Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 08 > Meirelles: "Teto para gastos é essencial para o Brasil crescer"

Economia e Emprego

Meirelles: "Teto para gastos é essencial para o Brasil crescer"

Recuperação da economia

Ministro da Fazenda defendeu, na Câmara, a proposta que cria teto para as despesas públicas. Sem ela, o Brasil não sairá da crise
por Portal Brasil publicado: 24/08/2016 12h41 última modificação: 24/08/2016 13h12

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou, nesta quarta-feira (24), que a crise pela qual o País passa foi causada por gastos públicos fora de controle. Durante audiência na Câmara dos Deputados, ele defendeu que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria um teto para os gastos públicos é essencial para o Brasil voltar a crescer.

A PEC, se aprovada, vai permitir que os gastos do Orçamento cresçam o equivalente à inflação do ano anterior. Isso, na prática, significa que as despesas terão expansão real zero.

“Precisamos enfrentar a causa básica dessa crise, que é a questão fiscal”, alertou Meirelles, que lembrou ainda que a atual crise é a mais intensa desde que o País passou a calcular o Produto Interno Bruto (PIB).

Ele relatou que, de 1929 a 1933, houve uma recessão de 5,3% do PIB; a crise atual, de 2015 a 2016, levou o País a uma queda de 7%. Meirelles argumentou ainda que se a situação fiscal não for corrigida, os piores impactos serão sentidos pela parcela mais pobre dos brasileiros.

Importância das contas públicas equilibradas

Para dar a dimensão da importância do controle das contas públicas, o ministro explicou que, quando os gastos crescem em ritmo acelerado, sem acompanhar o ciclo econômico ou acima da inflação, há um aumento da dívida pública.

Quando a dívida cresce a um velocidade muito grande, como observado no Brasil nos últimos anos, cria-se uma desconfiança quanto à capacidade futura do governo de se financiar.

Conforme esse processo evolui, há aumento do Risco Brasil, do custo de financiamento do poder público e o governo passa a captar mais recursos da sociedade para se financiar.

“Não houve nenhum governo que terminou o mandato com o gasto como percentagem do PIB menor do que encontrou”, relatou Meirelles. Ele explicou que, a partir da aprovação da PEC, com uma perspectiva de controle dos gastos públicos, os ganhos econômicos serão imediatos.

Ganhos econômicos com as contas públicas em ordem

Despesas equilibradas levarão a aumento da confiança, retomada do investimento, crescimento econômico, do emprego e da renda. Com isso, observou o ministro, o País terá mais recursos disponíveis para investimento, consumo e queda dos juros estruturais.

“Sem o crescimento econômico, a pobreza e a desigualdade aumentam e as pessoas não melhoram seu padrão de vida. Elas não passam a patamar de bem-estar social”, observou.

Ele ainda relatou que essa proposta não é uma invenção brasileira. Entre outros países que adotaram medidas semelhantes estão Dinamarca, Finlândia, França, Hungria, Japão, Luxemburgo, Namíbia, Países Baixos, Espanha, Suécia e Estados Unidos.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Fazenda

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Petrobras vai propor abertura de capital da BR Distribuidora
Empresa vai levar proposta ao conselho de administração; anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Pedro Parente
Empresa vai levar proposta ao conselho de administração; anúncio foi feito pelo presidente da companhia, Pedro Parente
Petrobras vai propor abertura de capital da BR Distribuidora

Últimas imagens

Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, durante audiência pública sobre Previdência
Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, durante audiência pública sobre Previdência
Clésio Rocha/Planejamento
Em maio, Minas Gerais foi o estado que mais emitiu carteiras de trabalho
Em maio, Minas Gerais foi o estado que mais emitiu carteiras de trabalho
Arquivo EBC
Idosos com carteira assinada chegaram a 7,66 milhões em 2015
Idosos com carteira assinada chegaram a 7,66 milhões em 2015
Marcello Casal Jr/Abr
Despesas de brasileiros no exterior também foram destaque no resultado de maio
Despesas de brasileiros no exterior também foram destaque no resultado de maio
Arquivo EBC
Empresários estão mais otimistas com os negócios para os próximos seis meses
Empresários estão mais otimistas com os negócios para os próximos seis meses
Tony Winston/Agência Brasília

Governo digital