Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 04 > Brasileiras da vela são campeãs na Copa do Mundo em Hyères

Esporte

Brasileiras da vela são campeãs na Copa do Mundo em Hyères

Líderes do ranking

Com o resultado, Martine Grael e Kahena Kunze se mantêm líderes do ranking mundial. Robert Scheidt subiu no ranking da Laser
por Portal Brasil publicado: 28/04/2014 19h03 última modificação: 30/07/2014 02h45

As velejadoras brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram, na manhã do último sábado (26), o título da Copa do Mundo de Vela da ISAF, na classe 49erFX, em Hyères, na França. Martine e Kahena, que são líderes do ranking mundial, terminaram a competição com 68 pontos. A medalha de prata ficou com Alexandra Maloney e Molly Meech, da Nova Zelândia com 76 pontos, e a medalha de bronze com as dinamarquesas Idas Marie Nielsen e Marie Olsen, com 83 pontos.

"Estou me sentindo incrível, o que pode ser melhor que isso? Acho que foi a melhor semana para os velejadores em Hyères. Tivemos bom vento, tempo estável e também conversei com pessoas experientes. Estamos ansiosas para voltar aqui novamente. Muito feliz por mais um grande resultado nosso", contou Martine Grael.

A Riviera Francesa foi palco da quinta e última etapa da Copa do Mundo de Vela da ISAF 2013/2014. A competição já passou por Qingdao, Melbourne, Miami e Mallorca. Uma frota de 43 barcos participaram na classe 49erFX para a etapa de Hyères.

Em 2014, Martine e Kahena conquistaram, além da etapa de Hyères, a etapa de Mallorca da Copa do Mundo de Vela da ISAF, a Copa Brasil de Vela, o vice-campeonato no Norte-americano e o quarto lugar na etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela.

Também em Hyères, Robert Scheidt confirmou a quarta posição no Top 10 da classe Laser. "Tive alguns momentos complicados no campeonato, principalmente pelas largadas, que foram difíceis para a Laser. No geral, a competição foi de ventos fortes, que já exigem mais do físico dos velejadores da Laser, e consegui manter uma boa média, tanto nessa situação como no vento fraco, o que mostra que estou bem preparado fisicamente", ressaltou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star.

"Também estou velejando bem no vento de popa. Agora é continuar treinando e acertar os detalhes, para chegar forte no Mundial."

Na RS:X, Ricardo ‘Bimba’ Winicki terminou na oitava posição na classificação geral, enfrentando os melhores atletas da atualidade, entre eles, os medalhistas olímpicos de Londres 2012.

"Comecei bem a competição, tive resultados não muito bons nos dias seguintes, mas me recuperei nas últimas regatas. Na Medal Race, nada de vento na minha pior condição. Consegui ir à linha de chegada, mas passei em último e isso me atrapalhou no fim. Conseguimos alcançar o objetivo, que era estar entre os oito, essa foi a regata de maior nível, a mais forte de todas desde o Campeonato Mundial de Búzios, no início do ano passado, com campeões mundiais e medalhistas olímpicos", afirmou Bimba que, este ano, conquistou os títulos da Copa do Brasil (em janeiro, no Rio de Janeiro) e do Campeonato Norte-americano (em fevereiro, em Cancún).

Fonte:

Comitê Olímpico Brasileiro

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas

Últimas imagens

Na edição anterior, o time brasileiro liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro
Na edição anterior, o time brasileiro liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro
Divulgação/Prefeitura de Itajaí
Ainda no sábado (21), as oitavas de final contarão com outras três partidas
Ainda no sábado (21), as oitavas de final contarão com outras três partidas
Divulgação/CBHb
Uma das presenças que compõem equipe é a do armador direito, José Guilherme de Toledo
Uma das presenças que compõem equipe é a do armador direito, José Guilherme de Toledo
Divulgação/Conf. Brasileira de Handebol
O centro foi construído com recursos do ministério e integra a Rede Nacional de Treinamento
O centro foi construído com recursos do ministério e integra a Rede Nacional de Treinamento
Foto: Miriam Jeske/Brasil 2016
Nos Jogos Paralímpicos, todas as medalhas brasileiras foram conquistadas por atletas bolsistas
Nos Jogos Paralímpicos, todas as medalhas brasileiras foram conquistadas por atletas bolsistas
Foto: Washington Alves/Comitê Paralímpico

Governo digital