Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 03 > Brasil tem superávit de US$ 1,277 bi na 4ª semana de março

Economia e Emprego

Brasil tem superávit de US$ 1,277 bi na 4ª semana de março

Balança comercial

Exportações alcançaram US$ 3,572 bilhões, e as importações, US$ 2,295 bilhões no período
por Portal Brasil publicado: 28/03/2016 18h46 última modificação: 29/03/2016 15h44
Foto: Portal Brasil A média das exportações da quarta semana de março foi de US$ 892,9 milhões, desempenho que foi 26,1% acima da média registrada no mês até a terceira semana

A média das exportações da quarta semana de março foi de US$ 892,9 milhões, desempenho que foi 26,1% acima da média registrada no mês até a terceira semana

A balança comercial da quarta semana de março, com quatro dias úteis, registrou superávit de US$ 1,277 bilhão. O saldo reflete exportações de US$ 3,572 bilhões e de importações de US$ 2,295 bilhões.

No mês, as exportações somam US$ 13,485 bilhões, e as importações, US$ 9,502 bilhões, com saldo positivo de US$ 3,982 bilhões. A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulgou os números nesta segunda-feira (28).

A média diária das exportações da quarta semana de março foi de US$ 892,9 milhões, desempenho 26,1% acima da média registrada no mês até a terceira semana (US$ 708,1 milhões). Nessa comparação, cresceram as exportações de produtos das três categorias: semimanufaturados (108,1%), puxados por borracha sintética e artificial, açúcar em bruto, celulose, semimanufaturados de ferro e aço, couros e peles, catodos de cobre, óleo de soja em bruto; manufaturados (15,3%), especialmente aviões, automóveis de passageiros, veículos de carga, autopeças, motores para automóveis, suco de laranja não congelado; e básicos (12,9%), em razão de soja em grãos, minério de ferro, petróleo em bruto, carne de frango, farelo de soja, café em grãos.

Na semana, também foi observado crescimento da média diária das importações (US$ 573,7 milhões) de 11,4% em relação ao desempenho médio verificado até a terceira semana do mês (US$ 514,8 milhões) explicado, principalmente, pelo aumento nos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos, veículos automóveis e partes, farmacêuticos, adubos e fertilizantes, instrumentos de ótica e precisão.

Mês de março

Até a quarta semana de março, a média diária das exportações soma US$ 749,1 milhões, valor 2,9% menor que a verificada em todo o  mês de março do ano passado (US$ 771,8 milhões), em razão da queda nas vendas de produtos manufaturados (-3,7%), principalmente óxidos e hidróxidos de alumínio, laminados planos de ferro e aço, motores para automóveis, autopeças, motores e geradores elétricos, bombas e compressores, suco de laranja não congelado.

Na mesma comparação, observa-se também queda de exportações de básicos (-2,7%), especialmente, minério de cobre, minério de ferro, petróleo em bruto, farelo de soja, café em grãos, arroz em grãos. Por outro lado, cresceram as vendas de semimanufaturados (2,3%), alavancadas por borracha sintética e artificial, óleo de soja em bruto, catodos de cobre, ouro em forma semimanufaturada, alumínio em bruto.

Na comparação com fevereiro de 2016, as exportações, também pela média diária, apresentam um crescimento de 6,6%, como resultado das vendas de produtos básicos (20,6%). Entretanto, na mesma comparação, foram observadas retrações nas exportações de produtos semimanufaturados (-4,7%) e manufaturados (-1,9%).

As importações, até a quarta semana do mês, apresentaram média diária de US$ 527,9 milhões, valor que foi 29,7% abaixo da média de todo o mês de março de 2015 (US$ 750,8 milhões).

2016

Até a quarta semana de março, as exportações totalizaram US$ 38,075 bilhões, e as importações, US$ 30,130 bilhões, gerando um superávit de US$ 7,946 bilhões e revertendo o déficit registrado no mesmo período de 2015 de US$ 5,941 bilhões. As exportações acumularam média diária de US$ 668 milhões, valor 3,9% menor que o verificado no mesmo período de 2015 (US$ 695 milhões).

Já as importações apresentaram desempenho médio diário de US$ 528,6 milhões, 33,6% abaixo do registrado no mesmo período de 2015 (US$ 795 6ilhões). No ano, a corrente de comércio soma US$ 68,205 bilhões, com desempenho médio diário de US$ 1,196 bilhão, 19,7% menos que o verificado em 2015 (US$ 1,490 bilhão).

Fonte: Portal Brasil, com informações do MDIC

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Linha de crédito beneficia agricultores familiares
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
Linha de crédito beneficia agricultores familiares

Últimas imagens

Empresários estão mais otimistas com a situação atual e com o futuro
Empresários estão mais otimistas com a situação atual e com o futuro
Marcos Santos/USP Imagens
Prazo para o saque do benefício foi prorrogado e vai até 31 de agosto.
Prazo para o saque do benefício foi prorrogado e vai até 31 de agosto.
Divulgação/Agência Brasil
Inadimplência ainda é a segunda maior para o mês de julho desde 1991, aponta o Serasa
Inadimplência ainda é a segunda maior para o mês de julho desde 1991, aponta o Serasa
Foto: Agência Brasil/Divulgação
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministério do Planejamento
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Divulgação: Agência Brasil

Governo digital