Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 09 > Brasil sofre virada e Polônia é campeã mundial

Esporte

Brasil sofre virada e Polônia é campeã mundial

Vôlei

Jogando em casa, anfitriões fazem a festa da torcida e, pela segunda vez na história, conquistam o Campeonato Mundial
por Portal Brasil publicado: 21/09/2014 18h35 última modificação: 21/09/2014 18h35
Divulgação/Brasil 2016 Europeus mostraram todo o poder de reação da equipe após uma derrota contundente no primeiro set

Europeus mostraram todo o poder de reação da equipe após uma derrota contundente no primeiro set

Com um país em festa e a cidade de Katowice vivendo um verdadeiro clima de Copa do Mundo de Futebol, com o ginásio da Spodek Arena tomado por 12 mil pessoas e outras dezenas de milhares torcendo do lado de fora, a Polônia conquistou, neste domingo (21), um resultado histórico no vôlei masculino. Por 3 x 1, de virada, com parciais de 18/25, 25/22, 25/23 e 25/22, os poloneses derrotaram a Seleção Brasileira na final do Campeonato Mundial e, com isso, impediram que o Brasil conquistasse um resultado inédito na competição.

Na Polônia, o Brasil buscava se tornar o primeiro país em toda a história do Mundial, iniciada em 1949, a triunfar por quatro vezes seguidas na competição. Depois de brilhar em 2002, na Argentina; em 2006, no Japão; e em 2010, na Itália, a Seleção entrou em quadra neste domingo para lutar pelo quarto troféu e, assim, tornar-se o primeiro legítimo tetracampeão mundial.

O primeiro set foi marcado por um domínio da Seleção Brasileira. Apesar de estar em um ginásio completamente tomado pela torcida polonesa, o Brasil conseguiu conter o ímpeto dos europeus no início do jogo e foi para o primeiro tempo técnico com vantagem de quatro pontos (8/4). A partir daí, o time dominou o cenário, tendo marcado 18/11 e, assim, preparado o terreno para a contundente vitória por 25/18 na primeira parcial.

Na segunda etapa, contudo, começaram os problemas para a Seleção Brasileira. Sem se abalar com o placar do primeiro set e sempre impulsionados pela delirante torcida, que não parava de cantar, os poloneses começaram abrindo 4/1 e, apesar de o Brasil empatar em 7/7, os europeus ganharam força novamente e chegaram a abrir 14/9 e, depois, 17/11.  Foi quando, com Bruninho no saque, o Brasil fez o que parecia improvável: marcou seis pontos seguidos e empatou em 17/17. Na reta final, a Polônia abriu dois pontos de vantagem (22/20) e construiu o caminho para o empate com 25/22.

Veio o terceiro set e, com ele, as dificuldades continuaram para o time brasileiro que, apesar de ter se mantido no jogo durante todo o set – o placar esteve empatado por 13 vezes – em nenhum momento conseguiu liderar. Depois de ver a Polônia abrir 23/21, o Brasil ainda conseguiu o empate (23/23), mas os poloneses jogaram muito bem os dois pontos seguintes e, com isso, viraram o placar por 25/23.

A Seleção Brasileira, então, entrou para o quarto set sem mais nenhuma margem para erros. Havia apenas uma opção: vencer e levar a decisão do Campeonato Mundial para o tie-break. Depois de muito equilíbrio, o Brasil conseguiu abrir 20/17, mas quando parecia que o time havia reencontrado seu melhor momento, os poloneses reagiram e empataram o placar para selar a vitória com 25/22 e conquistar o segundo título mundial da história do país, que havia levantado o troféu em 1974 (o único da Polônia até então) e passado perto em 2006, quando chegou à final e perdeu para o Brasil, em Tóquio.

Equipes

Brasil
Bruno, Wallace, Lucão, Sidão, Lucarelli e Murilo. Líbero – Mário Jr. e Felipe
Entraram: Lipe, Vissotto, Raphael
Técnico: Bernardinho

Polônia
Nowakowski, Winiarski, Klos, Wlazly, Drzyzga e Mika. Líbero – Zatorski
Entraram: Konarski, Zagumny, Kubiak
Técnico: Stephane Antiga

A campanha do Brasil no Campeonato Mundial da Polônia 2014

Primeira fase

Grupo B
Sede:
 Katowice

01.09 – Brasil 3 x 0 Alemanha – 25/21, 25/19 e 25/17
03.09 – Brasil 3 x 0 Tunísia – 25/18, 25/10 e 25/17
05.09 – Brasil 3 x 0 Finlândia – 27/25, 25/21 e 26/24
06.09 – Brasil 3 x 2 Coreia do Sul  – 21/25, 25/13, 25/21, 17/25 e 15/13
07.09 – Brasil 3 x 1 Cuba  – 22/25, 25/23, 25/18 e 25/17

Segunda fase

Grupo E
Sede:
 Katowice

10.09 – Brasil 3 x 0 Bulgária – 25/15, 25/21 e 25/21
11.09 – Brasil 3 x 0 China – 25/14, 25/23 e 25/18
13.09 – Brasil 3 x 0 Canadá – 25/19, 25/23 e 29/27
14.09 – Brasil 3 x 1 Rússia – 25/21, 24/26, 25/19 e 25/19

Terceira fase

Grupo H
Sede:
 Łódź

16.09 – Brasil 2 x 3 Polônia – 22/25, 25/22, 25/14, 18/25 e 15/17
17.09 – Brasil 3 x 0 Rússia – 25/22, 25/20 e 25/21

Semifinal

Sede: Katowice

20.09 – Brasil 3 x 2 França – 25/18, 23/25, 25/23, 22/25 e 15/12

Final

Sede: Katowice

20.09 – Brasil 1 x 3 Polônia – 25/22, 22/25, 23/25 e 22/25

O Brasil nos últimos Campeonatos Mundiais

2014 – Katowice (POL)
Campeão: Polônia
Vice-campeão: Brasil
Terceiro lugar: Alemanha

2010 – Roma (ITA)
Campeão: Brasil
Vice-campeão: Cuba
Terceiro lugar: Sérvia

2006 – Tóquio (JAP)
Campeão: Brasil
Vice-campeão: Polônia
Terceiro lugar: Bulgária

2002 - Buenos Aires (ARG)
Campeão: Brasil
Vice-campeão: Rússia
Terceiro lugar: França  

Fonte:
Brasil 2016 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo promove inclusão social pelo esporte
Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) determina as diretrizes de programas
Lei de Incentivo ao Esporte completa dez anos
Regra viabilizou investimento de R$ 1,87 bilhão em projetos de lazer, educação e esporte de alto rendimento
Parque Olímpico da Barra é legado dos Jogos Olímpicos
Espaço de 1,18 milhões de metros quadrados conta com velódromo, estádio aquático e centro de tênis
Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) determina as diretrizes de programas
Governo promove inclusão social pelo esporte
Regra viabilizou investimento de R$ 1,87 bilhão em projetos de lazer, educação e esporte de alto rendimento
Lei de Incentivo ao Esporte completa dez anos
Espaço de 1,18 milhões de metros quadrados conta com velódromo, estádio aquático e centro de tênis
Parque Olímpico da Barra é legado dos Jogos Olímpicos

Últimas imagens

Petrúcio Ferreira teve 3% a mais dos votos do que o segundo colocado, o tenista sueco Stefan Olsson
Petrúcio Ferreira teve 3% a mais dos votos do que o segundo colocado, o tenista sueco Stefan Olsson
Foto: Danilo Borges/Brasil2016
Selecionados receberão valor equivalente a 12 parcelas da bolsa definida para sua categoria
Selecionados receberão valor equivalente a 12 parcelas da bolsa definida para sua categoria
Foto: Roberto Castro/Min. do Esporte
Iniciativa foi criada para facilitar acesso de crianças e adolescentes ao esporte educacional
Iniciativa foi criada para facilitar acesso de crianças e adolescentes ao esporte educacional
Foto: Francisco Medeiros/Min. do Esporte
Etiene Medeiros é a primeira brasileira a ser campeã mundial de Natação em piscina longa (50 m)
Etiene Medeiros é a primeira brasileira a ser campeã mundial de Natação em piscina longa (50 m)
Foto: Danilo Borges/brasil2016.gov.br
Sargento João Gomes conquistou a medalha de prata na prova de 50 m Peito
Sargento João Gomes conquistou a medalha de prata na prova de 50 m Peito
Foto: Danilo Borges/brasil2016.gov.br

Governo digital