Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2016 > 03 > Diego Hipólito diz que é hora de vibrar com Olimpíada e agradece apoio

Esporte

Diego Hipólito diz que é hora de vibrar com Olimpíada e agradece apoio

Rio 2016

Dilma recebeu no Palácio do Planalto atletas das equipes feminina e masculina de ginástica artística
por Portal Brasil publicado: 03/03/2016 19h13 última modificação: 03/03/2016 19h13

A presidenta Dilma Rousseff recebeu, nesta quinta-feira (3), no Palácio do Planalto, juntamente com o ministro do Esporte, George Hilton, os atletas das equipes feminina e masculina de ginástica artística. Após o encontro, o bicampeão mundial Diego Matias Hypólito falou ao Blog do Planalto sobre a expectativa em relação à primeira participação do time masculino do Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro.

“A ginástica [brasileira] evoluiu muito durante esses últimos ciclos, a gente vem amadurecendo bastante o resultado. A ginástica masculina conseguiu, pela primeira vez na história, uma classificação por equipe no masculino. A feminina vai se classificar, com certeza, agora. Já no evento-teste, que vai ser daqui a dois meses”.

De acordo com Hypólito, o fato de a Olimpíada ser no Brasil é um estímulo a mais para os atletas e para que todos se mobilizem pelo esporte. “Acho que a gente tem que viver um pouco de esporte agora. Ter essa interação influencia para que também as pessoas e o governo estejam por dentro do esporte. A gente está tentando fazer o nosso melhor, tentando influenciar para que a gente tenha bons resultados”, destacou.

O atleta contou que o encontro com a presidenta foi uma conversa informal sobre vários temas, como a questão dos patrocínios que a Caixa e o Ministério do Esporte vêm fazendo na ginástica brasileira. Diego Hypólito considera que o apoio tem influenciado positivamente os resultados. Todos os atletas das equipes feminina e masculina de ginástica artística recebem o Bolsa Atleta.

“Acho que, primeiro, a gente tem que agradecer à população, a todas as pessoas que contribuem para isso, por ser dinheiro público. A gente sabe que cada pessoa se esforçou para pagar seus impostos. E esses impostos saem no dinheiro para os atletas, que ajuda para que tenhamos melhores resultados. Espero que possamos contribuir para cada pessoa que está em casa torcendo, vibrando pela gente. Vamos nos esforçar muito, treinar muito para fazer bons Jogos Olímpicos no Brasil”.

Exemplo para as crianças

A atleta Flávia Saraiva, de apenas 16 anos, não esconde a ansiedade em participar dos Jogos Olímpicos pela primeira vez. “Primeiro, a gente tem que classificar, né? O feminino. O masculino já está classificado. A gente está bem ansioso para o evento-teste para que, se Deus quiser, a gente consiga se classificar e estar na Olimpíada”, disse.

A ginasta acha normal ser considerada uma fonte de inspiração para as crianças no esporte. “Acho que eu estou treinando e as pessoas gostam de mim. Acho isso muito legal”.

Apoio

O Ministério do Esporte investiu R$ 7,2 milhões para a aquisição de equipamentos de ginástica de nível olímpico. Por meio de convênio com a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) foram adquiridos, ao todo, 1.010 aparelhos da Alemanha, certificados e homologados pela Federação Internacional de Ginástica (FIG). Foi a maior importação de equipamentos de ginástica já feita pelo Brasil, de acordo com a pasta.

Os aparelhos são destinados para as três modalidades de ginástica – artística, rítmica e trampolim – e contemplaram 16 centros de treinamento em 13 cidades distribuídas em todas as regiões brasileiras. Do total, 300 são para ginástica artística, 618 para rítmica e 92 para ginástica de trampolim.

A ação faz parte da estratégia do governo federal de nacionalização do legado dos Jogos Rio 2016, que inclui a aquisição de equipamentos esportivos a várias modalidades e o investimento em infraestrutura. O objetivo é equipar todas as categorias e garantir que os atletas, de ponta e da base, tenham a melhor infraestrutura para treinar e competir em solo nacional.

Fonte: Blog do Planalto

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Daniel Dias, maior atleta paralímpico do Brasil, fala sobre sua carreira e a importância do Programa Bolsa Atleta para a sua sua trajetória no esporte
Daniel Dias fala sobre importância do Bolsa Atleta
Representantes do Governo Federal, da Rio 2016 e do Comitê Paralímpico Internacional comentam os resultados do País ao sediar os Jogos Paralímpicos Rio 2016
Representantes da Rio 2016 fazem balanço da Paralimpíada
Após a melhor campanha em quantidade de medalhas da história da delegação brasileira, os atletas da delegação nacional receberam uma homenagem do Comitê Paralímpico Brasileiro
Comitê Paralímpico faz homenagem a atletas

Últimas imagens

É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
É o primeiro ouro em etapas internacionais da dupla Ágatha e Duda, que já tinha uma prata
Marco Antônio Teixeira/CBV
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Número 7 do mundo, Érika Miranda (de azul) chegou ao quarto título de Grand Slam
Foto: Gabriela Sabau/IJF
Brasil é o maior vencedor do Mundial da modalidade
Brasil é o maior vencedor do Mundial da modalidade
Divulgação/CBV
Empresas interessadas deverão cumprir requisitos mínimos para a certificação, que terá prazo de validade de dois anos
Empresas interessadas deverão cumprir requisitos mínimos para a certificação, que terá prazo de validade de dois anos
Divulgação/EBC
Mais de 8,3 milhões de ingressos foram vendidos na Rio 2016
Mais de 8,3 milhões de ingressos foram vendidos na Rio 2016
Danilo Borges/Ministério do Esporte

Governo digital