi de US$ 1,162 bi na 1ª semana de fevereiro

Economia e Emprego

Superávit comercial foi de US$ 1,162 bi na 1ª semana de fevereiro

Comércio Exterior

Houve exportações de US$ 3,604 bilhões e importações de US$ 2,442 bilhões no período
por Portal Brasil publicado: 11/02/2016 15h51 última modificação: 12/02/2016 17h32
Foto: Porto do Recife Até a primeira semana de fevereiro, as exportações totalizaram US$ 14,849 bilhões e as importações, US$ 12,765 bilhões, o que gerou um superávit US$ 2,084 bilhões

Até a primeira semana de fevereiro, as exportações totalizaram US$ 14,849 bilhões e as importações, US$ 12,765 bilhões, o que gerou um superávit US$ 2,084 bilhões

O Brasil registrou um superávit de US$ 1,162 bilhão na balança comercial na primeira semana de fevereiro (entre os dias 1º e 7), informou nesta quinta-feira (11) Secretaria de Comércio Exterior (Secex), órgão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O número reflete exportações de US$ 3,604 bilhões e importações de US$ 2,442 bilhões.

A média diária das exportações da primeira semana de fevereiro foi de US$ 720,8 milhões, valor 7,3% acima da média diária de fevereiro de 2015 (US$ 671,8 milhões). Tal resultado foi impulsionado pelos aumentos nas vendas produtos semimanufaturados (44,7%), principalmente açúcar em bruto, ouro em forma semimanufaturada, catodos de cobre, celulose, madeira serrada, alumínio em bruto, couros e peles, ferro-ligas, e manufaturados (10,6%), por conta de tubos flexíveis de ferro e aço, etanol, suco de laranja não congelado, automóveis, polímeros plásticos, laminados planos, açúcar refinado, medicamentos, bombas e compressores, veículos de carga.

Houve, no entanto, queda nas vendas de produtos básicos (-7,9%), especialmente soja em grão, minério de ferro, petróleo em bruto, farelo de soja, café em grão, fumo em folhas, carne de frango.

Na comparação com o desempenho médio diário do mês passado, houve crescimento de 28,2% nas exportações, com altas nas três categorias de produtos: semimanufaturados (64,6%), manufaturados (37,9%) e básicos (7,5%). 

Do lado das importações, a média diária da primeira semana de fevereiro, de US$ 448,4 milhões, foi 41,1% menor que a registrada em fevereiro de 2015 (US$ 829,6 milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos, principalmente, com veículos automóveis e partes (-64,7%), siderúrgicos (-63,7%), combustíveis e lubrificantes (-47,5%), produtos plásticos (-44,8%) e equipamentos eletroeletrônicos (-44,5%). No comparativo com janeiro deste ano, houve queda nas importações de 5,4%, por conta de veículos automóveis e partes (-30,3%), químicos orgânicos e inorgânicos (-26,8%), siderúrgicos (-22,9%) e equipamentos mecânicos (+18,1%).

Ano

Até a primeira semana de fevereiro, as exportações totalizaram US$ 14,849 bilhões e as importações chegaram a US$ 12,765 bilhões, o que gerou um superávit US$ 2,084 bilhões. Em igual período de 2015 havia déficit de US$ 3,195 bilhões.

As exportações acumularam média diária de US$ 594 milhões no ano, valor 11,2% menor que o verificado no mesmo período de 2015 (US$ 668,5 milhões). Já as importações apresentaram desempenho médio diário de US$ 510,6 milhões, 35,5% abaixo do registrado no mesmo período de 2015 (US$ 791,4 milhões).

No ano, a corrente de comércio soma US$ 27,614 bilhões, com desempenho médio diário de US$ 1,104 bilhão, 24,3% menos que o verificado em 2015 (US$ 1,460 bilhão).

Fonte: MDIC

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
BC está monitorando mercado internacional
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
BC está monitorando mercado internacional
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação

Governo digital