Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2017 > 05 > Meirelles: reforma da Previdência terá efeito imediato nas contas públicas

Economia e Emprego

Meirelles: reforma da Previdência terá efeito imediato nas contas públicas

Equilíbrio fiscal

Em entrevista, titular do Ministério da Fazenda ressaltou os efeitos positivos da reforma da Previdência e avaliou que ela é fundamental para a retomada do crescimento
por Portal Brasil publicado: 11/05/2017 10h16 última modificação: 11/05/2017 14h48
José Cruz/Agência Brasil Durante entrevista, Meirelles ressaltou que reforma deixará a Previdência mais igualitária e sustentável

Durante entrevista, Meirelles ressaltou que reforma deixará a Previdência mais igualitária e sustentável

A aprovação da reforma da Previdência Social terá impactos imediatos nas contas públicas e será “fundamental” para que a economia brasileira gere mais empregos e não entre em falência. A avaliação foi feita nesta quinta-feira (11) pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

“A reforma da Previdência começa a fazer efeito imediatamente”, declarou Meirelles, durante entrevista ao programa Agora Brasil da Rede Nacional de Rádio. “A economia fiscal do projeto como está hoje gera algo um pouco superior a R$ 600 bilhões acumulados em dez anos [de economia]”, estimou.

Na visão do ministro, a economia brasileira já saiu do “fundo do poço” diante das reformas aplicadas pelo governo federal. Na ocasião, citou como exemplo o controle da inflação, o retorno da credibilidade e o ajuste nas contas públicas realizado no último ano. “Herdamos a maior recessão da história. Encontramos uma situação que era absurda. Agora, está tudo voltando ao normal”, ressaltou.

Aprovada numa comissão especial da Câmara dos Deputados, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera as regras previdenciárias prevê a adoção de uma idade miníma de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres terem acesso ao benefício, diante de um tempo de contribuição de 25 anos.

“A reforma da Previdência é fundamental porque hoje os brasileiros que estão contribuindo não estão contribuindo para gerar recursos e receber depois. Estão pagando a aposentadoria de quem já está aposentado”, afirmou. “Estamos tomando empréstimo para pagar as aposentadorias, o que vai aumentar a dívida pública. Isso é insustentável”, completou.

Com a reforma da Previdência, pontuou o ministro, não será necessário que as aposentadorias sejam suspendidas no futuro e haverá garantia de que as pessoas recebam seu direito social no futuro, como outros países tiveram de fazer. Para ele, o Brasil precisa crescer para gerar emprego e renda.

Crescimento

Ao ressaltar a situação da economia brasileira observada no início do governo, Meirelles avaliou que o desemprego e a recessão foram resultado de gastos excessivos feitos no passado e geraram um aumento “absolutamente descontrolado” do endividamento público.

No entanto, pontuou o ministro, as reformas econômicas postas em prática pelo governo federal conseguiram reverter a trajetória negativa da economia brasileira. “Agora nós já saímos do fundo do poço. Já estamos crescendo porque o governo federal cortou despesas e estamos fazendo as reformas necessárias”, disse.

Nas estimativas do ministro, a economia cresceu no primeiro trimestre do ano e o emprego deve começar a aumentar já no segundo semestre de 2017. Meirelles reforçou que a queda da inflação e da taxa de juros são fundamentais nesse processo. “Um país quebrado não vai resolver o problema de ninguém. Precisamos ter um País crescendo, gerando emprego e renda”, afirmou.

Fonte: Portal Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa vai promover exportação de indústrias brasileiras
Indústrias de 18 estados interessadas em atuar no comércio exterior têm até 15 de setembro para se inscreverem no programa Rota Global. A iniciativa oferece consultoria gratuita para empresas de todos os portes e setores industriais se consolidarem ou começarem a operação no mercado internacional
Indústrias de 18 estados interessadas em atuar no comércio exterior têm até 15 de setembro para se inscreverem no programa Rota Global. A iniciativa oferece consultoria gratuita para empresas de todos os portes e setores industriais se consolidarem ou começarem a operação no mercado internacional
Programa vai promover exportação de indústrias brasileiras

Últimas imagens

No acumulado do ano, arrecadação dos valores administrados pela Receita somou R$ 837,872 bilhões
No acumulado do ano, arrecadação dos valores administrados pela Receita somou R$ 837,872 bilhões
Arquivo/Agência Brasil
Preço caiu nas principais centrais do País
Preço caiu nas principais centrais do País
Clauduardo Abade/Conab

Governo digital