Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 09 > Brasil sofre virada e Polônia é campeã mundial

Esporte

Brasil sofre virada e Polônia é campeã mundial

Vôlei

Jogando em casa, anfitriões fazem a festa da torcida e, pela segunda vez na história, conquistam o Campeonato Mundial
por Portal Brasil publicado: 21/09/2014 18h35 última modificação: 21/09/2014 18h35
Divulgação/Brasil 2016 Europeus mostraram todo o poder de reação da equipe após uma derrota contundente no primeiro set

Europeus mostraram todo o poder de reação da equipe após uma derrota contundente no primeiro set

Com um país em festa e a cidade de Katowice vivendo um verdadeiro clima de Copa do Mundo de Futebol, com o ginásio da Spodek Arena tomado por 12 mil pessoas e outras dezenas de milhares torcendo do lado de fora, a Polônia conquistou, neste domingo (21), um resultado histórico no vôlei masculino. Por 3 x 1, de virada, com parciais de 18/25, 25/22, 25/23 e 25/22, os poloneses derrotaram a Seleção Brasileira na final do Campeonato Mundial e, com isso, impediram que o Brasil conquistasse um resultado inédito na competição.

Na Polônia, o Brasil buscava se tornar o primeiro país em toda a história do Mundial, iniciada em 1949, a triunfar por quatro vezes seguidas na competição. Depois de brilhar em 2002, na Argentina; em 2006, no Japão; e em 2010, na Itália, a Seleção entrou em quadra neste domingo para lutar pelo quarto troféu e, assim, tornar-se o primeiro legítimo tetracampeão mundial.

O primeiro set foi marcado por um domínio da Seleção Brasileira. Apesar de estar em um ginásio completamente tomado pela torcida polonesa, o Brasil conseguiu conter o ímpeto dos europeus no início do jogo e foi para o primeiro tempo técnico com vantagem de quatro pontos (8/4). A partir daí, o time dominou o cenário, tendo marcado 18/11 e, assim, preparado o terreno para a contundente vitória por 25/18 na primeira parcial.

Na segunda etapa, contudo, começaram os problemas para a Seleção Brasileira. Sem se abalar com o placar do primeiro set e sempre impulsionados pela delirante torcida, que não parava de cantar, os poloneses começaram abrindo 4/1 e, apesar de o Brasil empatar em 7/7, os europeus ganharam força novamente e chegaram a abrir 14/9 e, depois, 17/11.  Foi quando, com Bruninho no saque, o Brasil fez o que parecia improvável: marcou seis pontos seguidos e empatou em 17/17. Na reta final, a Polônia abriu dois pontos de vantagem (22/20) e construiu o caminho para o empate com 25/22.

Veio o terceiro set e, com ele, as dificuldades continuaram para o time brasileiro que, apesar de ter se mantido no jogo durante todo o set – o placar esteve empatado por 13 vezes – em nenhum momento conseguiu liderar. Depois de ver a Polônia abrir 23/21, o Brasil ainda conseguiu o empate (23/23), mas os poloneses jogaram muito bem os dois pontos seguintes e, com isso, viraram o placar por 25/23.

A Seleção Brasileira, então, entrou para o quarto set sem mais nenhuma margem para erros. Havia apenas uma opção: vencer e levar a decisão do Campeonato Mundial para o tie-break. Depois de muito equilíbrio, o Brasil conseguiu abrir 20/17, mas quando parecia que o time havia reencontrado seu melhor momento, os poloneses reagiram e empataram o placar para selar a vitória com 25/22 e conquistar o segundo título mundial da história do país, que havia levantado o troféu em 1974 (o único da Polônia até então) e passado perto em 2006, quando chegou à final e perdeu para o Brasil, em Tóquio.

Equipes

Brasil
Bruno, Wallace, Lucão, Sidão, Lucarelli e Murilo. Líbero – Mário Jr. e Felipe
Entraram: Lipe, Vissotto, Raphael
Técnico: Bernardinho

Polônia
Nowakowski, Winiarski, Klos, Wlazly, Drzyzga e Mika. Líbero – Zatorski
Entraram: Konarski, Zagumny, Kubiak
Técnico: Stephane Antiga

A campanha do Brasil no Campeonato Mundial da Polônia 2014

Primeira fase

Grupo B
Sede:
 Katowice

01.09 – Brasil 3 x 0 Alemanha – 25/21, 25/19 e 25/17
03.09 – Brasil 3 x 0 Tunísia – 25/18, 25/10 e 25/17
05.09 – Brasil 3 x 0 Finlândia – 27/25, 25/21 e 26/24
06.09 – Brasil 3 x 2 Coreia do Sul  – 21/25, 25/13, 25/21, 17/25 e 15/13
07.09 – Brasil 3 x 1 Cuba  – 22/25, 25/23, 25/18 e 25/17

Segunda fase

Grupo E
Sede:
 Katowice

10.09 – Brasil 3 x 0 Bulgária – 25/15, 25/21 e 25/21
11.09 – Brasil 3 x 0 China – 25/14, 25/23 e 25/18
13.09 – Brasil 3 x 0 Canadá – 25/19, 25/23 e 29/27
14.09 – Brasil 3 x 1 Rússia – 25/21, 24/26, 25/19 e 25/19

Terceira fase

Grupo H
Sede:
 Łódź

16.09 – Brasil 2 x 3 Polônia – 22/25, 25/22, 25/14, 18/25 e 15/17
17.09 – Brasil 3 x 0 Rússia – 25/22, 25/20 e 25/21

Semifinal

Sede: Katowice

20.09 – Brasil 3 x 2 França – 25/18, 23/25, 25/23, 22/25 e 15/12

Final

Sede: Katowice

20.09 – Brasil 1 x 3 Polônia – 25/22, 22/25, 23/25 e 22/25

O Brasil nos últimos Campeonatos Mundiais

2014 – Katowice (POL)
Campeão: Polônia
Vice-campeão: Brasil
Terceiro lugar: Alemanha

2010 – Roma (ITA)
Campeão: Brasil
Vice-campeão: Cuba
Terceiro lugar: Sérvia

2006 – Tóquio (JAP)
Campeão: Brasil
Vice-campeão: Polônia
Terceiro lugar: Bulgária

2002 - Buenos Aires (ARG)
Campeão: Brasil
Vice-campeão: Rússia
Terceiro lugar: França  

Fonte:
Brasil 2016 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais 56 atletas são contemplados com a Bolsa Pódio
No total, 239 esportistas já contam o apoio. A categoria Pódio é patrocínio para esportistas com chances reais de medalhas
Mais de 180 atletas receberão a Bolsa Pódio
Ministério do Esporte anuncia primeira lista de beneficiados. Subsídios variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
No total, 239 esportistas já contam o apoio. A categoria Pódio é patrocínio para esportistas com chances reais de medalhas
Mais 56 atletas são contemplados com a Bolsa Pódio
Ministério do Esporte anuncia primeira lista de beneficiados. Subsídios variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil
Mais de 180 atletas receberão a Bolsa Pódio
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta

Últimas imagens

Manutenção da bolsa foi uma das prioridades do Ministério da Educação
Manutenção da bolsa foi uma das prioridades do Ministério da Educação
Francisco Medeiros/Ministério da Educação
Serão concedidas bolsas entre R$ 5 mil e R$ 15 mil para atletas de 17 modalidades olímpicas e paralímpicas
Serão concedidas bolsas entre R$ 5 mil e R$ 15 mil para atletas de 17 modalidades olímpicas e paralímpicas
Foto: Gabriel Heusi/ brasil2016.gov.br
Atletas dos principais clubes do Brasil foram escolhidas pela comissão técnica da seleção brasileira
Atletas dos principais clubes do Brasil foram escolhidas pela comissão técnica da seleção brasileira
Foto: Rafael Bello/COB
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
Marco Antônio Teixeira/CBV
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Foto: Gabriela Sabau/IJF

Governo digital