Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 09 > Brasileiro é ouro na categoria aberta do Mundial de Paratriatlo

Esporte

Brasileiro é ouro na categoria aberta do Mundial de Paratriatlo

Esporte paraolímpico

Leonardo Curvelo finaliza prova em Edmonton, Canadá, em 1h16min17. Triatleta ingressou na modalidade em junho do ano passado
por Portal Brasil publicado: 03/09/2014 15h55 última modificação: 03/09/2014 15h55

O brasileiro Leonardo Curvelo conquistou o ouro na categoria PT3 Open de paratriatlo na Grande Final do Campeonato Mundial, disputada na tarde da última segunda-feira (1º), na cidade de Edmonton (Canadá). Leonardo completou a prova, destinada a atletas que não tenham atingido os índices necessários para as disputas da elite, em 1h16min17. Em segundo lugar chegou o japonês Kenji Hashimoto (1h27min28) e em terceiro, o também brasileiro Jean Lopes (1h32min59).

Leonardo começou no esporte apenas em junho do ano passado, motivado pelo sonho de ser medalhista paraolímpico em 2016. Nem o nome “triatlo” sabia exatamente o que era. Hoje, no entanto, o esporte significa, para ele, responsabilidade, disciplina e muito prazer.

O brasileiro, que conquistou a quarta colocação em um Pan-Americano após apenas oito meses de treinos, teve o braço esquerdo amputado em junho de 2009 devido a um acidente e apenas seis dias depois da morte do pai, para quem dedica, hoje, todas as suas conquistas. “Dedico esse ouro também à minha mãe, a quem agora posso dar muito orgulho. Depois do acidente, mudei de um irresponsável para uma nova vida, com um novo sentido, e para um novo homem, com sonhos, metas e futuro”, escreveu o atleta na página da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri).

Depois de uma prova dura, com muitas subidas, descidas e fortes ventos, Curvelo não percebeu que havia sido o campeão. “Dei o meu melhor na competição e a felicidade foi total ao ouvir o anúncio ‘Curvelo, do Brasil, gold medal’”, contou. Agora, a meta é continuar somando resultados que o coloquem na categoria de elite.

Sem medalhas entre os olímpicos
Nas provas olímpicas da Grande Final do Circuito Mundial, o Brasil ficou fora do pódio no Canadá. Os melhores resultados foram o sexto lugar de Manoel Messias na categoria júnior, o oitavo de Pâmela Oliveira e o décimo de Reinaldo Colucci, ambos na elite.

“Foi um dia bastante difícil em que tentei exigir 100% do meu corpo desde a largada. Apesar de não ter assegurado a oportunidade de um lugar no pódio na etapa final da corrida, estou feliz com o meu dia e com os pontos que conquistei no ranking olímpico, que já me colocam numa posição mais confortável para a briga pela vaga no Rio de Janeiro”, afirmou Colucci.

Após o Mundial, Reinaldo Colucci aparece em 23º lugar no ranking da ITU, enquanto Diogo Sclebin é o 45º colocado, e Danilo Pimentel, o 116º. No feminino, a brasileira mais bem colocada é Pâmella Oliveira, em 18º lugar, seguida por Luísa Baptista (82º) e Beatriz Neres (113º).

Confira a participação brasileira na Grande Final do Mundial de Triatlo e Paratriatlo:

Provas olímpicas

Júnior feminino
Vittória Lopes: 31º lugar

Júnor masculino
Manoel Messias: 6º
Kauê Cardoso: 31º

Elite feminina
Pâmella Oliveira: 8º

Elite masculina
Reinaldo Colucci: 10º
Diogo Sclebin: 43º
Danilo Pimentel: 57º

Provas paraolímpicas

PT2 feminino
Yasmin Martins: 4º

PT3 masculino
Jorge Luís Fonseca: 4º
Roberto Carlos Silva: 8º

PT3 masculino Open
Leonardo Curvelo: 1º
Jean Lopes: 3º

PT4 feminino
Fernanda Katheline Pereira: 9º

PT4 masculino
Marcelo Collet: 12º

PT5 masculino
Rodrigo Feola: 11º

Fonte:
Brasil 2016

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Governo promove inclusão social pelo esporte
Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) determina as diretrizes de programas
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) determina as diretrizes de programas
Governo promove inclusão social pelo esporte

Últimas imagens

Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Foto: Rogério Vital/Ministério do Esporte
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Divulgação/CBDU
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Divulgação/Federação Int. de Canoagem
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Divulgação/CBDU
Tamires Crude garantiu o bronze na categoria até 57kg, e Eleudis Valentin, a prata na categoria até 52kg
Tamires Crude garantiu o bronze na categoria até 57kg, e Eleudis Valentin, a prata na categoria até 52kg
Arquivo/CBDU

Governo digital