Você está aqui: Página Inicial > Educação > 2012 > 03 > Pronacampo vai melhorar qualidade do ensino no campo para aumentar produtividade

Educação

Pronacampo vai melhorar qualidade do ensino no campo para aumentar produtividade

por Portal Brasil publicado: 20/03/2012 17h18 última modificação: 28/07/2014 16h40

O governo federal lançou nesta terça-feira (20), o Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo), que vai oferecer apoio técnico e financeiro aos estados, Distrito Federal e municípios para implementação da política de educação do campo. A cerimônia de apresentação do programa teve a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, e do ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Conheça mais programas de educação no campo.

O objetivo é formar agricultores em universidades e em cursos técnicos para que apliquem os conhecimentos adquiridos em ações que elevam a produtividade nas pequenas propriedades e garantir a distribuição de renda. O programa atenderá escolas rurais e quilombolas. No campo, 23,18% da população com mais de 15 anos é analfabeta e 50,95% não concluiu o ensino fundamental.

O Pronacampo baseará suas ações em quatro eixos: gestão e práticas pedagógicas, formação de professores, educação de jovens e adultos e educação profissional e tecnológica. Uma das ações previstas é a educação contextualizada, que promova a interação entre o conhecimento científico e os saberes das comunidades.

Para a presidenta Dilma Rousseff, o Pronacampo proporcionará às gerações futuras mais oportunidades por melhorar a qualidade da educação na área rural. “Dentro da nossa estratégia de combate à miséria, junto com o Bolsa Família, a nossa busca ativa, este programa é um dos eixos estratégicos porque aposta não só em retirar as pessoas das condições de miséria a que foram condenadas durante décadas, mas implica sobretudo em garantir que as gerações futuras terão um outro tipo de horizonte de oportunidades à sua frente”.

Mais de 3 milhões de estudantes receberão material didático relacionado à realidade do campo, por meio do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD Campo). O Programa Nacional de Biblioteca da Escola (PNBE) atenderá professores e estudantes, ao oferecer obras de referência sobre as especificidades do campo e das comunidades remanescentes de quilombos.

O programa Mais Educação, de apoio à educação integral, oferecerá atividades de acompanhamento pedagógico, práticas vinculadas a agroecologia, iniciação científica, direitos humanos, cultura e arte popular, esporte, lazer, memória e história das comunidades tradicionais. A meta é atender 10 mil escolas com educação integral até 2014.

Segundo a presidenta, o Pronacampo, juntamente com outras programas do governo, tornará o campo um lugar com qualidade para os agricultores criarem seus filhos.

“Estamos apostando sobretudo que uma outra geração também se beneficiará com tudo isto que fazemos nesta, mudando a feição do campo brasileiro e garantindo que ele será um lugar digno, de qualidade para se morar e se criar os filhos. Eu acho que esse papel do Pronacampo é estratégico, sem isso, nós não teremos de fato condições de transformar o Brasil numa grande nação”, afirmou

Professores

A formação de professores também receberá atenção especial, com oferta de aperfeiçoamento para professores do campo e de escolas quilombolas. Além disso, o Pronacampo apoiará a oferta de formação inicial, continuada e pós-graduação para professores, gestores e coordenadores pedagógicos que atuam na educação básica do campo.

Para reforçar a formação de professores, serão oferecidos cursos de licenciatura em educação do campo pelas instituições públicas de ensino superior. A Universidade Aberta do Brasil (UAB) expandirá 200 polos para atender os professores do campo e serão destinados recursos de apoio à manutenção dos polos por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola.

Adultos

Para desenvolver a educação de jovens e adultos e educação profissional e tecnológica, o governo federal pretende expandir a oferta de cursos voltados ao desenvolvimento do campo nos institutos federais. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) apoiará a inclusão social dos jovens e trabalhadores do campo. Para isso, serão dedicadas 120 mil bolsas de estudo do Pronatec Campo.

O quarto eixo do Pronacampo trata da infraestrutura física e tecnológica das escolas. Até 2014, o programa apoiará a construção de 3 mil escolas, obras de infraestrutura e a aquisição de 8 mil ônibus escolares. Além da estrutura física, o Pronacampo promoverá a educação digital e o uso pedagógico da informática nas escolas do campo e quilombolas. Também está prevista a instalação de recursos digitais em 20 mil escolas até 2014. 

“Este é um daqueles momentos em que a gente tem orgulho de ser presidente da República. Não é um orgulho qualquer, porque a mim me gratifica como presidenta aplicar, implementar um programa que vai levar, sobretudo à população jovem deste País, um outro destino, a possibilidade de outros de sonhos e de mais realizações”, disse.

 

Fonte:
Ministério da Educação
Blog do Planalto

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Erro
Ocorreu um erro enquanto renderizando o portlet.

Últimas imagens

Recursos destinam-se a pequenos reparos, manutenção da infraestrutura, compra de material de consumo e de bens permanentes
Recursos destinam-se a pequenos reparos, manutenção da infraestrutura, compra de material de consumo e de bens permanentes
Divulgação/MEC
Período de coleta vai até 27 de março próximo para as universidades federais e até 24 de abril para as demais instituições públicas e particulares
Período de coleta vai até 27 de março próximo para as universidades federais e até 24 de abril para as demais instituições públicas e particulares
Divulgação/EBC
Normas vigentes determinam que os recursos públicos devem ser remunerados em aplicação financeira até sua utilização
Normas vigentes determinam que os recursos públicos devem ser remunerados em aplicação financeira até sua utilização
Divulgação/FNDE
Alunos, pais, professores, gestores, comunidade escolar, academia, estudiosos e sociedade em geral podem fazer suas propostas, sugestões e comentários
Alunos, pais, professores, gestores, comunidade escolar, academia, estudiosos e sociedade em geral podem fazer suas propostas, sugestões e comentários
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul
Pesquisador Magnus e o Diretor Municipal de Economia e Inovação na Câmara Municipal de Lisboa Paulo Carvalho
Pesquisador Magnus e o Diretor Municipal de Economia e Inovação na Câmara Municipal de Lisboa Paulo Carvalho
Divulgação/Capes

Governo digital