Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 09 > Brasileiro é ouro na categoria aberta do Mundial de Paratriatlo

Esporte

Brasileiro é ouro na categoria aberta do Mundial de Paratriatlo

Esporte paraolímpico

Leonardo Curvelo finaliza prova em Edmonton, Canadá, em 1h16min17. Triatleta ingressou na modalidade em junho do ano passado
por Portal Brasil publicado: 03/09/2014 15h55 última modificação: 03/09/2014 15h55

O brasileiro Leonardo Curvelo conquistou o ouro na categoria PT3 Open de paratriatlo na Grande Final do Campeonato Mundial, disputada na tarde da última segunda-feira (1º), na cidade de Edmonton (Canadá). Leonardo completou a prova, destinada a atletas que não tenham atingido os índices necessários para as disputas da elite, em 1h16min17. Em segundo lugar chegou o japonês Kenji Hashimoto (1h27min28) e em terceiro, o também brasileiro Jean Lopes (1h32min59).

Leonardo começou no esporte apenas em junho do ano passado, motivado pelo sonho de ser medalhista paraolímpico em 2016. Nem o nome “triatlo” sabia exatamente o que era. Hoje, no entanto, o esporte significa, para ele, responsabilidade, disciplina e muito prazer.

O brasileiro, que conquistou a quarta colocação em um Pan-Americano após apenas oito meses de treinos, teve o braço esquerdo amputado em junho de 2009 devido a um acidente e apenas seis dias depois da morte do pai, para quem dedica, hoje, todas as suas conquistas. “Dedico esse ouro também à minha mãe, a quem agora posso dar muito orgulho. Depois do acidente, mudei de um irresponsável para uma nova vida, com um novo sentido, e para um novo homem, com sonhos, metas e futuro”, escreveu o atleta na página da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri).

Depois de uma prova dura, com muitas subidas, descidas e fortes ventos, Curvelo não percebeu que havia sido o campeão. “Dei o meu melhor na competição e a felicidade foi total ao ouvir o anúncio ‘Curvelo, do Brasil, gold medal’”, contou. Agora, a meta é continuar somando resultados que o coloquem na categoria de elite.

Sem medalhas entre os olímpicos
Nas provas olímpicas da Grande Final do Circuito Mundial, o Brasil ficou fora do pódio no Canadá. Os melhores resultados foram o sexto lugar de Manoel Messias na categoria júnior, o oitavo de Pâmela Oliveira e o décimo de Reinaldo Colucci, ambos na elite.

“Foi um dia bastante difícil em que tentei exigir 100% do meu corpo desde a largada. Apesar de não ter assegurado a oportunidade de um lugar no pódio na etapa final da corrida, estou feliz com o meu dia e com os pontos que conquistei no ranking olímpico, que já me colocam numa posição mais confortável para a briga pela vaga no Rio de Janeiro”, afirmou Colucci.

Após o Mundial, Reinaldo Colucci aparece em 23º lugar no ranking da ITU, enquanto Diogo Sclebin é o 45º colocado, e Danilo Pimentel, o 116º. No feminino, a brasileira mais bem colocada é Pâmella Oliveira, em 18º lugar, seguida por Luísa Baptista (82º) e Beatriz Neres (113º).

Confira a participação brasileira na Grande Final do Mundial de Triatlo e Paratriatlo:

Provas olímpicas

Júnior feminino
Vittória Lopes: 31º lugar

Júnor masculino
Manoel Messias: 6º
Kauê Cardoso: 31º

Elite feminina
Pâmella Oliveira: 8º

Elite masculina
Reinaldo Colucci: 10º
Diogo Sclebin: 43º
Danilo Pimentel: 57º

Provas paraolímpicas

PT2 feminino
Yasmin Martins: 4º

PT3 masculino
Jorge Luís Fonseca: 4º
Roberto Carlos Silva: 8º

PT3 masculino Open
Leonardo Curvelo: 1º
Jean Lopes: 3º

PT4 feminino
Fernanda Katheline Pereira: 9º

PT4 masculino
Marcelo Collet: 12º

PT5 masculino
Rodrigo Feola: 11º

Fonte:
Brasil 2016

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas

Últimas imagens

É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
Marco Antônio Teixeira/CBV
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Foto: Gabriela Sabau/IJF
Brasil é o maior vencedor do Mundial da modalidade
Brasil é o maior vencedor do Mundial da modalidade
Divulgação/CBV
Empresas interessadas deverão cumprir requisitos mínimos para a certificação, que terá prazo de validade de dois anos
Empresas interessadas deverão cumprir requisitos mínimos para a certificação, que terá prazo de validade de dois anos
Divulgação/EBC
Mais de 8,3 milhões de ingressos foram vendidos na Rio 2016
Mais de 8,3 milhões de ingressos foram vendidos na Rio 2016
Danilo Borges/Ministério do Esporte

Governo digital