Você está aqui: Página Inicial > Educação > 2010 > 10 > Estudante pode solicitar créditos do Fies sem precisar mais apresentar fiador

Educação

Estudante pode solicitar créditos do Fies sem precisar mais apresentar fiador

por Portal Brasil publicado: 20/10/2010 17h34 última modificação: 28/07/2014 09h33

 

Duas medidas, anunciadas nesta quarta-feira (20) pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, devem tornar mais simples a utilização do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). A principal mudança é que, agora, o estudante que solicitar recursos do Fies não precisará mais apresentar um fiador. 

Para isso, foi instituído o Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (Fgeduc), que será o fiador do estudante, desde que ele esteja matriculado em cursos de licenciatura ou que tenha renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo e meio. O Fgeduc favorece os contratos futuros a serem firmados e, a partir desta quinta-feira (21), as universidades interessadas em dispensar os estudantes da apresentação de fiador no Fies, já poderão aderir ao novo modelo. 

A outra medida anunciada nesta quinta-feira permite a renegociação dos contratos antigos e a prorrogação do prazo de quitação. Os universitários que já fazem parte do Fies e estão pagando suas dívidas poderão pedir a ampliação do prazo. As universidades que aderirem abrirão mão de 7% do valor das mensalidades dos alunos sem fiador. 

Ao anunciar as medidas, o presidente da República lembrou que, um País como o Brasil, que tem estados com 92% dos estudantes universitários em escolas particulares, merecia o Fies, pois o fundo permite “universalizar as possibilidades para todo e qualquer jovem, independentemente da origem social, possa estudar”.

 

Como funcionará o Fgeduc 

Podem pedir o financiamento pelo Fies, sem a necessidade de apresentar fiadores: estudantes matriculados em cursos de licenciatura, estudantes que tenham renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo e meio e bolsistas parciais do Programa Universidade para Todos (ProUni) que optem por inscrição no Fies no mesmo curso em que são beneficiários da bolsa. 

Para recorrer ao fundo, o estudante deve, no momento da inscrição, optar pela nova modalidade e verificar se a instituição na qual pretende ingressar também a aderiu. A adesão das instituições participantes do Fies ao Fgeduc é voluntária, pelo Sistema Informatizado do Fies (SisFies).

O Fgeduc será composto por recursos do Tesouro Nacional e por parte dos títulos transferidos pelo Fies a instituições participantes. Independentemente do agente financeiro (Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil) escolhido pelo estudante, pode ser feita a opção pelo fundo garantidor. 

Renegociação 

Os estudantes que tenham firmado contrato com o Fies até 14 de janeiro deste ano podem pedir a revisão do prazo total de quitação para até três vezes o período de utilização do financiamento, acrescido de 12 meses. Essa regra já vale para os contratos firmados desde janeiro, quando foram publicadas as mudanças no fundo. 

Para verificar o novo valor da parcela, um simulador estará disponível na página eletrônica do Fies a partir desta quinta-feira (21). 

O pedido de renegociação deve ser feito pelo estudante no SisFies. Em seguida, precisa ser formalizado pelo estudante e por seu fiador na agência bancária na qual a operação foi contratada (com a apresentação da documentação exigida) por meio de termo aditivo ao contrato. Podem renegociar contratos os estudantes que estiverem nas fases de amortização 1 e 2 do financiamento e que paguem prestações de valor superior a R$ 100. Tanto os adimplentes quanto os inadimplentes podem pedir o benefício. 

Para o cálculo do novo prazo, será deduzido o período de amortização transcorrido até a data da formalização do pedido.

 

 


Fonte:
Ministério da Educação

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

O portal da Base Nacional Comum
Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Manuel Palácios explica como ocorrerá participação da sociedade.
A unificação curricular da Educação Básica
De acordo com Manuel Palácios, secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, unificação curricular contribuir para modernização do ensino.
A educação básica brasileira
Para secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Manuel Palácios, há compromisso das instituições de ensino e da população do País com ideal democrático.
Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Manuel Palácios explica como ocorrerá participação da sociedade.
O portal da Base Nacional Comum
De acordo com Manuel Palácios, secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, unificação curricular contribuir para modernização do ensino.
A unificação curricular da Educação Básica
Para secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Manuel Palácios, há compromisso das instituições de ensino e da população do País com ideal democrático.
A educação básica brasileira

Últimas imagens

Foram criados 50 novos cursos de Medicina em 45 municípios, resultando em 5,3 mil novas vagas
Foram criados 50 novos cursos de Medicina em 45 municípios, resultando em 5,3 mil novas vagas
Geyson Magno/MEC
Projeto cria instalações móveis para solucionar problemas relativos ao combate à infecção de cólera no Haiti
Projeto cria instalações móveis para solucionar problemas relativos ao combate à infecção de cólera no Haiti
Divulgação/Planalto
Contribuições serão para adequar o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) às novas diretrizes curriculares nacionais de medicina
Contribuições serão para adequar o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) às novas diretrizes curriculares nacionais de medicina
Divulgação/Governo de Alagoas
Período para a escolha das obras será aberto no dia 28 próximo e se estenderá até 8 de setembro
Período para a escolha das obras será aberto no dia 28 próximo e se estenderá até 8 de setembro
Divulgação/Governo da BA
Sistema eletrônico torna o procedimento mais ágil e reduz os gastos com aquisição de resmas de papel e aluguel de impressoras
Sistema eletrônico torna o procedimento mais ágil e reduz os gastos com aquisição de resmas de papel e aluguel de impressoras
Divulgação/MEC

Governo digital