Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2013 > 08 > Brasil e Japão firmam acordo para gerenciamento de riscos de desastres naturais

Governo

Brasil e Japão firmam acordo para gerenciamento de riscos de desastres naturais

Gestão de Risco

A parceria foi oficializada durante seminário ocorrido nesta quarta-feira (28), no Rio de Janeiro
por Portal Brasil publicado: 29/08/2013 00h00 última modificação: 29/07/2014 23h58
Divulgação/ EBC O plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais vai contemplar projetos de mapeamento, monitoramento e alerta, resposta e prevenção a desastres

O plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais vai contemplar projetos de mapeamento, monitoramento e alerta, resposta e prevenção a desastres

Um Termo de Cooperação Técnica entre Brasil e Japão foi firmado na última quarta-feira (28) para o desenvolvimento e a implantação de ações voltadas ao fortalecimento da gestão integrada de riscos de desastres naturais. A parceria foi oficializada durante o Rio Bosai 2013, seminário internacional sobre prevenção de desastres naturais. Os municípios que integram o projeto foram previamente selecionados em função dos desastres sofridos nos últimos anos. Um dos objetivos da cooperação técnica é o aprimoramento da Política Nacional de Proteção e Defesa Civil, instituída pela Lei 12.608, de 2012.

A Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) e os ministérios das Cidades, da Integração Nacional e da Ciência, Tecnologia e Inovação, e a prefeitura municipal de três cidades: Blumenau (SC), Nova Friburgo (RJ); e Petrópolis (RJ) assinaram o documento. Entre outros pontos debatidos no seminário, foi destaque a importância da colaboração internacional para a formação de uma sociedade engajada na busca pela redução de danos causados por desastres naturais.

Cooperação Técnica

A Cooperação contemplará ações diversificadas que buscam desenvolver o planejamento da expansão urbana, bem como ferramentas de gestão territorial; aperfeiçoar procedimentos padronizados para avaliação e mapeamento de riscos de desastres relacionados com movimentos de massa e enxurradas; formular diretrizes para autoridades estaduais e municipais para estabelecer protocolos de resposta a desastres; desenvolver metodologias e procedimentos para a emissão de alertas de desastres envolvendo movimentos de massa; melhorar o sistema nacional de monitoramento e alerta de desastres naturais.

Para o secretário substituto da Secretaria Nacional de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, Rafael Schadeck, a ação conjunta entre os dois países será muito importante para a gestão de riscos ambientais no âmbito nacional. 

“É um projeto de médio prazo, feito com cuidado, que vai deixar muitos frutos para o País. A princípio, serão três municípios contemplados, mas o trabalho desenvolvido deixará uma herança local para os órgãos federais, estaduais e municipais perpetuarem o conhecimento e as ações desenvolvidas”, analisou o secretário da Integração Nacional.

Fonte:
Ministério da Integração Nacional

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Temer discute Previdência com ministros e parlamentares
Presidente recebeu neste domingo (16), no Palácio da Alvorada, autoridades para discutir a proposta de reforma da Previdência
Esclareça boatos sobre a Reforma da Previdência
O rombo previdenciário não para de crescer e pode engolir toda a nossa economia. Assista ao vídeo e entenda melhor. Não se deixe enganar
Saiba de onde sai o dinheiro para manter a Previdência
O INSS recebe hoje as contribuições de quem trabalha para manter as aposentadorias de quem já trabalhou
Presidente recebeu neste domingo (16), no Palácio da Alvorada, autoridades para discutir a proposta de reforma da Previdência
Temer discute Previdência com ministros e parlamentares
O rombo previdenciário não para de crescer e pode engolir toda a nossa economia. Assista ao vídeo e entenda melhor. Não se deixe enganar
Esclareça boatos sobre a Reforma da Previdência
O INSS recebe hoje as contribuições de quem trabalha para manter as aposentadorias de quem já trabalhou
Saiba de onde sai o dinheiro para manter a Previdência

Últimas imagens

Levantamento está na edição anual do Índice de Dados Abertos Brasil, lançado na última quinta (27)
Levantamento está na edição anual do Índice de Dados Abertos Brasil, lançado na última quinta (27)
Divulgação/EBC
Existem no Brasil cerca de 9,5 milhões de pessoas com algum nível de deficiência auditiva
Existem no Brasil cerca de 9,5 milhões de pessoas com algum nível de deficiência auditiva
Divulgação/UFPB
Principais medidas do texto foram mantidas, como regulamentação do trabalho intermitente
Principais medidas do texto foram mantidas, como regulamentação do trabalho intermitente
Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Documento foi organizado a partir de informações provenientes de diversos órgãos e entidades do Poder Executivo
Documento foi organizado a partir de informações provenientes de diversos órgãos e entidades do Poder Executivo
Divulgação/EBC
Cargos deverão ser preenchidos a partir deste mês até 31 de dezembro
Cargos deverão ser preenchidos a partir deste mês até 31 de dezembro
Divulgação/Advocacia-Geral da União
A maior parte dos serviços é integralmente virtual, da solicitação à solução da demanda
A maior parte dos serviços é integralmente virtual, da solicitação à solução da demanda
Foto: Marcos Santos/USP
Quatro das empresas alvo dos processos administrativos são ligadas ao Grupo Bellini
Quatro das empresas alvo dos processos administrativos são ligadas ao Grupo Bellini
Foto: Marcos Santos/USP
A estimativa é que, até 2018, todos os ministérios localizados no Distrito Federal utilizem o serviço
A estimativa é que, até 2018, todos os ministérios localizados no Distrito Federal utilizem o serviço
Foto: Gleice Mere/Ministério do Planejamento
Objetivo é reduzir gastos e aumentar a arrecadação
Objetivo é reduzir gastos e aumentar a arrecadação
Arquivo/Iphan
O ministro-chefe da Casa Civil ocupará a presidência do Brasil Eficiente, que será integrado por demais ministros
O ministro-chefe da Casa Civil ocupará a presidência do Brasil Eficiente, que será integrado por demais ministros
Foto: Ligiani Silveira/Governo do Mato Grosso

Governo digital