Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2014 > 09 > Fernando Fernandes e Andrew Parsons compartilham experiências

Esporte

Fernando Fernandes e Andrew Parsons compartilham experiências

Café com Incentivo

Tetracampeão mundial de canoagem paraolímpica e presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro conversam com funcionários do Ministério
por Portal Brasil publicado: 03/09/2014 17h38 última modificação: 03/09/2014 17h38

Tetracampeão mundial de canoagem paraolímpica, Fernando Fernandes encontrou no esporte um estilo de vida. A modalidade que trouxe a sensação de liberdade ao atleta faz parte de seu cotidiano há cinco anos. Fernandes e o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e vice-presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês), Andrew Parsons, compartilharam com os funcionários do Ministério do Esporte, nesta quarta-feira (3), as experiências do movimento paraolímpico no projeto Café com Incentivo.

A evolução dos atletas brasileiros em Jogos Paralímpicos é grande e rápida. O País saltou da 37ª colocação nos Jogos de Barcelona, em 1992, para o sétimo lugar nos Jogos Olímpicos de 2012. Para 2016, a meta é subir mais dois degraus, passando para o quinto lugar geral no quadro geral de medalhas.

Andrew Parsons explicou que em 2009 a entidade fez o planejamento para os dois ciclos paraolímpicos seguintes, que culmina em 2016. “As metas estabeleceram que a delegação brasileira mantivesse o primeiro lugar no quadro geral dos Jogos Parapan-Americano de Guadalajara 2011, ficassem em sétimo nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e mantivesse o primeiro lugar nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015. Para 2016, o objetivo é passar para o quinto lugar no quadro de medalhas com o foco grande nas medalhas de ouro”, esclareceu o dirigente.

Em 2013, os atletas brasileiros conquistaram 78 medalhas em campeonatos mundiais e em copas do mundo, sendo 30 ouros, 20 pratas e 28 bronzes. Na palestra, o presidente também apresentou o planejamento, programas e projetos da entidade. “Os atletas são os atores principais. A nossa missão é colocar sempre os nossos atletas no centro do movimento paraolímpico”, disse.

Superação
O esporte entrou na vida de Fernando Fernandes de forma lúdica, durante o processo de reabilitação durante o período no Hospital Sarah Kubitschek, em Brasília. O primeiro contato foi em dezembro de 2009 e, em agosto do ano seguinte, o canoísta disputou o Campeonato Mundial de Canoagem, disputado na Polônia. Em 2016, a canoagem vai estrear nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, junto com o paratriatlo.

“No caiaque, a deficiência some. Eu decidi que a canoagem seria o meu esporte, a minha ferramenta de comunicação para o mundo para dar visibilidade e fazer o esporte crescer. Fui ganhando títulos e quebrando barreiras”, revelou Fernando Fernandes, que traçou como missão fazer com que a modalidade se torne grande no Brasil.

O atleta considera que a exposição dos Jogos Paralímpicos de 2012 serviu para difundir o movimento e na maneira como as pessoas enxergam o esporte. “Londres foi o divisor de águas para mostrar o esporte paraolímpico. No meu quadro na televisão pude mostrar a intensidade e a estética do esporte. Tem a deficiência, mas as ações dos atletas são tão fortes e bonitas que colocamos de uma forma positiva. Agora, temos a oportunidade aqui no Brasil de mostrar a grandeza desse universo”, disse Fernando Fernandes.

Importância da visibilidade
Andrew Parsons ressaltou a importância da relação das entidades esportivas com a mídia, em que a visibilidade tem um impacto direto no recrutamento e na identificação de novos talentos.   

“Em Atenas 2004 tínhamos um problema de visibilidade. Na época, o CPB comprou os direitos de transmissão e licenciou para 13 redes de televisão brasileiras, das grandes as pequenas. Elas foram realizar a cobertura, transmitiram e fizeram as matérias. Naquele momento o esporte paraolímpico apareceu com Clodoaldo para o Brasil. Na ocasião, tinha dois caras que não sabiam nada sobre o esporte paraolímpico, o André Brasil e Daniel Dias. Com a visibilidade de Atenas os atletas descobriram o esporte paraolímpico. Esses dois foram responsáveis por oito medalhas de ouro das 16 conquistadas em Pequim 2008. Então, 50% das medalhas de ouro conquistadas em Pequim não teriam acontecido se não tivéssemos feito aquele investimento em visibilidade”, revelou o dirigente.

Café com incentivo
A edição da série de palestras Café com Incentivo visa aproximar ainda mais os funcionários do departamento dos projetos esportivos que contam com o apoio da regulamentação federal.

O Café com Incentivo já contou com a presença de nomes do esporte como o ex-judoca e campeão olímpico Rogério Sampaio, o técnico da seleção brasileira masculina Bernardinho, a ex-jogadora de basquete Magic Paula e o campeão mundial de vela Lars Grael, entre outros.

Fonte:
Ministério do Esporte

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas

Últimas imagens

Rafaela Silva foi eleita a melhor atleta de 2016 no Prêmio Brasil Olímpico
Rafaela Silva foi eleita a melhor atleta de 2016 no Prêmio Brasil Olímpico
Roberto Castro/Ministério do Esporte
No total, 13 atletas brasileiros garantiram índices para o Mundial de Natação Paralímpica
No total, 13 atletas brasileiros garantiram índices para o Mundial de Natação Paralímpica
Daniel Zappe/CPB
Brasil marca presença nas competições aquáticas com 12 medalhistas; entre eles, Daniel Dias
Brasil marca presença nas competições aquáticas com 12 medalhistas; entre eles, Daniel Dias
Foto: Francisco Medeiros/Min. do Esporte
Na edição anterior, o time brasileiro liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro
Na edição anterior, o time brasileiro liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro
Divulgação/Prefeitura de Itajaí
Ainda no sábado (21), as oitavas de final contarão com outras três partidas
Ainda no sábado (21), as oitavas de final contarão com outras três partidas
Divulgação/CBHb

Governo digital