Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2016 > 09 > Já há projeções de melhora da inflação, afirma ministro

Economia e Emprego

Já há projeções de melhora da inflação, afirma ministro

Planejamento

Segundo Dyogo Oliveira, já é possível observar indicadores que apontam para a recuperação do valor de mercado das empresas brasileiras e queda do risco-Brasil
por Portal Brasil publicado: 16/09/2016 15h17 última modificação: 16/09/2016 15h39
Marcos Santos/USP Imagens O ministro defende que o novo regime fiscal, previsto na PEC 241, é fundamental para conter as despesas

O ministro defende que o novo regime fiscal, previsto na PEC 241, é fundamental para conter as despesas

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), Dyogo Oliveira, destacou que já há marcos positivos na economia brasileira, como projeções de melhora na expectativa de trajetória da inflação, de recuperação do PIB e dos índices de confiança de consumidores e empresários.

A declaração foi feita em reunião do Conselho Superior de Economia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na quinta-feira (15). Ele afirmou ainda que já se pode observar indicadores que apontam para a recuperação do valor de mercado das empresas brasileiras e queda do risco-Brasil.

Ainda assim, o ministro considerou que o cenário exige medidas enérgicas para possibilitar a retomada do crescimento da economia e reverter o déficit fiscal. Segundo Oliveira, para recuperar a estabilidade fiscal é necessário controlar a expansão dos gastos públicos. Ele considerou que hoje 90% da despesa pública é de natureza obrigatória e o restante, discricionária, o que aponta para necessidade de revisar, especialmente, os gastos previdenciários.

"O déficit do Regime Geral da Previdência Social passou de R$ 56,7 bilhões [2014] para R$ 181,2 bilhões [projeção para 2017] em apenas três exercícios. Esse deve ser um dos principais focos para reequilibrar as contas públicas”, disse o ministro ao pedir apoio do setor produtivo nacional para a reforma da Previdência que o governo irá encaminhar ao Congresso Nacional.

“Se nada for feito, a despesa da Previdência pode saltar dos atuais 8% do PIB para 17% em 2060. E isso levando-se em conta um crescimento de 2,5% do PIB”, projetou.

Novo regime

Diante desse contexto, Dyogo explicou que o novo regime fiscal, previsto na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, é fundamental para conter as despesas.

O novo regime prevê que o total das despesas do governo federal tenha seu crescimento limitado pela inflação durante os próximos dez anos. Após esse período, a regra poderá ser alterada para os dez anos seguintes.

Segundo o ministro, o novo regime reduzirá a pressão para o aumento da carga tributária e permitirá a geração de superávits necessários para a estabilidade macroeconômica. Com a regra, ainda ficará mitigado o efeito cíclico das despesas, reduzindo o endividamento público e aumentando a confiança dos investidores.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa vai promover exportação de indústrias brasileiras
Indústrias de 18 estados interessadas em atuar no comércio exterior têm até 15 de setembro para se inscreverem no programa Rota Global. A iniciativa oferece consultoria gratuita para empresas de todos os portes e setores industriais se consolidarem ou começarem a operação no mercado internacional
Indústrias de 18 estados interessadas em atuar no comércio exterior têm até 15 de setembro para se inscreverem no programa Rota Global. A iniciativa oferece consultoria gratuita para empresas de todos os portes e setores industriais se consolidarem ou começarem a operação no mercado internacional
Programa vai promover exportação de indústrias brasileiras

Últimas imagens

Em 2016, a produção nacional de soja em grão foi de 96,3 milhões de toneladas
Em 2016, a produção nacional de soja em grão foi de 96,3 milhões de toneladas
Jonas Oliveira/Governo do Paraná
Com reação do comércio e crescimento maior que esperado no segundo trimestre, projeção do PIB foi revisada para cima
Com reação do comércio e crescimento maior que esperado no segundo trimestre, projeção do PIB foi revisada para cima
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Preços dos alimentos voltaram a cair em setembro
Preços dos alimentos voltaram a cair em setembro
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Governo digital