Você está aqui: Página Inicial > Governo > 2013 > 10 > Com o Programa Crescer, governo apoia espírito empreendedor do brasileiro

Governo

Com o Programa Crescer, governo apoia espírito empreendedor do brasileiro

Conversa com a Presidenta

Presidenta Dilma dá detalhes sobre o programa que oferece microcrédito produtivo orientado para pequenas e microempresas. Saiba mais
por Portal Brasil publicado : 15/10/2013 09h47

Na coluna semanal Conversa com a Presidenta, Dilma Rousseff deu detalhes sobre os benefícios do Crescer, o programa que oferece microcrédito produtivo orientado para pequenas e microempresas. Em dois anos de programas, cerca de R$ 9 bilhões já foram emprestados para 3,5 milhões de brasileiros.

Veja abaixo a coluna na íntegra:

Presidenta, existe alguma linha de financiamento para quem tem um negócio pequeno, um pipoqueiro, ou uma vendedora que trabalha por conta própria? Eles podem participar do Programa Crescer?

Presidenta Dilma – Sim, o Programa Crescer oferece microcrédito produtivo orientado para pequenas e microempresas, exatamente para apoiar as pessoas com esse perfil empreendedor. O programa completou dois anos, e nesse período já ajudou 3,5 milhões de brasileiros e brasileiras com empréstimos  para que eles e elas investissem em seus negócios. Ou abrindo, ou ampliando, ou fortalecendo a sua empresa.

No total, o Crescer já emprestou quase R$ 9 bilhões no Brasil inteiro. Com o Crescer, o governo federal oferece crédito facilitado, que vai de R$ 300 a R$ 15 mil, com juros baixíssimos, de 5% ao ano, ou seja, de apenas 0,4% ao mês.  Dessa forma, o governo federal está apoiando o espírito empreendedor do brasileiro, encorajando muita gente a abrir ou ampliar seu próprio negócio.

O brasileiro é um povo esforçado, criativo, que luta e vai atrás do que quer. Se você dá uma oportunidade, ele pega com as duas mãos.

E a oportunidade está aí: o financiamento do Crescer está disponível para todos os brasileiros que querem montar o seu próprio negócio ou para aqueles que já têm o seu empreendimento e faturam até R$ 120 mil por ano, ou R$ 10 mil por mês.

São pessoas de vários ramos de atividade: vendedores de roupa, de lanches, de bijuterias, artesanato ou quem tem um mercadinho, um armarinho, quem é costureira, quem é cabeleireira, quem tem uma pequena mercearia, quem tem um carrinho que vende picolé e pipoca, e muito mais negócios por aí.

As mulheres já são 64% dos clientes que tomam empréstimos no Crescer, o que mostra a força da mulher no empreendedorismo nacional. Quem quiser pode ter acesso ao crédito do Crescer no Banco do Nordeste, na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil, no Banco da Amazônia, no Banrisul, no Banestes e na Agência de Fomento do Paraná.

Com esse dinheiro, é possível abrir o tão sonhado negócio, mas, também cobrir os gastos do dia a dia de quem já tem seu empreendimento, como a compra de mercadoria, a compra de embalagens ou um investimento em algum equipamento, como um freezer, uma máquina de costura, um fogão industrial, um computador, balcões, prateleiras e muito mais.

Os prazos de financiamento do Crescer são também um fator importante para seu sucesso. Quando a pessoa toma um empréstimo para capital de giro, aquele usado no dia a dia do negócio, o prazo para pagar é de até 12 meses. Agora, se o empréstimo é para investimento, como uma reforma, uma ampliação ou a compra de uma máquina, um equipamento, o prazo sobe para até três anos.

Além de emprestar os recursos, o Crescer ajuda o microempreendedor a gerir melhor seu próprio negócio, pois quando a pessoa vai em busca do empréstimo, um agente de microcrédito dá a ela todas as informações sobre o programa, orientando-a como melhor aplicá-lo para fazer o negócio prosperar.

Esses agentes de crédito vão na empresa ou na casa dos nossos pequenos empreendedores, quando é o caso, e os ajudam a planejar as compras, organizar os pagamentos, montar um fluxo de caixa, anotar tudo o que vendem e a separar o orçamento da empresa do orçamento da família. Eles ensinam a lidar melhor com o dinheiro e a gastar melhor para ter um lucro maior.

O Crescer leva educação financeira para os nossos microempreendedores, que podem pegar crédito em grupo. Isso só depende da organização das comunidades. É o chamado crédito solidário: um grupo de moradores se organiza com amigos e vizinhos e toma um empréstimo no banco. Os negócios de quem está no grupo acabam crescendo junto e movimentando a economia do próprio bairro e da própria comunidade. Esse é um exemplo de como o microcrédito ajuda na geração de riquezas para o Brasil.

Eu queria acrescentar que, daqueles 3,5 milhões de pessoas que já tomaram um empréstimo no Crescer, 1,2 milhão delas recebe o Bolsa Família. Isso mostra, que, mesmo recebendo o benefício, essas pessoas continuam lutando para aumentar a renda e melhorar de vida.

É isso que o Crescer e o meu governo estão fazendo: estamos ajudando a aumentar a renda e a esperança de quem nunca pensou que um dia poderia ser dono do seu próprio destino e, assim, melhorar de vida.

Fonte:
Portal Planalto

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil