Você está aqui: Página Inicial > Esporte > 2016 > 04 > Judô é forte promessa de medalha nos Jogos Rio 2016

Esporte

Judô é forte promessa de medalha nos Jogos Rio 2016

Olimpíada

Brasil está no grupo de maiores potências dos tatames, ao lado do Japão, da França e da Rússia
publicado: 20/04/2016 11h30 última modificação: 22/04/2016 12h22
Reprodução/Exército Brasil tentará conquistar pelo menos cinco medalhas no Judô para bater o próprio recorde

Brasil tentará conquistar pelo menos cinco medalhas no Judô para bater o próprio recorde

O Centro de Treinamento de Alta Performance do Time Brasil é a base de preparação de um dos esportes que é considerado carro-chefe de possíveis medalhas para o Brasil nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016: o judô, que promete apresentar alto nível técnico dos atletas brasileiros.

Dentre os 14 classificados para o campeonato, está o 3º Sargento do Exército Brasileiro Victor Rodrigues Penalber de Oliveira, nascido em 22 de maio de 1990, hoje tem com 25 anos. Estreou sua vida de judoca aos quatro anos e agora, com 21 anos de experiência como atleta de Judô, é o 4º do ranking Internacional.

“Grande parte dos meus ídolos são militares e, desde muito novo, eu percebi o quanto isso era importante para a trajetória do atleta. Quando completei 18 anos, me alistei e entrei para o Exército como soldado e, mais tarde, comecei a participar do Programa para Atletas de Alto Rendimento”, afirmou ele.

O Brasil, que está presente hoje no grupo de maiores potências dos tatames, ao lado do Japão, da França e da Rússia, soma 19 medalhas olímpicas, sendo três de ouro, e sobe ao pódio há oito edições dos Jogos, desde Los Angeles 1984. Na olimpíada de 2016, o Brasil tentará conquistar pelo menos cinco medalhas, superando o seu recorde de quatro pódios em uma edição obtido em Londres 2012 (uma medalha de ouro e três de bronze).

“O Exército ajuda o atleta a alcançar o seu melhor rendimento. Uma parte do treinamento é feita dentro do quartel, e a outra, fora, até porque, no caso do judô, os clubes são fora do quartel. No judô não conseguimos treinar sozinhos. É preciso ter outros atletas, adversários duros para que possamos evoluir, e eles estão nos clubes”, finalizou Penalber.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Exército Brasileiro

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Assunto(s): Esporte, Lazer

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Forças no Esporte comemora Dia das Crianças
Iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com outros ministérios, leva para as crianças atividades esportivas, lazer e aulas de reforço no período do contra turno escolar
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com outros ministérios, leva para as crianças atividades esportivas, lazer e aulas de reforço no período do contra turno escolar
Programa Forças no Esporte comemora Dia das Crianças
Publicação lançada no Rio de Janeiro discute os impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo. O livro, que reúne 145 autores de 70 universidades, será publicado em formato digital e oferecido gratuitamente
Publicação analisa impactos dos megaeventos no Brasil e no mundo
Cerca de 23 mil esportistas já foram patrocinados pelo programa do governo federal
Inscrições para o Bolsa Atleta terminam em 6 de setembro

Últimas imagens

Rebeca Andrade é uma das ginastas do time feminino que representa o Brasil na competição
Rebeca Andrade é uma das ginastas do time feminino que representa o Brasil na competição
Foto: Danilo Borges/Ministério do Esporte
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Jogos Escolares são maior celeiro de atletas olímpicos do País
Foto: Rogério Vital/Ministério do Esporte
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Martins tornou-se o segundo brasileiro com mais medalhas em Universíades
Divulgação/CBDU
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Atleta terminou a prova com o tempo de 3m52s542
Divulgação/Federação Int. de Canoagem
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Henrique Martins, da natação, ficou em terceiro lugar nos 100 metros borboleta – a décima medalha brasileira no torneio
Divulgação/CBDU

Governo digital