Você está aqui: Página Inicial > Educação > 2012 > 03 > Ciência sem Fronteiras abre inscrições

Educação

Ciência sem Fronteiras abre inscrições

por Portal Brasil publicado: 19/03/2012 13h07 última modificação: 28/07/2014 16h40

O Programa Ciência sem Fronteiras abre inscrição nesta semana para estudantes de graduação nas áreas de ciência e de tecnologia interessados em estudar no exterior. São 5.800 bolsas, distribuídas em universidades da Austrália, Bélgica, Canadá, Coreia do Sul, Espanha, Holanda e Portugal. A bolsa pode chegar a até 12 meses de estudos, que serão depois aproveitados pela universidade brasileira de origem do estudante. Para esses países, há possibilidade de cursos de pós-graduação e graduação sanduíche.

Além do domínio da língua e de estarem matriculados em curso nas áreas consideradas prioritárias pelo Programa Ciência sem Fronteiras, os candidatos devem ter desempenho acadêmico satisfatório e ter cursado no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto. As inscrições começam na quarta-feira (21) e vão até 30 de abril.

Os editais já podem ser consultados no site do Ciência sem Fronteiras. “Com exceção de Portugal, é a primeira vez que o Brasil está encaminhando estudantes para esses países”, ressalta Geraldo Nunes, coordenador geral de bolsas no exterior da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

 

Inglaterra

Há oportunidade de bolsas também para interessados em doutorado no Reino Unido. As inscrições vão até 26 de abril. As universidades de Nottingham e Birmingham oferecem 20 vagas para doutorado pleno e dez para doutorado sanduíche. O edital já está disponível.

Os projetos de pesquisa de doutorado devem ser em áreas de ciências biomédicas e da saúde; computação e tecnologias da informação; tecnologia aeroespacial; fármacos; produção agrícola sustentável; petróleo, gás e carvão mineral; energias renováveis; biotecnologia; nanotecnologia e novos materiais; biodiversidade e bioprospecção.

Os doutorados nessas instituições diferem da maioria na Inglaterra e têm duração de 36 meses. “Esperamos que esses bolsistas voltem e permaneçam no País por, pelo menos, o mesmo período em que ficaram estudando no exterior com o nosso apoio e contribua com pesquisas em empresas e instituições brasileiras”,  explica o coordenador Geraldo Nunes.

 

Programa

O Ciência sem Fronteiras é uma iniciativa do governo federal e prevê a concessão de 100 mil bolsas de estudo no exterior em quatro anos. O programa é uma parceria entre os ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio da Capes e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

 

Fonte:
Ministério da Educação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Ministro pede negociações em Curitiba
Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, pede diálogo e volta das negociações entre governo e professores de Curitiba
Olimpíada Brasileira de Biologia encerra incrições
Competição voltada alunos do ensino médio em curso ou que já concluiram, mas ainda não iniciaram o curso de graduação
MEC estipula novas regras para o ProUni
Nesta edição, estudante poderá transferir bolsa de estudo remanescente entre cursos de áreas afins
Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, pede diálogo e volta das negociações entre governo e professores de Curitiba
Ministro pede negociações em Curitiba
Competição voltada alunos do ensino médio em curso ou que já concluiram, mas ainda não iniciaram o curso de graduação
Olimpíada Brasileira de Biologia encerra incrições
Nesta edição, estudante poderá transferir bolsa de estudo remanescente entre cursos de áreas afins
MEC estipula novas regras para o ProUni

Últimas imagens

 Austrália vem sendo importante parceiro do Brasil no programa Ciência sem Fronteiras
Austrália vem sendo importante parceiro do Brasil no programa Ciência sem Fronteiras
Divulgação/Ciências sem Fronteiras
Pode se inscrever estudante que, cumulativamente, não tenha concluído curso superior, tenha feito a prova do Enem, a partir da edição de 2010 e obtido média superior a 450 pontos
Pode se inscrever estudante que, cumulativamente, não tenha concluído curso superior, tenha feito a prova do Enem, a partir da edição de 2010 e obtido média superior a 450 pontos
Divulgação/MEC
Número de matrículas de pessoas com deficiência em escolas regulares cresceu mais de 400% nos últimos 12 anos
Número de matrículas de pessoas com deficiência em escolas regulares cresceu mais de 400% nos últimos 12 anos
Divulgação/Governo de Sergipe
Os cursos são gratuitos na modalidade a distância e oferecem mais de 1500 horas de qualificação
Os cursos são gratuitos na modalidade a distância e oferecem mais de 1500 horas de qualificação
Divulgação/Governo de AL
Renovações devem ser feitas por meio do Sistema Informatizado do Fies (SisFies)
Renovações devem ser feitas por meio do Sistema Informatizado do Fies (SisFies)
Divulgação/FNDE

Governo digital