Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2013 > 07 > Novas vagas para cursos profissionalizantes em Ji-Paraná

Governo

Novas vagas para cursos profissionalizantes em Ji-Paraná

O município de Ji-Paraná foi a primeira cidade a disponibilizar o Pronatec em Rondônia. Nesta terceira etapa, o programa dispõe de 1.102 vagas para o município
por Portal Brasil publicado : 26/07/2013 11h04
Senai/CNI Pronatec intensifica expansão de escolas técnicas em todo o Brasil

Pronatec intensifica expansão de escolas técnicas em todo o Brasil

Mais de mil pessoas já foram capacitadas no município de Ji-Paraná pelo Programa Nacional de Acesso ao Mundo do Trabalho (Pronatec) Brasil Sem Miséria. Para a terceira etapa que se inicia nos próximos dias estarão disponíveis mais vagas. Implantado no final de 2011, o município de Ji-Paraná foi a primeira cidade a disponibilizar o Programa em Rondônia. Nesta fase, o Pronatec dispõe de 1102 vagas para o município. Na próxima segunda-feira (29), o IFRO - Instituto Federal de Rondônia dá inicio ao curso de Operador de Computador.

A secretária municipal de Assistência Social do município, Sônia Reigota, informou que para setembro, dois novos cursos serão ofertados pelo Senac. A prefeitura de Ji-Paraná é responsável pela pré-matrícula, através da secretaria. Os interessados devem levar documentos pessoais e realizar a pré-matrícula na Secretaria de Assistência Social próximo ao Feirão do Produtor ou nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) Jardim dos Migrantes, São Francisco e Roda Moinho no JK.

Sônia Reigota ressalta que as pessoas que fazem a pré-matrícula ou frequentam os cursos não perdem nenhum beneficio. “Muitas pessoas deixam de participar dos cursos por acreditarem que perdem o Bolsa Família”, exemplificou Sônia Reigota.

Cursos

A prefeitura também fiscaliza a ação dos parceiros na execução dos cursos. Estão previstos cursos de Confecção de Lingerie e moda praia; Padeiro e Confeiteiro, Eletricista de Automóveis e Eletricista; Costureiro, Mecânica de Sistema de Freios e Pizzaiolo.

O Senac disponibiliza vagas para o curso de Montador e Reparador de Computadores (montar, instalar, reparar e configurar dispositivos de hardware e sistemas operacionais de software). É exigido idade mínima de 16 anos e ensino fundamental completo. No final de setembro vai começar o curso de auxiliar de Recursos Humanos (Rotinas de processos administrativos; atividades de apoio ao planejamento, execução, avaliação de desenvolvimento e desempenho, progressão funcional, cargos, salários e benefícios). A escolaridade mínima para quem optar por este curso é nível médio em andamento ou concluído.

Os participantes do Pronatec não perdem outros benefícios já conquistados. O reforço é para desmistificar o conceito formado por muitas pessoas que deixam de buscar a qualificação para não perder a transferência de renda.

Banco de Talentos 

Outra informação importante é que o município de Ji-Paraná assinou o Termo de Adesão ao Acessuas – Acesso ao Mundo do Trabalho 2013 com o Ministério do Desenvolvimento Social e Ministério do Trabalho e Emprego. O termo já foi aprovado pelo Conselho Municipal de Assistência Social, e deve ser implantado até o final deste ano o Banco de Talentos. “O objetivo é acompanhar e apresentar o egresso ao mercado de trabalho”, informou Rogério Crivelaro. Além de acompanhar a execução dos cursos, fazer a pré-matrícula os servidores da Semas vão conduzir os diplomados, talvez para o primeiro emprego. Este programa é um complemento do Pronatec, e vai da capacitação e treinamento até o encaminhamento ao serviço, otimizando resultados e fechando o ciclo de preparação e utilização para o mercado.

Proteção Social Básica


O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) promove o acesso à assistência social às famílias em situação de vulnerabilidade, como prevê o Sistema Único de Assistência Social (Suas). Articulada nas três esferas de governo, a estratégia de atuação está hierarquizada em dois eixos: a Proteção Social Básica e a Proteção Social Especial.

A Proteção Social Básica tem como objetivo a prevenção de situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. Destina-se à população que vive em situação de fragilidade decorrente da pobreza, ausência de renda, acesso precário ou nulo aos serviços públicos ou fragilização de vínculos afetivos (discriminações etárias, étnicas, de gênero ou por deficiências, dentre outras). 

Essa proteção prevê o desenvolvimento de serviços, programas e projetos locais de acolhimento, convivência e socialização de famílias e de indivíduos, conforme identificação da situação de vulnerabilidade apresentada. Os programas qualificam e incentivam os benefícios e serviços socioassistenciais, como o Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho - (Acessuas/Trabalho), que busca a autonomia das famílias usuárias da política de assistência social, por meio do incentivo e da mobilização à integração ao mundo do trabalho.

A Proteção Social Básica atua por intermédio de diferentes unidades. Dentre elas, destacam-se os CRAS e a rede de serviços socioeducativos direcionados para grupos específicos, dentre eles, os Centros de Convivência para crianças, jovens e idosos.

 

Fontes:

Brasil Sem Miséria

Ministério do Desenvolvimento Social

 

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil