Notícias

Simples Nacional

Tire suas dúvidas sobre a adesão ao eSocial

Microempreendedores individuais e microempresas deverão entrar no sistema a partir de 16 de julho
publicado: 06/07/2018 11h33, última modificação: 06/07/2018 11h33
Tire suas dúvidas sobre a adesão ao eSocial

Mudanças vão trazer mais praticidade e menos gastos para microempreendedores - Foto: Arquivo/Agência Brasília

A segunda fase de adesão ao eSocial começa no próximo dia 16. Depois das grandes empresas, que iniciaram o processo em janeiro, agora será a vez dos microempreendedores Individuais (MEI) que têm empregados e empresas do Simples Nacional entrarem no sistema. Veja as principais perguntas e respostas sobre o cadastro: 

Como fazer a adesão ao eSocial? 

governo vai lançar plataformas simplificadas na Internet, nas quais MEIs e micro, pequenas e médias empresas poderão se cadastrar.  

Como será a adesão para os MEIs 

Para os microempreendedores individuais, que podem ter até um empregado, será necessário apenas cadastrar um código de acesso para inserir as informações trabalhistas. O ambiente simplificado não exigirá nenhum sistema do empregador, sendo que os dados serão informados diretamente no site do sistema.  

Como será a adesão para as microempresas?  

Qualquer empresa que tiver mais de um funcionário terá de adquirir um certificado digital, assinatura digital com validade jurídica que garante proteção a operações eletrônicas vendidas por empresas especializadas. Com essa assinatura será possível utilizar o portal para inserir os dados dos trabalhadores, sem necessidade de um sistema próprio. 

Por que aderir ao eSocial 

eSocial simplifica a prestação de informações trabalhistas pelos empregadores e reduz a burocracia para as empresas. Com ele, o preenchimento e a entrega de formulários e declarações serão unificados. Ele também permite que o governo fiscalize com mais eficácia o cumprimento das obrigações trabalhistas, o que beneficia também os empregados.  

E se eu não aderir ao eSocial 

A não adesão ao sistema implica em multas sobre o faturamento do MEI ou das microempresas. Por isso, é importante ficar atento aos prazos. A Receita Federal espera que até janeiro de 2019 todas as etapas de cadastramento para esse grupo tenham sido realizadas.  

Fontes: Governo do Brasil, com informações da Receita Federal