Esporte

Paralimpíadas

Relembre os recordes conquistados por atletas paralímpicos brasileiros na Rio 2016

No Dia Nacional do Atleta Paralímpico, comemorado nesta sexta (22), o País celebra a evolução brasileira nos Jogos Paralímpicos desde a primeira participação, em 1976
publicado: 22/09/2017 11h27, última modificação: 22/12/2017 19h07

No Dia Nacional do Atleta Paralímpico, celebrado nesta sexta-feira (22), o País pode comemorar o avanço dos resultados obtidos pelos atletas brasileiros em competições internacionais  em especial, os Jogos Paralímpicos. A primeira participação brasileira em Jogos aconteceu em 1972, mas foi apenas em 1976 que vieram as primeiras medalhas.

Para comemorar a data, o Portal Brasil relembra quem foram os nove atletas brasileiros, que bateram 11 recordes, mundiais e paralímpicos, na última edição dos Jogos Paralímpicos, no Rio de Janeiro, em 2016. Confira:

1  Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Mendes e Felipe Gomes

Lideraram a prova de revezamento 4x100 T11-T13 de ponta a ponta e bateram novo recorde paralímpico do revezamento com o tempo de 42s37, levando o ouro.

Divulgação/CPO

revezamento

2  Claudiney Batista

Conquistou o ouro no lançamento de disco classe F56, no Estádio Olímpico (Engenhão), no Rio de Janeiro. Com a distância de 45.33m, o brasileiro bateu também o recorde paralímpico, que era do cubano Leonardo Diaz (44.63m alcançados em Londres-2012).

Alaor Filho/MPIX/CPB

Claudiney Batista

3  Alessandro Silva

Em seis tentativas, seu segundo melhor lançamento, de 41.81m, já alcançou quase um metro a mais do que a marca do medalhista de prata, o italiano Oney Tapia, que fez 40.89m. Foi além do ouro e garantiu recorde paralímpico da prova, com lançamento de 43.06m no Engenhão.

Fernando Maia/MPIX/CPB

Alessandro Silva

4  Rodrigo Parreira

Conquistou a prata no salto em distância no Engenhão, que veio com recorde olímpico. A prata veio com recorde paralímpico. Na segunda tentativa, Rodrigo igualou a marca de 5.62m de Roman Pavlyk.

Arquivo/ Agência Brasil

Rodrigo Parreira

5  Petrúcio Ferreira

Ao entrar no Estádio Olímpico, o atleta brasileiro bateu o recorde mundial que já durava 24 anos. O nigeriano Adeoye Ajibola completou a prova na Paralimpíada de Barcelona (1992) em 10s72. Agora, a nova marca é de 10s67.

Alexandre Urch/MPIX/CPB

Petrúcio Ferreira

6  Mateus Evangelista

Com 6.53m – marca que foi batida logo em seguida pelo chinês Guangxu Shang, campeão da prova com 6.75m –, o brasileiro Mateus Evangelista ficou com a prata no salto em distância classe T37 (paralisados cerebrais).

Marcio Rodrigues/MPIX/CPB

Mateus Evangelista

7  Daniel Martins

O velocista brasileiro cravou 47s22 nos 400m da Classe T20, conquistou o ouro, unificou títulos paralímpico e mundial e fez a festa da torcida no Estádio Olímpico.

Daniel Brasil/MPIX/CPB

Daniel Martins

8  Ariosvaldo Silva

Na classe T53 dos 100 metros, o recorde paralímpico foi estabelecido por Ariosvaldo Silva, o Parré, que marcou 14s69 centésimos. Apesar do tempo estabelecido, o atleta ficou em quarto na final e desclassificado na final dos 400m T53 por ter invadido a raia ao seu lado na pista do Estádio Olímpico.

Marco Antonio Teixeira/MPIX/CPB

Ariosvaldo Silva

9  Verônica Hipólito

O atletismo feminino brilhou com Verônica Hipólito, que levou a prata nos 100m T38 e marcou o recorde paralímpico com 12s,84 centésimos. A jovem atleta também conquistou o bronze nos 400m T38.

Daniel Zappe/MPIX/CPB

Verônica

Clique aqui para conferir o quadro completo de atletas, medalhas e recordes de atletas do Brasil nas dez edições dos Jogos Olímpicos em que o País esteve.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Agência Brasil , Comitê Paralímpico Brasileiro e Rede Nacional do Esporte

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems