Ciência e Tecnologia

Agência Espacial

Especialistas debatem temas relacionados ao clima espacial

No workshop serão formados grupos de trabalho em sistemas de posicionamento de satélites, telecomunicações e sistemas espaciais
publicado: 10/10/2013 19h46, última modificação: 22/12/2017 12h21

Nesta sexta-feira (11) o programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (Embrace), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos (SP), irá realizar um workshop com Usuários 2013. O Embrace monitora o comportamento do Sol e seus efeitos na Terra para gerar alertas úteis na operação de satélites, navegação de aeronaves, linhas de transmissão de energia, sistemas de comunicação, de defesa e até plataformas de petróleo.

Especialistas das empresas Embraer, Azul Linhas Aéreas, Atech, Furnas, dos órgãos governamentais Inmetro e IBGE, e das universidades Estadual de Campinas (Unicamp) e de São Paulo (USP), entre outras entidades debaterão questões relacionadas ao clima espacial.

“Estamos entrando em uma nova fase e apresentaremos outros produtos, que foram discutidos com os usuários no workshop anterior”, informa Clezio De Nardin, gerente do Embrace. Para ele,  o evento é uma oportunidade de levantar as necessidades tecnológicas de cada área.

Neste, que é o segundo curso com os usuários, serão formados grupos de trabalho nos seguintes temas: sistemas de posicionamento baseado em satélites, telecomunicações, sistemas tecnológicos de superfície, operações de satélite, lançadores e sistemas espaciais, e academia. 

Clima espacial

O Embrace monitora a atividade solar, o meio interplanetário e estuda fenômenos como tempestades geomagnéticas e bolhas de plasma, capazes de causar interferências em sistemas de satélites de posicionamento, como o GPS, além da possibilidade de induzir correntes elétricas em transformadores de linhas de transmissão de energia, por exemplo.

O programa oferece informação em tempo real, na internet, e realiza previsões sobre o sistema Sol-Terra para diagnósticos de seus efeitos sobre diferentes sistemas tecnológicos, em áreas como navegação e posicionamento por satélite (aeronaves, embarcações, plataformas petrolíferas, agricultura de precisão), comunicação (satélites geoestacionários, aeronaves), distribuição de energia (linhas de transmissão, dutos de distribuição de gás natural e petróleo), além dos sistemas de defesa nacional.

O monitoramento do clima espacial é resultado de décadas de pesquisas no Inpe, que, criado em 1961, teve suas primeiras atividades voltadas para as ciências espaciais e atmosféricas. O pioneirismo nos estudos dos processos básicos da interação Sol-Terra, realizados por meio de

Observações, abordagem teórica e simulação computacional, resultou nos últimos anos na criação do Embrace.

Confira a programação do workshop.

 

Fonte:

Agência Espacial Brasileira

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems