Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2017 > 08 > BC: reformas são fundamentais para gerar crescimento

Economia e Emprego

BC: reformas são fundamentais para gerar crescimento

Retomada

Presidente da instituição ressaltou o papel das medidas de ajuste fiscal para o crescimento econômico e o controle da inflação
por Portal Brasil publicado: 11/08/2017 15h06 última modificação: 11/08/2017 15h14

A aprovação das reformas econômicas, em especial a da Previdência Social, é fundamental para que o Brasil tenha condições de retomar um crescimento econômico sustentável. A declaração foi feita nesta sexta-feira (11) pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, em São Paulo (SP), durante o XII Seminário Anual sobre Riscos, Estabilidade Financeira e Economia Bancária.

Na avaliação do presidente da instituição, a aprovação das reformas de reequilíbrio das contas públicas é necessária para que a inflação continue controlada e para estabilizar o ambiente econômico, estimulando o crescimento do País.

“A aprovação e implementação das reformas, notadamente as de natureza fiscal e creditícia e de ajustes na economia brasileira que garantam o equilíbrio das contas públicas, são fundamentais para a sustentabilidade da desinflação e para a garantia de um ambiente estável que estimule o crescimento econômico”, apontou Goldfajn.

De acordo com ele, as medidas adotadas pelo governo federal nesse sentido já têm gerado resultados importantes, a exemplo do crescimento de 1% do Produto Interno Bruto no primeiro trimestre e dos bons resultados da balança comercial.

“Há sinais de estabilização da economia e de retomada gradual da atividade”, afirmou o presidente. “A economia brasileira cresceu 1%. É um crescimento muito forte”, completou.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Assunto(s): Economia

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Pesquisa do BC aponta que 56% não colocam no papel as contas do mês
Por outro lado, segundo levantamento do Banco Central, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia
Por outro lado, segundo levantamento do Banco Central, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia
Pesquisa do BC aponta que 56% não colocam no papel as contas do mês

Governo digital