Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2013 > 11 > Índios Matis andam quatro dias para celebrar Jogos

Esporte

Índios Matis andam quatro dias para celebrar Jogos

Jogos dos Povos Indígenas

No grupo estão alguns jovens que vieram com a incumbência de observar essa experiência cultural
por Portal Brasil publicado: 11/11/2013 15h51 última modificação: 30/07/2014 00h15

Eles não são atletas profissionais e não estão competindo nos Jogos dos Povos Indígenas de Cuiabá mas, para celebrar o evento, os índios Matis fizeram uma verdadeira maratona. Eles saíram a pé do Vale do Javari, no estado do Amazonas, na fronteira com o Peru, e percorreram, durante quatro dias, quase 300km até o aeroporto da cidade amazonense de Tabatinga, onde pegaram o vôo com destino a Cuiabá.

Os índios desta etnia eram antes conhecidos como Matsés, mas o contato com os sertanistas e com os funcionários da Funai os denominou Matis, guerreiros que celebram com outras etnias os Jogos Indígenas 2013. Ainda hoje esses índios preservam o ritual do mariwin que, segundo a tradição, é uma força que vem para expurgar tudo de ruim que cada indivíduo fez ou recebeu, para castigar as crianças que se comportaram mal e também para aumentar a sorte na busca de caça. A tatuagem é um dos adereços usados por esses índios e uma forma de reafirmar sua identidade e de diferenciar-se de outros índios e dos não-índios (nawa, como são chamados os homens brancos por eles). Assim, com o corpo tatuado, eles se referem a si mesmos como mushabo (gente tatuada) ou wanibo (gente da pupunha) e os mariwin (espíritos ancestrais) aparecem em massa em todos os dias dos rituais.

Os Matis chamam a atenção no meio da multidão que se aglomera na região do Jardim Botânico de Cuiabá pelas suas características físicas, enfeites corporaisde acordo com suas crenças e culturas, que são os traços que os diferenciam de outras etnias. Para se defender dos perigos das florestas e dos inimigos, eles utilizam uma arma bastante poderosa: a zarabatana, uma espécie de flecha que tem capacidade para matar uma onça. Na ponta do instrumento é colocado um veneno que imobiliza a vítima.

Segundo Carlos Terena, um dos organizadores dos Jogos Indígenas, este ano os Matis trouxeram uma novidade para o evento: com eles vieram pela primeira vez duas mulheres, o que mostra que o convívio e a troca de experiências com outras etnias mudam o comportamento e a forma de pensar desses povos, que ainda guardam os costumes e as tradições dos seus ancestrais.

No grupo do povo Matis estão alguns jovens que vieram com a incumbência de observar essa experiência cultural e apreender os ensinamentos indígenas com os mais velhos – caciques e pajés – para reforçar a cultura das aldeias, que perderam muito dos seus costumes com o contato com a civilização.

Fonte:
Ministério do Esporte

 

 

 

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Forças no Esporte comemora Dia das Crianças
Iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com outros ministérios, leva para as crianças atividades esportivas, lazer e aulas de reforço no período do contra turno escolar
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com outros ministérios, leva para as crianças atividades esportivas, lazer e aulas de reforço no período do contra turno escolar
Programa Forças no Esporte comemora Dia das Crianças
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro

Últimas imagens

Rebeca Andrade é uma das ginastas do time feminino que representa o Brasil na competição
Rebeca Andrade é uma das ginastas do time feminino que representa o Brasil na competição
Foto: Danilo Borges/Ministério do Esporte
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Foto: Rogério Vital/Ministério do Esporte
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Divulgação/CBDU
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Divulgação/Federação Int. de Canoagem
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Divulgação/CBDU

Governo digital