Economia e Emprego

Nomeação

Ilan Goldfajn é empossado presidente do Banco Central

Economista busca baixar a taxa de inflação e contribuir para a recuperação do crescimento econômico
publicado: 09/06/2016 12h04, última modificação: 23/12/2017 11h33
Ilan Goldfajn: atingir a meta de inflação vai colaborar para a recuperação do crescimento econômico sustentável

Presidente Michel Temer oficializa posse de novo presidente do Banco Central - Foto: Foto: Beto Barata/PR

O presidente em exercício, Michel Temer, empossou, na tarde desta quinta (9), o economista Ilan Goldfajn para a presidência do Banco Central. A cerimônia aconteceu no Palácio do Planalto.

A indicação do nome de Goldfan foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal (CAE), na última terça-feira (7), por 19 votos a favor e 8 contra.

Na sabatina no Senado, Goldfajn disse que levará a inflação para a meta – ou seja, reduzir o custo de vida para uma taxa de 4,5%. No acumulado de 12 meses até abril, esse índice estava em 9,28%. “Retribuirei a confiança em mim depositada”, afirmou.

Goldfajn ainda afirmou que, ao atingir a meta de inflação, vai contribuir para a recuperação do crescimento econômico sustentável e para o progresso social do País, “com benefícios para todas as camadas sociais, especialmente as menos favorecidas, que sofrem mais com a perda do poder de compra da moeda”.

Ilan Goldfajn é economista c/ mestrado na @PucRioDigital e doutorado na @MIThttps://t.co/qd2P20I7Z0

— Palácio do Planalto (@blogplanalto) 9 de junho de 2016

Estabilidade

Ele ainda ponderou que atingir esses objetivos será possível por meio do “funcionamento harmônico e complementar das instituições brasileiras”. “A primeira contribuição do Banco Central para a sociedade brasileira é a manutenção de um nível de inflação baixo e estável”, afirmou.

O novo presidente do BC ainda explicou, na ocasião, que um baixo custo de vida estável é condição essencial para o crescimento sustentável, uma vez que reduz incertezas, eleva a capacidade de crescimento da economia e torna a sociedade mais justa.

Trajetória profissional

Ilan Goldfajn é economista, com mestrado pela PUC-Rio e doutorado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT). Atuou como consultor de organizações internacionais (como Banco Mundial, FMI e Nações Unidas), do governo brasileiro e do setor privado. 

Exerceu o cargo de diretor de Política Econômica do Banco Central do Brasil entre 2000 e 2003. Atualmente, é diretor do Centro de Debates de Políticas Públicas (CDPP). Foi também diretor do Instituto de Ensino e Pesquisa em Economia da Casa das Garças (IEPE-CdG), entre 2006 e 2009, sócio-fundador da Ciano Consultoria (2008 e 2009).

Goldfajn foi ainda sócio-fundador e gestor da Ciano Investimentos (2007-2008) e sócio da Gávea Investimentos (2003-2006), onde foi responsável pelas áreas de pesquisas macroeconômicas e análise de risco.

Em 1999, ingressou no Departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), atuando até o final de 2008 como professor do Curso de Mestrado em Finanças Internacionais e em Macroeconomia.

Entre 1996 e 1999, trabalhou no Fundo Monetário Internacional (FMI) e, no período de 1995-1996, foi professor assistente na Universidade de Brandeis, em Massachusetts. Foi membro do Conselho de Administração da Cyrela Commercial Properties de abril de 2007 a abril de 2013. Para assumir a presidência do Banco Central, deixa o posto de economista-chefe e sócio do Itaú Unibanco.

Fonte: Portal Brasil

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems