Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 08 > Burocracia atrasa o País, diz ministro da Indústria e Comércio Exterior

Economia e Emprego

Burocracia atrasa o País, diz ministro da Indústria e Comércio Exterior

Ambiente de negócios

Em encontro com varejistas, ministro defendeu reforma do PIS/Cofins e contratação por hora móvel e não fixa
por Portal Brasil publicado: 15/08/2016 19h33 última modificação: 15/08/2016 19h47
Foto: FreeImages/CreativeCommons Ministro Marco Pereira participou de encontro com representantes de uma associação de venda de comida no varejo

Ministro Marco Pereira participou de encontro com representantes de uma associação de venda de comida no varejo

A burocracia tem atrasado o desenvolvimento do País, na avaliação do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. A declaração foi feita durante encontro com representantes de uma associação de venda de comida no varejo, nesta segunda-feira (15)

Na ocasião, o ministro fez um panorama do cenário nacional, a exemplo dos encontros com o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV) e as associações comerciais de São Paulo e do Rio de Janeiro, e novamente defendeu a modernização da legislação brasileira e a revisão de obrigações que ele considera como acessórias.

Dentre as propostas para uma mudança no ambiente de negócios do Brasil, o ministro falou que está trabalhando junto a outros ministérios para avançar em medidas como a reforma do PIS/Cofins e a nota fiscal eletrônica de serviços na Fazenda.

Pereira defendeu ainda a necessidade de se aprovar o trabalho intermitente, que permitirá ao empresário – especialmente em negócios com movimentos sazonais – a contratação do trabalhador por hora móvel e não fixa, como ocorre por exemplo nos Estados Unidos.

Conciliação de classes

No encontro, o ministro também criticou aqueles que fomentam a disputa entre “nós e eles” e que colocam empresários e trabalhadores em “lados opostos na mesa”. Ele disse que é hora de todos atuarem de forma conjunta para recuperar a economia. “Não existe melhor programa social que o emprego. Dignidade para uma pessoa é quando ela tem dois endereços: o de casa e o do emprego.”

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil