Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2012 > 09 > Tatu-bola, mascote da Copa de 2014, é apresentado ao mundo

Esporte

Tatu-bola, mascote da Copa de 2014, é apresentado ao mundo

Mundial

Nome do bicho será escolhido pelo público em votação na internet a partir de três opções: Amijubi, Fuleco e Zuzeco
por Portal Brasil publicado : 17/09/2012 18h10
Portal da Copa 2014 Existem 11 espécies de tatu no Brasil. Mas a do tatu-bola, é exclusiva do País

Existem 11 espécies de tatu no Brasil. Mas a do tatu-bola, é exclusiva do País

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) e o Comitê Organizador Local (COL) anunciaram no domingo (16) o mascote oficial da Copa de 2014: o Tolypeutes tricinctus, o famoso tatu-bola, uma criatura nativa do Brasil. O mascote foi apresentada oficialmente pelo ex-jogador Ronaldo, membro do Conselho de Administração do COL.

"Estou muito feliz por dar as boas-vindas a um membro tão importante da equipe de 2014", afirmou Ronaldo. "O mascote vai desempenhar um importante papel de embaixador nos próximos dois anos, disse. "

O anúncio se seguiu a uma semana de atividades, durante a qual o mascote fez uma série de visitas ao Brasil. Na praia de Boa Viagem, no Recife, ela distribuiu 2014 bolas azuis, representando o seu casco. Em São Paulo, foi apresentado a torcedores brasileiros em formato digital, por meio de diversas transmissões de jogos ao vivo.

O desenho final foi escolhido  após a análise de 47 propostas de seis agências de publicidade brasileiras. O mascote oficial também tem a sua própria canção: Tatu Bom de Bola, cantada pelo sambista Arlindo Cruz.

 

"É importante destacar que o tatu-bola é uma espécie vulnerável", afirmou o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. "Com este mascote, vamos poder realizar um dos principais objetivos da Copa do Mundo da Fifa 2014, que é comunicar a importância do meio ambiente e da ecologia. Temos certeza de que ele será amada não apenas no Brasil, mas no mundo todo."

Votação
A população brasileira agora terá a oportunidade de batizar o mascote oficial por meio de uma eleição aberta até novembro. As três opções são: Amijubi — uma representação de simpatia e alegria - e dois nomes com uma mensagem ecológica: Fuleco e Zuzeco. Vote aqui

A escolha
“Irreverente, original. E já caiu nas graças dos brasileiros”. Assim o secretário executivo da Associação Caatinga, entidade não governamental que fez a campanha pelo tatu-bola,  Rodrigo Castro, define o mascote,  um mamífero de até 50 cm de comprimento e de, no máximo 1,2 kg. O bichinho não sabe cavar tocas, mas enrola-se num formato de bola para se defender.

Campanha
Em janeiro de 2011, a Associação Caatinga estava reunida para identificar oportunidades e  discutir questões ambientais em virtude do Mundial. Surgiu, então, a ideia de propor uma mascote. “Quando disseram tatu-bola, houve um silêncio. Todo mundo concordou na hora. Ele é o único mamífero que assume o formato de bola. E a bola é protagonista da Copa”, conta Rodrigo.

A ideia virou campanha na internet, especialmente nas redes sociais. Aos poucos, o apoio de sites, blogs e portais foi crescendo. A divulgação na mídia também. Primeiro, nos meios de comunicação de Fortaleza, sede da entidade, e do estado do Ceará. Depois, em âmbito nacional.

 “Percebemos que a campanha tinha potencial e decidimos oficializá-la. Redigimos um documento de 20 páginas e enviamos ao Ministério do Esporte, para o Comitê Organizador Local (COL) e para a Fifa. O tatu-bola é 100% brasileiro e a Copa é uma ótima oportunidade de divulgar a importância da preservação da espécie”, explica Rodrigo.

Segundo a Associação Caatinga, há 11 espécies de tatu no Brasil. Mas a do tatu-bola é exclusiva do País. 

Projeto de conservação
Faltam informações mais precisas sobre hábitos alimentares, ciclos reprodutivos e distribuição geográfica do tatu-bola. Essa necessidade de se conhecer mais a espécie, aliada à ameaça de extinção, motivaram a Associação Caatinga, em parceria com entidades internacionais, a criar um projeto de conservação da espécie. A proposta é elaborar pesquisas e estudos e promover a preservação do habitat do tatu-bola.

Também estão previstas campanhas de educação ambiental, um plano de divulgação dos resultados dos estudos e o fortalecimento de entidades e redes de pesquisadores, para que tenham condições ideais de trabalho em campo e de desenvolvimento das pesquisas. 

História
Segundo a Fifa, o primeiro mascote oficial apareceu na Copa do Mundo realizada na Inglaterra em 1966 e se tratava de um leão, chamado Willie, que se vestia com as cores da bandeira do país-sede. Já o último mascote escolhido também foi um felino: o leopardo Zakumi, anunciado para a edição do da África do Sul.

Confira a lista de mascotes: Inglaterra (1966) - Willie (leão); México (1970) - Juanito (menino); Alemanha Ocidental (1974) - Tip e Tap (dois meninos); Argentina (1978) - Gauchito (menino jogador de futebol); Espanha (1982) - Naranjito (laranja); México (1986) - Pique (pimenta); Itália (1990) - Ciao (jogador montado com blocos de armar); EUA (1994) - Striker (cão); França (1998) - Footix (galo); Coreia do Sul/Japão 2002 - Ato, Kaz e Nik (figuras futuristas); Alemanha (2006) - Goleo VI e Pille (leão e bola falante); África do Sul (2010) - Zakumi (leopardo)

 

 

Fontes: 
Ministério do Esporte
Portal da Copa 2014
Portal Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil