Governo

Atualização

Ministra fala sobre reajuste do Bolsa Família

Governo utiliza o mesmo critério para o reajuste (paridade do poder de compra), o que resultou em um aumento do benefício médio real acima da inflação
publicado: 02/05/2014 17h30, última modificação: 23/12/2017 10h38
Confira histórico do Bolsa Família

Veja o histórico do ciclo de aperfeiçoamento e valorização do Programa Bolsa Família, ao longo dos últimos 3 anos e 4 meses

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, explicou o reajuste de 10% nos valores do Bolsa Família, anunciado pela presidenta Dilma Rousseff na última quarta (30). Ela afirmou que o decreto publicado nesta sexta-feira (2) reflete a evolução do programa, com critérios já utilizados em outros aumentos ao longo deste governo, a partir de parâmetros internacionais.

“O critério de atualização é indicado internacionalmente, que é a paridade do poder de compra do dólar. Então o reajuste eleva a linha de R$ 70 para R$ 77 (per capita). Essa conta também foi feita, essa atualização, esses dados são feitos nos mesmos parâmetros que o Brasil sempre utilizou. (…) A gente vem fazendo modificações no Bolsa Família ao longo de todos os anos. Estamos dentro de um ritual que é absolutamente normal, previsto, previsível e dentro do planejamento”, comentou a ministra.

Bolsa família

Tereza Campello também respondeu às críticas sobre a base de cálculo do reajuste, que afirmam que a medida teria fins eleitoreiros. A ministra afirmou que o governo utiliza o mesmo critério que sempre utilizou (paridade do poder de compra), que resultou em um aumento do benefício médio real acima da inflação no período desde 2011.

O Programa Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país. O Bolsa Família integra o Plano Brasil Sem Miséria, que tem como foco de atuação os  milhões de brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 70 mensais e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos.

O Bolsa Família possui três eixos principais: a transferência de renda promove o alívio imediato da pobreza; as condicionalidades reforçam o acesso a direitos sociais básicos nas áreas de educação, saúde e assistência social; e as ações e programas complementares objetivam o desenvolvimento das famílias, de modo que os beneficiários consigam superar a situação de vulnerabilidade.

Veja o histórico do ciclo de aperfeiçoamento e valorização do Programa Bolsa Família, ao longo dos últimos 3 anos e 4 meses

Fonte:
Blog do Planalto
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

 

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems