Saúde

Serviços de média e alta complexidades

Governo destina R$ 10,3 milhões à rede hospitalar da Bahia e do Mato Grosso do Sul

Recursos são do Fundo Nacional de Saúde e serão disponibilizados para a unidade hospitalar Ana Nery (BA) e ao Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (MS)
última modificação: 23/12/2017 11h09
Governo destina R$ 10,3 milhões à rede hospitalar da Bahia e do Mato Grosso do Sul

Com o recurso, os Estados custeiam serviços como consultas, exames, diagnósticos, tratamentos clínicos e cirúrgicos, entre outros - Foto: Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

O governo disponibilizou um reforço de R$ 10,3 milhões aos Estados da Bahia e do Mato Grosso do Sul, com o objetivo de ampliar os serviços de média e alta complexidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Os recursos são destinados ao custeio e qualificação dos atendimentos oferecidos à população pelo Hospital Ana Nery (BA) e Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (MS).

O Ana Nery tem reconhecimento pela excelência e referência nas áreas de cardiologia, nefrologia e cirurgia vascular. Já o hospital universitário Maria Aparecida Pedrossian é uma instituição considerada modelo em doenças infectocontagiosas, bem como em procedimentos de alta complexidade no tratamento de pacientes com HIV, TRS, diagnose, cirurgia cardiovascular, hemodiálise e neurologia, além de gestação de alto risco, urologia, tratamento com tomografia e litotripsia.

“Os recursos que estamos enviando reforçam o compromisso do Ministério da Saúde de melhorar o atendimento a milhares de pessoas. Certamente os dois hospitais poderão ampliar os serviços e ajudar a levar uma saúde de qualidade a quem precisa de atendimentos de média e alta complexidades nessas duas regiões”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros. 

Os valores são enviados pelo Fundo Nacional de Saúde aos respectivos fundos estaduais e municipais

Os valores são enviados pelo Fundo Nacional de Saúde aos respectivos fundos estaduais e municipais, a quem compete gerenciar a verba e distribuí-la para as instituições públicas e contratualizadas com o SUS. A verba está incorporada ao limite financeiro de média e alta complexidades dos dois Estados e fazem parte do Bloco MAC, destinado ao financiamento dos procedimentos e de incentivos permanentes, transferidos mensalmente para custeio de ações de média e alta complexidades.

Por meio desse recurso, os Estados custeiam serviços como consultas, exames, diagnósticos, tratamentos clínicos e cirúrgicos, reabilitações, acompanhamento pré e pós-operatório, UTI, transplantes, tratamento de doenças raras e obesidade, ortopedia, neurologia, queimados, cardiovascular entre outros serviços e procedimentos de média e alta complexidades.

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Portal da Saúde

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems