Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 07 > Pagamento eletrônico cresce enquanto cai uso de cheque

Economia e Emprego

Pagamento eletrônico cresce enquanto cai uso de cheque

Seu bolso

Pesquisa do BC revela que pagamento com cartões ou dispositivos móveis, como celular, apresentam tendência de crescimento no País
por Portal Brasil publicado: 18/07/2016 09h03 última modificação: 18/07/2016 10h20
Marcos Santos/USP Imagens Brasileiros fizeram 5,7 bilhões de operações com cartões de crédito em 2015

Brasileiros fizeram 5,7 bilhões de operações com cartões de crédito em 2015

O uso de meios de pagamento eletrônicos tem crescido expressivamente no Brasil. Segundo pesquisa do Banco Central (BC), em 2015 foram gastos R$ 678 bilhões em transações com cartão de crédito e R$ 390 bilhões com cartão de débito, o que representou um aumento de 9% e de 12%, respectivamente.

A pesquisa mostra ainda que foram realizadas 5,7 bilhões de transações com cartões de crédito no ano passado, o que representa um aumento de 3% frente a 2014. As operações com cartão de débito somaram 6,5 bilhões (incremento de 15%).

Enquanto os meios eletrônicos avançam, o uso de cheque entrou em queda. No ano passado, essa forma de pagamento caiu 12% e o valor transacionado em cheques teve redução de 9%.

Segundo o Banco Central, na opção débito a pessoa que recebe o pagamento tem certeza de que receberá o valor pago. Com o cheque ela não tem essa certeza.

Uso de cheque

“O cheque, principalmente em pequenos valores, tem sido substituído pelo pagamento eletrônico. O pagamento com cartão de débito é o que está substituindo o cheque”, explicou Flávio Túlio Vilela, chefe do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos do BC.

“É o que explica a tendência de crescimento do uso do cartão de débito e da redução do uso da moeda física. É um sinal de que estamos caminhando para a utilização de mais meios eletrônicos de pagamento", avaliou o técnico do BC.

Dispositivos móveis

Entre os meios eletrônicos, os dispositivos móveis têm ganhado destaque. Dados do BC mostram que 60% das transações foram realizadas nos canais não presenciais, como internet, telefones móveis e centrais de atendimento.

A quantidade de transações com esses aparelhos mais do que dobrou frente a 2014 e alcançou 20% da quantidade total de transações de clientes.

O atendimento tradicional em agências, postos de atendimento e correspondentes, em contraponto, registrou queda e hoje responde por 22% das transações realizadas.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Vendas do varejo crescem 3,6% em agosto
Pesquisa mensal de comércio do IBGE aponta que as vendas do varejo cresceram em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. O setor de móveis e eletrodomésticos foi o que registrou o maior crescimento
Pesquisa mensal de comércio do IBGE aponta que as vendas do varejo cresceram em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. O setor de móveis e eletrodomésticos foi o que registrou o maior crescimento
Vendas do varejo crescem 3,6% em agosto

Últimas imagens

Recursos são referentes ao ano de 2015 e podem ser retirados até 28 de dezembro
Recursos são referentes ao ano de 2015 e podem ser retirados até 28 de dezembro
Marcos Santos/USP Imagens
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Ministério da Fazenda
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Com País de volta aos trilhos do crescimento, famílias voltam a consumir e influenciar positivamente arrecadação de impostos
Gustavo Raniere/Min. Fazenda
Arrecadação em alta é importante para manter o compromisso com as contas públicas
Arrecadação em alta é importante para manter o compromisso com as contas públicas
Arquivo EBC

Governo digital