Você está aqui: Página Inicial > Educação > 2014 > 10 > Instituto Federal de Brasília será polo certificador no exterior

Educação

Instituto Federal de Brasília será polo certificador no exterior

Encceja

Também caberá ao Colégio Pedro II (RJ) a certificação de competências de brasileiros que vivem fora do País
por Portal Brasil publicado: 06/10/2014 14h15 última modificação: 06/10/2014 14h15

A certificação para fins de conclusão do ensino médio de brasileiros que moram no exterior passa a ser atribuição do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB). 

O acordo de cooperação técnica para realização do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) no exterior, firmado nesta última sexta-feira (3), em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), terá vigência de cinco anos, com possibilidade de prorrogação. 

A emissão do certificado tem por base os resultados de desempenho dos candidatos obtidos no Encceja. Para tanto, os participantes do exame precisam atingir uma nota mínima, definida pelo Inep. O candidato deve ter idade mínima de 18 anos completos na data de realização das provas. O processo de certificação pelo IFB terá acompanhamento técnico do Inep. A entrega do diploma será feita por meio das embaixadas do Brasil no país de aplicação do exame.

“Nossa preocupação é promover a inclusão social e a transformação da sociedade pela educação. O IFB pode colaborar fornecendo o certificado a quem atingiu o nível educacional necessário à continuidade da carreira”, afirma o reitor do IFB, Wilson Conciani.

Ensino fundamental 

A certificação dos aprovados no Encceja no exterior para o ensino fundamental cabe ao Colégio Pedro II, uma das mais respeitadas instituições de ensino do País, com sede no Rio de Janeiro. O reitor Oscar Halac salienta a importância de atender aos brasileiros que vivem fora do Brasil e querem obter o certificado. “Estamos cumprindo o nosso papel; o Pedro II quer colaborar com essa iniciativa”, diz.

As provas do Encceja já foram aplicadas em Ota, Hamamatsu e Nagóia (Japão); Lisboa (Portugal); Bruxelas (Bélgica); Caiena (Guiana Francesa); Boston e São Francisco (Estados Unidos).

O Encceja é feito por pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir o ensino fundamental e o médio na idade apropriada e pretendem obter a certificação de conclusão. Os resultados garantem a certificação do ensino fundamental para quem vive no Brasil e dos ensinos fundamental e médio para aqueles que moram no exterior.

Saiba mais

O Encceja no exterior é realizado por meio de parceria entre o Inep e o Ministério das Relações Exteriores, responsável pela logística de aplicação das provas.

Os candidatos do ensino médio fazem provas de linguagens, códigos e suas tecnologias (língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e educação física); matemática e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia); ciências da natureza e suas tecnologias (química, física e biologia).

Para o ensino fundamental, são aplicadas provas de língua portuguesa, com redação; língua estrangeira moderna; educação física e educação artística; matemática; história e geografia e ciências naturais. Para concorrer ao certificado de conclusão do ensino fundamental é preciso ter no mínimo 15 anos completos na data de realização das provas.

Fonte:
Ministério da Educação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Redação do Enem leva candidatos a estudar técnicas e temas
A menos de um mês para o exame, candidatos a investem em técnicas para escrever um bom texto e na busca sobre os possíveis temas do exame
Frequência dos alunos do Bolsa Família foi a segunda melhor registrada
O acompanhamento da saúde dos beneficiários já chega a mais de 8 milhões de famílias
Aumenta número de estudantes na modalidade de ensino superior a distância
Quase 1,5 milhão de matrículas foram realizadas no ensino superior a distância em 2017, um aumento de praticamente 8% em comparação com o ano passado
A menos de um mês para o exame, candidatos a investem em técnicas para escrever um bom texto e na busca sobre os possíveis temas do exame
Redação do Enem leva candidatos a estudar técnicas e temas
O acompanhamento da saúde dos beneficiários já chega a mais de 8 milhões de famílias
Frequência dos alunos do Bolsa Família foi a segunda melhor registrada
Quase 1,5 milhão de matrículas foram realizadas no ensino superior a distância em 2017, um aumento de praticamente 8% em comparação com o ano passado
Aumenta número de estudantes na modalidade de ensino superior a distância

Últimas imagens

Iniciativa, segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, tem objetivo de aperfeiçoar a formação dos profissionais
Iniciativa, segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, tem objetivo de aperfeiçoar a formação dos profissionais
Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Entidades certificadas são obrigadas a oferecer bolsas de estudo
Entidades certificadas são obrigadas a oferecer bolsas de estudo
Divulgação/Governo do Amazonas
Construções vão beneficiar 2,6 mil crianças em sete bairros da capital
Construções vão beneficiar 2,6 mil crianças em sete bairros da capital
João Bittar/MEC
A partir deste ano, Enem não poderá ser usado para certificar o ensino médio
A partir deste ano, Enem não poderá ser usado para certificar o ensino médio
Cecília Bastos/USP Imagens

Governo digital