Saúde

Pesquisa indica que quase metade dos brasileiros está acima do peso

publicado: 10/04/2012 13h30, última modificação: 23/12/2017 02h48

O estudo divulgado nesta terça-feira (10) pelo Ministério da Saúde indica que o excesso de peso e a obesidade aumentaram no País, no período de 2006 a 2011. De acordo com a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), a proporção de pessoas acima do peso no Brasil passou de 42,7% em 2006 para 48,5% em 2011 - enquanto o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8% no mesmo período. 

Adoção de uma alimentação saudável previne o surgimento de doenças crônicas.

Doenças cardiovasculares são responsáveis por 29,4% de todas as mortes registradas no País em um ano.

O aumento da obesidade e do excesso de peso atinge tanto a população masculina quanto a feminina. Em 2006, 47,2% dos homens e 38,5% das mulheres estavam acima do peso, enquanto em 2011 as proporções passaram para 52,6% e 44,7%, respectivamente. 

Entre os homens, o problema do excesso de peso começa cedo e atinge 29,4% dos que têm entre 18 e 24 anos. Já entre homens de 25 a 34 anos, o índice quase dobra, chegando a 55%. Os que tem idade entre os 35 e 45 anos, o percentual é 63%. 

Dados do ministério indicam que o excesso de peso na população brasileira também está ligado a fatores como idade. O envelhecimento, segundo a pasta, tem forte influência nos indicativos - sobretudo femininos. O estudo aponta que 25,4% das mulheres entre 18 e 24 anos está acima do peso. A proporção aumenta para 39,9% entre mulheres de 25 a 34 anos, e chega a 55,9% dos 45 aos 54 anos. 

Em relação à obesidade, 6,3% dos homens de 18 a 24 anos se encaixam nessa categoria, contra 17,2% dos homens de 25 a 34 anos. 

Entre as mulheres, 6,9% das que têm de 18 a 24 anos são obesas. O índice quase dobra entre mulheres de 25 a 34 anos (12,4%) e quase triplica entre 35 e 44 anos (17,1%). Após os 45 anos, a frequência da obesidade se mantém estável, atingindo cerca de um quarto da população feminina. 

Foram entrevistados 54 mil adultos em todas as capitais do País e no Distrito Federal, entre janeiro e dezembro de 2011. 

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, o objetivo é acompanhar os hábitos da população brasileira e subsidiar políticas públicas. 

 

Fonte:
Agência Brasil