Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2017 > 04 > Governo prepara política para a indústria automotiva

Economia e Emprego

Governo prepara política para a indústria automotiva

Veículos

O objetivo é criar um plano de desenvolvimento de longo prazo para o setor para incentivar investimentos até 2030
por Portal Brasil publicado: 18/04/2017 17h13 última modificação: 20/04/2017 12h01
Gilson Abreu/Federação das Indústrias do Paraná Debates seguirão por um período de 15 anos, com três ciclos de desenvolvimento

Debates seguirão por um período de 15 anos, com três ciclos de desenvolvimento

Para dar segurança aos investimentos e incentivar a competitividade da indústria nacional, o governo começa a preparar uma política estratégica para o setor automotivo. Os projetos, chamados de Novo Ciclo de Política Automotiva e de Rota 2030, foram lançados nesta terça-feira (18) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

“A partir da análise de como estará a indústria automotiva global e as novas tendências de mobilidade, vamos definir qual a inserção que a indústria brasileira deve buscar em 2030. E, a partir dessa visão de posicionamento, vamos traçar a rota para chegar lá", afirmou o ministro Marcos Pereira.

"Nosso compromisso é construir uma indústria automotiva brasileira competitiva globalmente. A Rota 2030 vai abranger um período de 15 anos, com três ciclos de desenvolvimento”, explicou.

Rota 2030

A Rota 2030 – Mobilidade e Logística: Integração às cadeias globais de valor de forma competitiva busca a integração competitiva da indústria automotiva instalada no Brasil no novo contexto global, diante da convergência das inovações tecnológicas com as mudanças no comportamento dos usuários que estão transformando a maneira como as montadoras desenvolvem e constroem os veículos.

Com o objetivo de construir o documento Rota 2030, será criado o Grupo de Alto Nível – Mobilidade e Logística (GAN 2030), que debaterá os principais desafios para a indústria automotiva nos próximos 15 anos e fará recomendações para reforçar a competitividade da cadeia de valor do setor automotivo no Brasil. “A criação do GAN é o reconhecimento de que o governo não faz nada sozinho, é um esforço conjunto entre indústria e governo”, destacou Pereira.

O GAN 2030 contará com seis Grupos de Trabalho: Reestruturação da cadeia de autopeças e apoio ao acesso ao mercado para as pequenas e médias empresas; P&D e engenharia, envolvendo conectividade e manufatura avançada; eficiência energética e novas tecnologias de motorização e seu alinhamento com as políticas de emissões e biocombustíveis; segurança ao longo do ciclo de vida do veículo; produção em baixos volumes, envolvendo veículos premium e sistemas automotivos estratégicos; e estrutura de custos para integração competitiva.

Mobilidade

Para tornar o Brasil um polo global de desenvolvimento e produção de veículos, o novo ciclo da política automotiva terá como guia as novas tendências de mobilidade. Dessa forma, a indústria nacional deve chegar em 2030 com tecnologia equivalente a de mercados avançados, integração ativa na cadeia global de suprimentos, competitividade na produção dos principais sistemas automotivos e capacidade de desenvolvimento de projetos globais.

Fonte: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil