Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 02 > Velocistas treinam em Miami para Mundial de Revezamentos

Esporte

Velocistas treinam em Miami para Mundial de Revezamentos

Atletismo

Brasileiras estão em preparação para a competição de Nassau, na Bahamas, em maio
por Portal Brasil publicado: 17/02/2014 16h04 última modificação: 30/07/2014 02h40

As velocistas Ana Cláudia Lemos Silva, recordista sul-americana dos 100 m e 200 m, Rosângela Santos, Evelyn dos Santos e Tamiris de Liz fazem, a partir desta segunda-feira (17), uma semana de treinos na Universidade de Miami com foco no Mundial de Revezamentos de Nassau, nas Bahamas, em maio. Viaja com o grupo a velocista Franciela Krasucki, que bateu o recorde sul-americano indoor dos 60 m, com 7s19 (nas eliminatórias, correu 7s23) no último domingo (16), no Desafio Caixa Indoor, seletiva para o Mundial de Sopot, realizado no Centro de Treinamento do Clube de Atletismo BM&FBovespa, em São Caetano do Sul.

O Mundial de Revezamentos de Nassau é um dos objetivos de Ana Cláudia, que, primeiro, tem de conseguir vaga na seleção brasileira. "Ainda não sabemos quem será a equipe do revezamento - só sei que o Brasil tem vaga. Mas estou torcendo para estar na equipe", comenta. "O principal objetivo do revezamento é o Mundial, mas o meu é melhorar meus resultados competindo contra atletas fortes lá fora, o que vai me dar bagagem para começar bem 2015 e 2016. Espero superar minhas expectativas, que são sempre altas, e competir bem com as grandes velocistas do circuito”, acrescenta.

A atleta não disputou o Desafio Caixa Indoor no último domingo - tem índice para o Mundial Indoor de Sopot (POL), mas decidiu, com o técnico Katsuhico Nakaya, não correr 60 m. Recordista sul-americana nos 100 m (11s05) e nos 200 m (22s48), Ana pensa em voltar a fazer boas marcas nas duas distâncias. Por isso, abriu mão de disputar os 60 m no Mundial. "Este ano a gente preferiu não fazer a temporada indoor por causa dos 100 e dos 200 m. Para mim, é mais interessante buscar resultados nessas provas. Meus objetivos são melhorar ainda mais nos 100 m, que foi bom no ano passado, e voltar a correr bem os 200 m - corri 22s61, mas ainda não foi o que eu esperava", comentou Ana Cláudia.

Fonte:
Brasil 2016

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais 56 atletas são contemplados com a Bolsa Pódio
No total, 239 esportistas já contam o apoio. A categoria Pódio é patrocínio para esportistas com chances reais de medalhas
Mais de 180 atletas receberão a Bolsa Pódio
Ministério do Esporte anuncia primeira lista de beneficiados. Subsídios variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
No total, 239 esportistas já contam o apoio. A categoria Pódio é patrocínio para esportistas com chances reais de medalhas
Mais 56 atletas são contemplados com a Bolsa Pódio
Ministério do Esporte anuncia primeira lista de beneficiados. Subsídios variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil
Mais de 180 atletas receberão a Bolsa Pódio
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta

Últimas imagens

Manutenção da bolsa foi uma das prioridades do Ministério da Educação
Manutenção da bolsa foi uma das prioridades do Ministério da Educação
Francisco Medeiros/Ministério da Educação
Serão concedidas bolsas entre R$ 5 mil e R$ 15 mil para atletas de 17 modalidades olímpicas e paralímpicas
Serão concedidas bolsas entre R$ 5 mil e R$ 15 mil para atletas de 17 modalidades olímpicas e paralímpicas
Foto: Gabriel Heusi/ brasil2016.gov.br
Atletas dos principais clubes do Brasil foram escolhidas pela comissão técnica da seleção brasileira
Atletas dos principais clubes do Brasil foram escolhidas pela comissão técnica da seleção brasileira
Foto: Rafael Bello/COB
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
Marco Antônio Teixeira/CBV
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Foto: Gabriela Sabau/IJF

Governo digital