Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 08 > Economia brasileira cresce 0,23% em junho

Economia e Emprego

Economia brasileira cresce 0,23% em junho

Recuperação

Número divulgado pelo Banco Central é uma previsão aproximada para o PIB; indicador é o segundo resultado positivo do ano
por Portal Brasil publicado: 12/08/2016 11h17 última modificação: 12/08/2016 11h29
Marcos Santos/USP Imagens Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) foi puxado pela indústria e pelo comércio

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) foi puxado pela indústria e pelo comércio

O Brasil voltou a crescer em junho ao registrar, segundo o Banco Central, expansão de 0,23% frente a maio. Esse foi o segundo resultado positivo do ano e dos últimos 12 meses e pode sugerir um início de retomada da atividade econômica.

O número divulgado na manhã desta sexta-feira (12) faz parte do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), um indicador que tenta prever o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) antes da divulgação oficial.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentará os dados equivalentes aos divulgados hoje pelo BC apenas em 31 de agosto, quando divulga o resultado do PIB do segundo trimestre do ano.

Esse resultado favorável foi puxado, principalmente, pelo desempenho da produção industrial, que cresceu 1,1% frente a maio – o quarto resultado positivo consecutivo e que acumula ganhos de 3,5% para o setor.

Contribuições para o PIB

O comércio também deu uma contribuição para o resultado ao registrar expansão de 0,1% entre maio e junho, com vendas em alta em três das oito atividades pesquisadas pelo IBGE no período.

O resultado positivo de junho, a despeito de favorável para o País, ainda não foi suficiente para deixar o segundo trimestre do ano no positivo e o período fechou com queda de 0,53%. O governo em exercício tem trabalhado para reverter esse quadro e recolocar o Brasil em rota de crescimento.

Medidas como a que cria um teto para os gastos públicos, impedindo uma expansão real das despesas do governo federal, são essenciais para reorganizar as contas públicas – com elas em ordem, o Brasil controla a inflação e cria as condições para o País crescer.

Projeções do mercado para o PIB

O Itaú Unibanco divulgou nesta semana um estudo semelhante ao do Banco Central. Pelo indicador da instituição financeira, o País registrou expansão de 0,5% em junho. O documento que explica os números calculados pelo banco desenham um cenário mais otimista para o futuro.

“Para frente, os indicadores antecedentes apontam para um nível de atividade econômica acima do que temos atualmente no cenário, sugerindo um viés de alta para nossas projeções de PIB no terceiro trimestre”, disse o documento assinado pelo economista do banco Rodrigo Miyamoto.

O que é IBC-Br

O IBC-Br foi construído com base na evolução da agropecuária, da indústria e do setor de serviços. Os cálculos são feitos de forma semelhante aos o que o IBGE faz. O objetivo principal do indicador do BC é prever um resultado aproximado para o PIB.

Com esses números em mãos, o BC consegue desenhar melhor suas estratégias para o controle da inflação. Para se chegar ao resultado final, 16 pesquisas e levantamentos entram na conta.

Além da Pesquisa Mensal do Comércio e da Pesquisa Industrial Mensal, são ponderados os resultados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), dados de comércio exterior, levantamento de safra e outros.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central, do IBGE e do Itaú Unibanco

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil