Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2012 > 09 > Programa de Voluntários da Copa 2014 recebeu mais de 130 mil inscrições

Esporte

Programa de Voluntários da Copa 2014 recebeu mais de 130 mil inscrições

por Portal Brasil publicado: 24/09/2012 19h34 última modificação: 28/07/2014 16h59
Portal da Copa 2014 A previsão é de que 7 mil voluntários trabalhem na Copa das Confederações e 15 mil na Copa do Mundo de 2014

A previsão é de que 7 mil voluntários trabalhem na Copa das Confederações e 15 mil na Copa do Mundo de 2014

Representantes de 147 países manifestaram interesse em atuar na Copa das Confederações e no Mundial de 2014

A Fifa divulgou, nesta segunda-feira (24), os números finais do processo de cadastramento de interessados em participar como voluntários da Copa do Mundo da Fifa 2014, da Copa das Confederações da Fifa 2013 e dos sorteios das chaves dessas duas competições. O total de candidatos chegou a 130.919.

O objetivo inicial era de 90 mil inscritos, e  foi alcançado após oito dias de inscrições.

As 130.919 inscrições representam um recorde significativo. Na Copa do Mundo da Fifa Alemanha 2006 foram 48 mil inscritos; na África do Sul 2010, 70 mil. Do total de interessados, 97% querem trabalhar na Copa do Mundo e 76% na Copa das Confederações.

“Estávamos confiantes em relação ao sucesso do programa tendo em vista a paixão por futebol que caracteriza o povo brasileiro, mas nem a nossa previsão mais otimista apontava mais de 130 mil interessados. Entendemos essa mobilização como mais uma prova de que, de tão grande, não podemos medir a expectativa e a empolgação das pessoas em relação à Copa do Mundo da Fifa no Brasil”, afirma o diretor-executivo de operações e competições do COL, Ricardo Trade.

Além de brasileiros dos 26 estados e do DF, há 7.450 candidatos de outros países. Países de língua espanhola lideram o ranking dos quatro primeiros: Colômbia (908), Argentina (509), Espanha (504) e México (500).

“Além do intercâmbio cultural que caracteriza o voluntariado em grandes eventos esportivos, a participação de estrangeiros garante a oferta de voluntários para áreas que necessitam de pessoas que falem outros idiomas, como as de competições e atendimento à imprensa”, explica o gerente de voluntários do COL, Rodrigo Hermida.

O Comitê da Copa entrará em contato com os candidatos que se inscreveram para trabalhar na Copa das Confederações da Fifa a partir de novembro, estando prevista para dezembro a próxima etapa do processo de seleção. No caso da Copa do Mundo da Fifa, o cronograma se repete, um ano depois.

Como funciona

O trabalho voluntário não é remunerado, mas o Comitê e a Fifa oferecem aos selecionados uniformes, auxílio para deslocamento até o local das atividades (dentro da cidade-sede) e alimentação durante o período de trabalho.

Os candidatos devem preencher alguns requisitos, como ter no mínimo 18 anos e disponibilidade de atuar pelo menos 20 dias corridos na época dos eventos. Cada turno de trabalho dura até 10 horas. Durante o processo de seleção serão verificadas as habilidades, perfil e conhecimentos de cada inscrito.

As dez Unidades da Federação com maior número de inscritos

SP: 33.208

RJ: 18.763

MG: 13.247

DF: 8.496

BA: 8.228

RS: 7.069

CE: 5.903

PE: 5.543

PR: 4.935

AM: 4.299

Os dez países com o maior número de inscritos

Colômbia: 908

Argentina: 509

Espanha: 504

México: 500

Estados Unidos: 482

Polônia: 458

Peru: 331

China: 282

Alemanha: 247

Ucrânia: 165

Distribuição por faixa etária:

16 a 25 anos: 67.449

26 a 40 anos: 44.871

41 a 64 anos: 17.812

Mais de 65 anos: 787

Distribuição por gênero:

Mulheres: 62.879

Homens: 68.040

 

Leia mais:

Portal da Transparência da Copa do Mundo 2014 tem nova versão

Estádios da Copa 2014 vão ter práticas sustentáveis

Porto Alegre inaugura centro de treinamento policial para Copa 2014

 

Fonte:

Fifa
Portal da Copa 2014

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais 56 atletas são contemplados com a Bolsa Pódio
No total, 239 esportistas já contam o apoio. A categoria Pódio é patrocínio para esportistas com chances reais de medalhas
Mais de 180 atletas receberão a Bolsa Pódio
Ministério do Esporte anuncia primeira lista de beneficiados. Subsídios variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
No total, 239 esportistas já contam o apoio. A categoria Pódio é patrocínio para esportistas com chances reais de medalhas
Mais 56 atletas são contemplados com a Bolsa Pódio
Ministério do Esporte anuncia primeira lista de beneficiados. Subsídios variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil
Mais de 180 atletas receberão a Bolsa Pódio
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta

Últimas imagens

Manutenção da bolsa foi uma das prioridades do Ministério da Educação
Manutenção da bolsa foi uma das prioridades do Ministério da Educação
Francisco Medeiros/Ministério da Educação
Serão concedidas bolsas entre R$ 5 mil e R$ 15 mil para atletas de 17 modalidades olímpicas e paralímpicas
Serão concedidas bolsas entre R$ 5 mil e R$ 15 mil para atletas de 17 modalidades olímpicas e paralímpicas
Foto: Gabriel Heusi/ brasil2016.gov.br
Atletas dos principais clubes do Brasil foram escolhidas pela comissão técnica da seleção brasileira
Atletas dos principais clubes do Brasil foram escolhidas pela comissão técnica da seleção brasileira
Foto: Rafael Bello/COB
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
Marco Antônio Teixeira/CBV
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Foto: Gabriela Sabau/IJF

Governo digital