Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 04 > Mogi Mirim, Cuiabá e São Caetano estreiam com vitórias

Esporte

Mogi Mirim, Cuiabá e São Caetano estreiam com vitórias

Futebol

Mais de oito times se enfrentaram nesse domingo (27) pela Série C do Campeonato Brasileiro de 2014
por Portal Brasil publicado: 28/04/2014 16h01 última modificação: 30/07/2014 02h45

Mogi Mirim, Cuiabá e São Caetano iniciaram a competição com vitórias sobre Guaratinguetá, Crac (GO) e Guarani, respectivamente. Tupi (MG) e Macaé empataram.

No Romildão, o Mogi Mirim venceu o Guaratinguetá por 1 a 0, com gol de Everton Heleno.

Tupi e Macaé estrearam com empate em 1 a 1, em Juiz de Fora. Raphael Toledo marcou para o time mineiro, enquanto João Carlos fez o gol dos cariocas.

No Estádio Passo das Emas, o Cuiabá venceu o Crac por 3 a 1, com gols de Diego Macedo, Tiago Chulapa e Cléverson. Zotti marcou para os goianos.

Jogando em casa, no Anacleto Campanella (SP), o São Caetano venceu o Guarani por 1 a 0, com gol de Danielzinho.

Histórico

Um dos grandes clubes de Campinas, o Guarani se orgulha de ser o único time do interior do País que foi campeão brasileiro. O Bugre levantou a taça em 1978, depois de vencer o Palmeiras por 1 x 0, com gol de Careca. Além do iniciante Careca, o time campineiro era formado por Neneca, Mauro, Gomes, Édson, Miranda, Zé Carlos, Manguinha, Renato, Capitão e Bozó.

Mas os últimos anos tem sido amargos para o torcedor bugrino. O Guarani entra para a sua segunda temporada na Terceirona: o time foi rebaixado da Série B para a C em 2012. No ano passado, sequer se classificou para as oitavas de final: com campanha irregular, terminou em sexto lugar no Grupo B, com 24 pontos em 18 jogos, sendo cinco vitórias, nove empates e quatro derrotas. Neste ano, disputou a Série A2 – a segunda divisão – do Campeonato Paulista e foi mal: terminou na 13º colocação, com apenas 22 pontos em 19 jogos.

O São Caetano chamou a atenção pelo seu desempenho no começo dos anos 2000, quando foi vice-campeão da Copa João Havelange, disputada em 2000, vice-campeão brasileiro em 2001 e vice-campeão da Libertadores de 2002. Foi também campeão paulista em 2004, comandado pelo técnico Muricy Ramalho.

Depois desta ascensão meteórica, em 2006 o clube paulista foi rebaixado para a Série B. E o Azulão permaneceu na divisão de acesso até o ano passado, quando não resistiu à queda para a Terceira Divisão, terminando o campeonato na penúltima posição. E, neste ano, a situação é pior que a do adversário deste domingo: na Série A2, o São Caetano ficou em 19º lugar, escapando do rebaixamento para a Série A3 por apenas dois pontos.

São Caetano e Guarani já jogaram um contra o outro 22 vezes, com dez vitórias do Guarani, oito vitórias do São Caetano e quatro empates. Se considerarmos apenas os últimos dez jogos, a vantagem do Bugre é ampla: são oito vitórias da equipe de Campinas e apenas dois triunfos do time de São Caetano do Sul.

O Guarani deve jogar com Juliano; Oliveira, Peterson, Jorge Luiz e Pedro Henrique; Samuel, Thiago Carpini, Wellington Simião e Cassinho; Neto e Fabinho.

Já o São Caetano pode entrar em campo com Rafael Santos; Angelo, Cleiton, William Mineiro e Renato Peixe; Ramalho, Rodrigo Thiensen, Melinho e Cacá; Giancarlo e Marcelo Soares.

Fonte:
Agência Brasil
Confederação Brasileira de Futebol

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas

Últimas imagens

É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
Marco Antônio Teixeira/CBV
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Foto: Gabriela Sabau/IJF
Brasil é o maior vencedor do Mundial da modalidade
Brasil é o maior vencedor do Mundial da modalidade
Divulgação/CBV
Empresas interessadas deverão cumprir requisitos mínimos para a certificação, que terá prazo de validade de dois anos
Empresas interessadas deverão cumprir requisitos mínimos para a certificação, que terá prazo de validade de dois anos
Divulgação/EBC
Mais de 8,3 milhões de ingressos foram vendidos na Rio 2016
Mais de 8,3 milhões de ingressos foram vendidos na Rio 2016
Danilo Borges/Ministério do Esporte

Governo digital