Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2016 > 03 > Rio é palco de evento-teste do nado sincronizado

Esporte

Rio é palco de evento-teste do nado sincronizado

Parque Aquático Maria Lenk

Instalação aberta agrada e ressalvas foram quanto ao piso e vestiários. Organização registra que esses pontos serão aprimorados para as Olimpíadas
por Portal Brasil publicado: 03/03/2016 16h39 última modificação: 03/03/2016 16h45

A primeira rodada da rotina livre para os duetos de nado sincronizado, com 27 países participantes, foi realizada nesta quinta-feira (3). A competição é aberta ao público, com entrada franca, e será realizada até domingo (6).

Há oito vagas para equipes e 24 para duetos nos Jogos Olímpicos. Cinco países já estão garantidos na disputa por equipes: Rússia, China, Egito e Austrália venceram as seletivas continentais, enquanto o Brasil tem a vaga das Américas por ser sede da Olimpíada. Dessa forma, sobram três vagas por equipes que serão disputadas no evento-teste por Ucrânia, Canadá, Japão, Itália, Espanha, França e Chile.

Cada continente também colocou em disputa duas vagas para duetos: a primeira delas é dos países que conquistaram as vagas por equipes (Rússia, China, Egito e Austrália, além do Brasil). A segunda ficou com a Ucrânia na Europa, com o Canadá nas Américas, e com o Japão na Ásia.

Na África e na Oceania, não houve classificação de um segundo dueto por falta de inscritos. Dessa forma, oito vagas já foram preenchidas para duetos e restam 16 oportunidades em disputa no evento-teste.

Maria Lenk

A disputa pelas últimas vagas no nado sincronizado para os Jogos Olímpicos Rio 2016 teve início na última quarta-feira (2) no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

No primeiro dia de provas do Torneio Qualificatório, que também é evento-teste da modalidade, 27 duetos fizeram apresentações da rotina técnica, de olho nas 16 vagas que as duplas ainda podem conquistar.

Considerando também a disputa por equipes, há 133 atletas de 30 países ao todo. As atletas, que já estão treinando desde o fim de semana na instalação, elogiaram o Maria Lenk e apontaram alguns ajustes visando aos Jogos em agosto.

As norte-americanas Anita Álvarez e Mariya Koroleva ficaram em sétimo na rotina técnica, com 82.3821 pontos. Acostumadas a treinar em piscina aberta na Califórnia, elas acreditam que o Maria Lenk pode ser vantajoso. As nadadoras torcem, entretanto, para que não chova em agosto.

“A  instalação é linda, é bacana estar aqui em um lugar cheio de cores. É excitante nadar numa piscina como essa. Definitivamente o tempo traz um pouco de preocupação. Na segunda-feira os treinos tiveram de ser cancelados, mas tomara que isso não aconteça nas Olimpíadas. Todo o resto tem sido muito bom. Estamos nos sentindo muito bem-vindas no Brasil”, contou Mariya.

“A piscina é muito bonita. Já havíamos estado aqui antes. Fazia tempo que não tínhamos uma competição ao ar livre e nos agrada muito. Estamos mais acostumadas a piscinas fechadas”, acrescentou a italiana Linda Cerruti, que ficou em segundo na disputa de rotina técnica com a companheira Costanza Ferro (85.9000).

Avaliações do Comitê Rio 2016

Os principais testes para o Comitê Organizador Rio 2016 são da área de competição, da atuação dos voluntários e do sistema de resultados. Quanto às observações feitas pelas atletas, o gerente geral de Esportes Aquáticos do comitê, Ricardo Prado, explicou que a instalação terá outra “cara” para os Jogos.

Ele destacou a importância de usar e testar também a nova piscina de aquecimento, instalada com a reforma feita para o Rio 2016. “A instalação foi construída para os Jogos Pan-Americanos em 2007 e a piscina ficava um pouco longe e num nível abaixo da piscina de competição. Então, foi colocada uma piscina de última geração e nivelada. Está todo mundo gostando, as atletas estão contentes e tenho certeza de que vai ficar por muitos anos servindo bem ao Brasil”, disse Ricardo, ex-nadador.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Portal Brasil 2016

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Governo promove inclusão social pelo esporte
Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) determina as diretrizes de programas
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) determina as diretrizes de programas
Governo promove inclusão social pelo esporte

Últimas imagens

Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Foto: Rogério Vital/Ministério do Esporte
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Divulgação/CBDU
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Divulgação/Federação Int. de Canoagem
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Divulgação/CBDU
Tamires Crude garantiu o bronze na categoria até 57kg, e Eleudis Valentin, a prata na categoria até 52kg
Tamires Crude garantiu o bronze na categoria até 57kg, e Eleudis Valentin, a prata na categoria até 52kg
Arquivo/CBDU

Governo digital