Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 02 > Velocistas treinam em Miami para Mundial de Revezamentos

Esporte

Velocistas treinam em Miami para Mundial de Revezamentos

Atletismo

Brasileiras estão em preparação para a competição de Nassau, na Bahamas, em maio
por Portal Brasil publicado: 17/02/2014 16h04 última modificação: 30/07/2014 02h40

As velocistas Ana Cláudia Lemos Silva, recordista sul-americana dos 100 m e 200 m, Rosângela Santos, Evelyn dos Santos e Tamiris de Liz fazem, a partir desta segunda-feira (17), uma semana de treinos na Universidade de Miami com foco no Mundial de Revezamentos de Nassau, nas Bahamas, em maio. Viaja com o grupo a velocista Franciela Krasucki, que bateu o recorde sul-americano indoor dos 60 m, com 7s19 (nas eliminatórias, correu 7s23) no último domingo (16), no Desafio Caixa Indoor, seletiva para o Mundial de Sopot, realizado no Centro de Treinamento do Clube de Atletismo BM&FBovespa, em São Caetano do Sul.

O Mundial de Revezamentos de Nassau é um dos objetivos de Ana Cláudia, que, primeiro, tem de conseguir vaga na seleção brasileira. "Ainda não sabemos quem será a equipe do revezamento - só sei que o Brasil tem vaga. Mas estou torcendo para estar na equipe", comenta. "O principal objetivo do revezamento é o Mundial, mas o meu é melhorar meus resultados competindo contra atletas fortes lá fora, o que vai me dar bagagem para começar bem 2015 e 2016. Espero superar minhas expectativas, que são sempre altas, e competir bem com as grandes velocistas do circuito”, acrescenta.

A atleta não disputou o Desafio Caixa Indoor no último domingo - tem índice para o Mundial Indoor de Sopot (POL), mas decidiu, com o técnico Katsuhico Nakaya, não correr 60 m. Recordista sul-americana nos 100 m (11s05) e nos 200 m (22s48), Ana pensa em voltar a fazer boas marcas nas duas distâncias. Por isso, abriu mão de disputar os 60 m no Mundial. "Este ano a gente preferiu não fazer a temporada indoor por causa dos 100 e dos 200 m. Para mim, é mais interessante buscar resultados nessas provas. Meus objetivos são melhorar ainda mais nos 100 m, que foi bom no ano passado, e voltar a correr bem os 200 m - corri 22s61, mas ainda não foi o que eu esperava", comentou Ana Cláudia.

Fonte:
Brasil 2016

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Governo faz balanço positivo dos Jogos Paralímpicos 2016
Encerrados no domingo (18), Jogos contaram com 16 países participantes e tiveram 2,1 milhões de ingressos vendidos
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Encerrados no domingo (18), Jogos contaram com 16 países participantes e tiveram  2,1 milhões de ingressos vendidos
Governo faz balanço positivo dos Jogos Paralímpicos 2016

Últimas imagens

O centro foi construído com recursos do ministério e integra a Rede Nacional de Treinamento
O centro foi construído com recursos do ministério e integra a Rede Nacional de Treinamento
Foto: Miriam Jeske/Brasil 2016
Nos Jogos Paralímpicos, todas as medalhas brasileiras foram conquistadas por atletas bolsistas
Nos Jogos Paralímpicos, todas as medalhas brasileiras foram conquistadas por atletas bolsistas
Foto: Washington Alves/Comitê Paralímpico
Além de medalhas e pontuação, o Abu Dhabi Grand Slam World Tour vai distribuir prêmios entre US$ 500 e US$ 2 mil
Além de medalhas e pontuação, o Abu Dhabi Grand Slam World Tour vai distribuir prêmios entre US$ 500 e US$ 2 mil
Tomaz Silva/Agência Brasil
Esta é a 13ª edição do Grand Prix, com 114 atletas pré-inscritos
Esta é a 13ª edição do Grand Prix, com 114 atletas pré-inscritos
Divulgação/Ministério do Esporte
Na categoria 35-39 anos, Hudson Leite (esquerda) assegurou a medalha de prata
Na categoria 35-39 anos, Hudson Leite (esquerda) assegurou a medalha de prata
Divulgação/CBC

Governo digital