Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2012 > 09 > Tatu-bola, mascote da Copa de 2014, é apresentado ao mundo

Esporte

Tatu-bola, mascote da Copa de 2014, é apresentado ao mundo

Mundial

Nome do bicho será escolhido pelo público em votação na internet a partir de três opções: Amijubi, Fuleco e Zuzeco
por Portal Brasil publicado: 17/09/2012 18h10 última modificação: 28/07/2014 16h59
Portal da Copa 2014 Existem 11 espécies de tatu no Brasil. Mas a do tatu-bola, é exclusiva do País

Existem 11 espécies de tatu no Brasil. Mas a do tatu-bola, é exclusiva do País

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) e o Comitê Organizador Local (COL) anunciaram no domingo (16) o mascote oficial da Copa de 2014: o Tolypeutes tricinctus, o famoso tatu-bola, uma criatura nativa do Brasil. O mascote foi apresentada oficialmente pelo ex-jogador Ronaldo, membro do Conselho de Administração do COL.

"Estou muito feliz por dar as boas-vindas a um membro tão importante da equipe de 2014", afirmou Ronaldo. "O mascote vai desempenhar um importante papel de embaixador nos próximos dois anos, disse. "

O anúncio se seguiu a uma semana de atividades, durante a qual o mascote fez uma série de visitas ao Brasil. Na praia de Boa Viagem, no Recife, ela distribuiu 2014 bolas azuis, representando o seu casco. Em São Paulo, foi apresentado a torcedores brasileiros em formato digital, por meio de diversas transmissões de jogos ao vivo.

O desenho final foi escolhido  após a análise de 47 propostas de seis agências de publicidade brasileiras. O mascote oficial também tem a sua própria canção: Tatu Bom de Bola, cantada pelo sambista Arlindo Cruz.

 

"É importante destacar que o tatu-bola é uma espécie vulnerável", afirmou o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. "Com este mascote, vamos poder realizar um dos principais objetivos da Copa do Mundo da Fifa 2014, que é comunicar a importância do meio ambiente e da ecologia. Temos certeza de que ele será amada não apenas no Brasil, mas no mundo todo."

Votação
A população brasileira agora terá a oportunidade de batizar o mascote oficial por meio de uma eleição aberta até novembro. As três opções são: Amijubi — uma representação de simpatia e alegria - e dois nomes com uma mensagem ecológica: Fuleco e Zuzeco. Vote aqui

A escolha
“Irreverente, original. E já caiu nas graças dos brasileiros”. Assim o secretário executivo da Associação Caatinga, entidade não governamental que fez a campanha pelo tatu-bola,  Rodrigo Castro, define o mascote,  um mamífero de até 50 cm de comprimento e de, no máximo 1,2 kg. O bichinho não sabe cavar tocas, mas enrola-se num formato de bola para se defender.

Campanha
Em janeiro de 2011, a Associação Caatinga estava reunida para identificar oportunidades e  discutir questões ambientais em virtude do Mundial. Surgiu, então, a ideia de propor uma mascote. “Quando disseram tatu-bola, houve um silêncio. Todo mundo concordou na hora. Ele é o único mamífero que assume o formato de bola. E a bola é protagonista da Copa”, conta Rodrigo.

A ideia virou campanha na internet, especialmente nas redes sociais. Aos poucos, o apoio de sites, blogs e portais foi crescendo. A divulgação na mídia também. Primeiro, nos meios de comunicação de Fortaleza, sede da entidade, e do estado do Ceará. Depois, em âmbito nacional.

 “Percebemos que a campanha tinha potencial e decidimos oficializá-la. Redigimos um documento de 20 páginas e enviamos ao Ministério do Esporte, para o Comitê Organizador Local (COL) e para a Fifa. O tatu-bola é 100% brasileiro e a Copa é uma ótima oportunidade de divulgar a importância da preservação da espécie”, explica Rodrigo.

Segundo a Associação Caatinga, há 11 espécies de tatu no Brasil. Mas a do tatu-bola é exclusiva do País. 

Projeto de conservação
Faltam informações mais precisas sobre hábitos alimentares, ciclos reprodutivos e distribuição geográfica do tatu-bola. Essa necessidade de se conhecer mais a espécie, aliada à ameaça de extinção, motivaram a Associação Caatinga, em parceria com entidades internacionais, a criar um projeto de conservação da espécie. A proposta é elaborar pesquisas e estudos e promover a preservação do habitat do tatu-bola.

Também estão previstas campanhas de educação ambiental, um plano de divulgação dos resultados dos estudos e o fortalecimento de entidades e redes de pesquisadores, para que tenham condições ideais de trabalho em campo e de desenvolvimento das pesquisas. 

História
Segundo a Fifa, o primeiro mascote oficial apareceu na Copa do Mundo realizada na Inglaterra em 1966 e se tratava de um leão, chamado Willie, que se vestia com as cores da bandeira do país-sede. Já o último mascote escolhido também foi um felino: o leopardo Zakumi, anunciado para a edição do da África do Sul.

Confira a lista de mascotes: Inglaterra (1966) - Willie (leão); México (1970) - Juanito (menino); Alemanha Ocidental (1974) - Tip e Tap (dois meninos); Argentina (1978) - Gauchito (menino jogador de futebol); Espanha (1982) - Naranjito (laranja); México (1986) - Pique (pimenta); Itália (1990) - Ciao (jogador montado com blocos de armar); EUA (1994) - Striker (cão); França (1998) - Footix (galo); Coreia do Sul/Japão 2002 - Ato, Kaz e Nik (figuras futuristas); Alemanha (2006) - Goleo VI e Pille (leão e bola falante); África do Sul (2010) - Zakumi (leopardo)

 

 

Fontes: 
Ministério do Esporte
Portal da Copa 2014
Portal Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Tocha olímpica visita a Rota do Descobrimento na Bahia
Chama começou o dia na Rota do Descobrimento em ‎Eunápolis, passou por Itapetinga, a Cidade do Boi Gordo, e encerrou o dia em Vitória da Conquista
Ministro do Esporte visita instalações do Parque Olímpico da Barra da Tijuca
Leonardo Picciani visitou as instalações do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, que já tem 88% das obras concluídas
Caio Sena conta como se prepara para Olimpíadas no Brasil
Conheça a história de Caio Sena. Aos 24 anos, o atleta de marcha atlética qualificado para as Olimpíadas Rio 2016, vive o sonho de disputar os jogos no Brasil.
Chama começou o dia na Rota do Descobrimento em ‎Eunápolis, passou por Itapetinga, a Cidade do Boi Gordo, e encerrou o dia em Vitória da Conquista
Tocha olímpica visita a Rota do Descobrimento na Bahia
Leonardo Picciani visitou as instalações do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, que já tem 88% das obras concluídas
Ministro do Esporte visita instalações do Parque Olímpico da Barra da Tijuca
Conheça a história de Caio Sena. Aos 24 anos, o atleta de marcha atlética qualificado para as Olimpíadas Rio 2016, vive o sonho de disputar os jogos no Brasil.
Caio Sena conta como se prepara para Olimpíadas no Brasil

Últimas imagens

Popole Misenga e Yolande Mabika fugiram de conflitos na República Democrática do Congo em 2013 e tentam reconstruir a vida no Brasil
Popole Misenga e Yolande Mabika fugiram de conflitos na República Democrática do Congo em 2013 e tentam reconstruir a vida no Brasil
Divulgação/Brasil 2016
Centro Aquático de Deodoro é sede de treinos e competições nacionais e internacionais
Centro Aquático de Deodoro é sede de treinos e competições nacionais e internacionais
Divulgação/Ministério da Educação
Nadador Gustavo Borges tem quatro conquistas em olimpíadas: duas pratas em Barcelona, e nos 200 metros livres em 1996) e dois bronzes em 1996 e no revezamento em 2000
Nadador Gustavo Borges tem quatro conquistas em olimpíadas: duas pratas em Barcelona, e nos 200 metros livres em 1996) e dois bronzes em 1996 e no revezamento em 2000
Divulgação/Brasil 2016

Governo digital